Últimas notícias

Detentos sujeitos a insultos, ameaças e agressões nas prisões turcas

Detentos sujeitos a insultos, ameaças e agressões nas prisões turcas
agosto 20
18:52 2021

O relatório, preparado pela Associação Çukurova de Assistência às Famílias dos Prisioneiros e Condenados (Çukurova TUAYDER), a Associação de Advogados pela Liberdade (ÖHD) e a Associação de Direitos Humanos (İHD), é baseado em entrevistas com prisioneiros da Prisão Fechada Tipo T de Kürkçüler em Adana e da Prisão Tipo L Nº 1 de Türkoğlu em Kahramanmaraş. 

Os presos Mehmet Emin Ado, Zafer Bahadır, Ömer Toluk e Mustafa Özer, que em 9 de julho foram transferidos da Prisão Fechada Tipo M de Ceyhan para a Prisão Fechada Tipo T de Kürkçüler, ambas em Adana, foram espancados pelos guardas da prisão porque se recusaram a se submeter a uma revista onde tirariam as roupas enquanto eram admitidos na prisão, disse o jornal Mezopotamya. 

De acordo com a Mezopotamya, o pedido dos quatro detentos para serem enviados à enfermaria para receberem um relatório de agressão do médico após o ataque de 12 de agosto foi recusado, e eles foram ameaçados pelo guarda-chefe, que lhes disse: “Eu sou o Deus deste lugar e vocês farão o que eu disser”. 

Os reclusos Mehmet Erden, Sedat Karak e Veysi Altan no presídio L Tipo Prisão Nº 1 de Türkoğlu foram punidos como resultado de um processo disciplinar iniciado contra eles com o fundamento de que fizeram greve de fome em protesto contra o “isolamento” do líder preso do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Abdullah Öcalan, também disse o relatório. 

Apesar do pedido dos presos de estarem na mesma ala, a administração penitenciária os colocou em alas separadas, longe uns dos outros, a fim de punir os presos, impedindo-os de entrar em contato uns com os outros, disse a Mezopotamya, acrescentando que Karak não foi libertado em 28 de julho, como era de se esperar, devido à avaliação negativa da comissão de liberdade condicional da prisão a seu respeito. 

Apesar de ter havido alegações generalizadas de tortura nas prisões e centros de detenção da Turquia, especialmente desde uma tentativa de golpe, que custou a vida de mais de 250 civis na Turquia em 15 de julho de 2016, até agora eles não foram investigados. 

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer