Últimas notícias

Jornalistas presos por noticiarem sobre curdos torturados e atirados de helicóptero

Jornalistas presos por noticiarem sobre curdos torturados e atirados de helicóptero
outubro 14
15:04 2020

Quatro jornalistas foram detidos na terça-feira na província de Van, no leste, depois de reportarem repetidamente sobre um incidente no qual dois moradores curdos foram supostamente torturados e depois atirados de um helicóptero militar.

A polícia conduziu batidas policiais nas casas de Adnan Bilen e Cemil Uğur da Agência de Notícias Mezopotamya (MA), além das de Şehriban Abi e Nazan Sala de Jinnews.

MA anunciou que um ex-trabalhador, o distribuidor de jornal Şükran Erdem, também foi detido como parte da investigação em andamento.

Os equipamentos e materiais dos jornalistas teriam sido apreendidos pela polícia durante a operação nas residências e no escritório da agência. Os jornalistas não poderão falar com seus advogados por 24 horas, de acordo com os regulamentos.

Os jornalistas relataram recentemente sérias alegações de tortura perpetrada pelas forças de segurança turcas contra dois aldeões curdos, Servet Turgut (55) e Osman Şiban (50). Depois de supostamente ter sido torturado e atirado de um helicóptero militar, Turgut sucumbiu aos ferimentos em 30 de setembro, enquanto Şiban teve alta do hospital, mas supostamente ainda sofre de perda parcial de memória.

O Partido Democrático do Povo (HDP) pró-curdo da Turquia divulgou na terça-feira uma declaração no Twitter sobre a detenção de jornalistas.

“Condenamos as operações no escritório em Van da Agência Mezopotamya e os 4 jornalistas detidos. As detenções refletem a abordagem vingativa do governo do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP) que se voltou contra o escritório da MA em Van porque alertou a Turquia sobre o incidente em que os moradores foram atirados de um helicóptero”, tuitou o HDP.

Os jornalistas revelaram documentos que confirmam as denúncias de tortura e de os dois homens terem sido atirados de um helicóptero, enquanto os meios de comunicação turcos não noticiaram o incidente ou as denúncias. Por exemplo, a agência de notícias publicou um relatório de hospital dizendo que o motivo da hospitalização inicial dos moradores foi um trauma consistente com uma queda de uma grande altura.

A Anistia Internacional divulgou um comunicado público em 25 de setembro, afirmando que considera as alegações credíveis e apelando a uma “investigação imediata, independente e imparcial” do incidente. A organização acrescentou que está preocupada com o direito das vítimas de acesso à justiça.

O Ministério Público da Van disse na época que estava conduzindo duas investigações criminais, uma sobre os dois homens e outra sobre as alegações de tortura. Mandados de sigilo foram emitidos para ambas as investigações e os advogados das vítimas não conseguiram acessar os arquivos da investigação.

Muitos repórteres da pró-curda MA foram presos no passado por suspeita de pertencimento ao proscrito Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que é designado como organização terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia. O PKK é um grupo separatista armado que conduz uma insurgência no sudeste predominantemente curdo da Turquia há mais de três décadas.

Uğur também foi detido em 23 de agosto de 2016 sob acusações de terrorismo enquanto cobria o “Freedom Watch” realizado em frente à Prisão de Mersin em solidariedade aos escritores presos. Uğur foi submetido a maus tratos, insultos e ameaças de morte, disse ele à PEN International, uma associação mundial de escritores com 145 centros em mais de 100 países, na época.

Em 25 de setembro, 82 políticos do HDP foram detidos durante os protestos de Kobane em 2014, seis anos após os eventos. As detenções foram consideradas parte de uma nova repressão do AKP aos políticos curdos.

Fonte: 4 journalists detained following reports on Kurdish villagers tortured and thrown from helicopter 

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer