Últimas notícias
  • Inflação turca se aproximou de 85% em setembro, em torno de 72% no final do ano Espera-se que a inflação anual da Turquia suba perto de 85% em setembro e foi vista diminuindo apenas para 72% no final de 2022, uma pesquisa da Reuters mostrou na quarta-feira, depois que o banco central chocou os mercados ao cortar as taxas duas vezes, apesar do aumento da inflação. ...
  • Turquia se curva à pressão dos EUA, corta os laços bancários com os russos O florescente comércio da Turquia com Moscou em tempo de guerra deu um grande passo atrás na quarta-feira com a confirmação de que os três últimos bancos ainda processando pagamentos com cartão russo estavam se retirando sob pressão de Washington. ...
  • Jornalista investigativo que reporta desde o exílio é alvo de jornal pró-Erdoğan Cevheri Güven, um jornalista de investigação no exílio, cujos vídeos no YouTube, nos quais ele fala sobre a corrupção e as relações obscuras do governo turco, atraem centenas de milhares de espectadores, foi alvo de um jornal pró-governo que revelou seu endereço e publicou secretamente fotos sua, noticiou o Turkish Minute. ...
  • Turquia promete defender interesses contra Grécia em meio a tensões A Turquia convocou na segunda-feira o embaixador grego para protestar contra o suposto envio de dezenas de veículos blindados fabricados nos EUA para as ilhas gregas que, segundo Ankara, deveriam permanecer desmilitarizadas em conformidade com os tratados internacionais. ...
  • Relatório da ONU implica que Turquia pode ter cometido crimes de guerra com mortes de civis em ataques na Síria Há motivos razoáveis para acreditar que o uso de armas explosivas não guiadas para atacar áreas urbanas e vilarejos equivale ao crime de guerra de lançar um ataque indiscriminado causando morte e ferimentos a civis, disse a Comissão Internacional Independente de Inquérito da ONU sobre a República Árabe da Síria em um relatório publicado em 14 de setembro, referindo-se a morteiros que podem ter sido disparados da Turquia e vários ataques com drones matando civis em várias ocasiões em 2022. ...
  • Fundação sediada nos EUA dirigida pela família de Erdoğan se finge de morta após transferências de dinheiro suspeita O presidente turco Recep Tayyip Erdoğan tinha uma programação em Nova York, aonde vai todos os anos à Assembleia Geral das Nações Unidas, para participar do tradicional jantar de gala da Fundação Turken, que é dirigido por seus familiares e parentes. Entretanto, este ano, Erdoğan não participou de nenhum evento da Turken. O presidente da Turken teve uma breve reunião com Erdoğan junto com uma dúzia de outros representantes de ONGs turco-americanas no domingo. A decisão do escritório Erdoğan está no fato de que a fundação está enfrentando sérias acusações de recebimento ilegal do dinheiro dos contribuintes turcos. Curiosamente, a fundação não tem se envolvido em nenhuma atividade por muito tempo.  ...
  • Procurador turco expulso por supostamente ajudar inteligência iraniana a sequestrar dissidentes De acordo com a mídia turca, o mais alto conselho judicial da Turquia expulsou um promotor público que foi anteriormente preso como parte de um caso envolvendo acusações de espionagem e sequestro em nome da inteligência iraniana. ...
  • Possível risco sancionatório força bancos turcos a agir sobre sistema de pagamento russo Dois bancos privados na Turquia suspenderam o uso do sistema de pagamento russo Mir no início desta semana, após sinais de alerta dos Estados Unidos. ...
  • O significado das ideias econômicas incomuns de Erdogan para a Turquia O presidente turco Recep Tayyip Erdogan não é o único político que não gosta quando os bancos do país cobram das pessoas relativamente pesado para pedir dinheiro emprestado. O que o diferencia é sua crença pouco ortodoxa em taxas de juros baixas e sua determinação em obter o controle da política monetária dos banqueiros centrais. O resultado: Uma sucessão de cortes de taxas de referência que alimentou a inflação desenfreada e precipitou um colapso da moeda.  ...
  • Voos Moscou-Istambul esgotados em meio à mobilização militar de Putin Os russos compraram todos os voos diretos entre Moscou e Istambul para os próximos três dias após a mobilização parcial dos militares russos anunciada pelo Presidente Vladimir Putin, informou na quarta-feira o Middle East Eye. ...

Refugiada síria abre livraria árabe na Turquia

Refugiada síria abre livraria árabe na Turquia
maio 26
09:36 2018

“Quando cheguei, não encontrei nenhum livro em árabe”, conta a síria Nada sobre quando veio para Istambul, há quatro anos. A paixão pela leitura levou a jovem de 25 anos a fundar uma biblioteca com títulos no seu idioma materno. A iniciativa cresceu e se transformou em negócio. Hoje, Nada mantém uma livraria para a população de língua árabe vivendo na cidade turca.

Forçada a deixar seu país de origem por causa da guerra, a refugiada chegou sozinha à Turquia. Contra a escassez de obras e volumes em árabe, Nada resolveu organizar uma coleção de livros para compartilhar com amigos sírios. Ela conseguiu seus primeiros 200 livros por meio de doações do exterior. Inicialmente, os empréstimos eram feitos apenas para conhecidos. Mas com o crescimento do acervo, Nada decidiu abrir a iniciativa para o público.

“Eu tenho muitos livros – romances, autodesenvolvimento, livros islâmicos, livros para crianças, livros de psicologia e história”, conta a jovem. Por uma pequena taxa anual, toda semana as famílias de refugiados de baixa renda podem ler livros diferentes.

A Turquia é atualmente o país que acolhe a maior população absoluta de vítimas de deslocamento forçado. Mais de 3,5 milhões de sírios vivem no país. Segundo a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), mais de 90% dos refugiados vivem fora de campos, nas cidades e vilarejos de todo o país, incluindo cerca de meio milhão de sírios em Istambul.

Cliente lê na Booka Livraria e Café, fundada pela refugiada síria Nada. Foto: ACNUR/Claire Thomas

Cliente lê na Booka Livraria e Café, fundada pela refugiada síria Nada. Foto: ACNUR/Claire Thomas

Nada estava estudando psicologia na Universidade de Homs quando os conflitos começaram. “A Turquia era perfeita para mim – é moderna e mente aberta, mas ainda sou aceita aqui usando meu hijab”, explicou.

“Quando cheguei aqui, as portas se abriram para mim. Eu poderia estudar design gráfico, começar meu projeto de biblioteca. Foi ótimo.”

Livros para todos

Foi em uma feira de livros em Istambul que Nada conheceu seu sócio e noivo Mohammad, de 27 anos, também refugiado sírio. Após passar sete meses em detenção na Síria, ele fugiu para a Turquia em 2016.

“Fiquei muito impressionado quando soube do projeto da biblioteca e fiquei muito impressionado com ela também. Eu me apaixonei”, contou Mohammad em entrevista ao ACNUR. Com experiência em marketing, ele agora é responsável pela divulgação online da inciativa e das últimas novidades do negócio, que está em expansão.

No ano passado, o casal abriu uma pequena livraria e um café em Fatih, bairro central de Istambul e lar de muitos refugiados sírios.

Seus clientes fiéis incluem uma mãe síria que aluga livros infantis para satisfazer o apetite insaciável do seu filho por literatura. Outro freguês é o sírio de meia-idade que trabalha seis dias por semana em uma fábrica de roupas nas proximidades. Aos domingos, ele gosta de passar várias horas lendo romances enquanto degusta xícaras do escuro café turco.

Em 2018, a dupla de empreendedores recebeu um financiamento para empresas concedido pelo ACNUR. Nada e Mohammad usaram o dinheiro para comprar mais livros e publicaram seu primeiro produto autoral – um “calendário criativo” projetado pela refugiada.

“É difícil começar a publicar. Requer muito dinheiro no começo”, explica a idealizadora da biblioteca e da livraria. “O financiamento foi muito útil e nos deu um empurrão. Quando publicamos nosso primeiro produto, foi como nosso filho. É nosso filho, na verdade”, brinca.

O organismo da ONU implementa programas de subsistência na Turquia, que incluem atividades para fomentar e estimular o empreendedorismo de refugiados. Com isso, a agência espera criar fontes sustentáveis ​​de renda.

Nada encontra felicidade em batalhar por uma carreira no ramo do design gráfico e no mercado editorial, enquanto ganha seu sustento e traz um pouco de brilho para a vida de outros refugiados.

“Os sírios são pessoas bem-educadas. Eles gostam de ler. Na Síria, nós costumávamos ter muitas livrarias, e então tudo mudou. Essas pessoas se mudaram da Síria e suas vidas são diferentes aqui, elas têm que trabalhar muitas horas. Então, ao colocar em prática este projeto, nós contribuímos. Elas podem ler.”

Originalmente publicado em: https://nacoesunidas.org/com-apoio-da-onu-refugiada-siria-abre-livraria-arabe-em-istambul-na-turquia/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer