Últimas notícias

Tribunal de Auditoria encontra irregularidades financeiras e numerosas despesas não comprovadas no Ministério das Relações Exteriores turco 

Tribunal de Auditoria encontra irregularidades financeiras e numerosas despesas não comprovadas no Ministério das Relações Exteriores turco 
novembro 09
23:21 2022

Em seu relatório para 2021 emitido pelo Tribunal de Contas (Sayıştay), responsável pelas auditorias financeiras das instituições estatais, uma série de irregularidades e omissões foram identificadas no Ministério das Relações Exteriores. De acordo com o relatório, o ministério não apresentou algumas demonstrações financeiras ao tribunal dentro do período exigido por lei. Também declarou que o ministério não conseguiu sanar uma falta de pessoal relacionada à realização de auditorias internas, apesar de ter sido avisado várias vezes no passado. 

O relatório também observa que algumas das despesas incorridas em 2020 aparecem nos registros contábeis como transações em 2021. 

O orçamento do Ministério das Relações Exteriores, que era de 5,4 bilhões de liras em 2020, foi aumentado para 7,01 bilhões de liras em 2021. Enquanto a receita líquida total do ministério em 2020 era de 995,2 milhões de liras, ela aumentou para 2,3 bilhões de liras em 2021.  As despesas aumentaram para 8,9 bilhões de liras, de 7,4 bilhões de liras dentro do mesmo período. 

O relatório do Tribunal de Contas também inclui deficiências e falhas no organograma do ministério. Ele afirmou que as descrições de cargos não foram criadas com base em posições reais, tornando-as difíceis de serem auditadas. Também mencionou que não há uma regulamentação clara no ministério em relação à delegação e aos limites de autoridade.   

A maior deficiência mencionada no relatório é que o ministério não realiza suas próprias auditorias internas nem emprega pessoal suficiente para realizar esta tarefa. 

O relatório alega que devido a um número insuficiente de funcionários no exterior, os funcionários em missões diplomáticas têm que fazer o trabalho de várias pessoas e que isto cria vários riscos financeiros e gerenciais. 

 O Tribunal de Contas também observa que uma comissão do ministério encarregada de auditar as transações financeiras uma vez por ano, de acordo com os regulamentos, não o fez. 

O tribunal sublinhou que embora haja apenas uma pessoa responsável pelas auditorias financeiras no ministério, relatórios anteriores desde 2017 alertaram o ministério que pelo menos 15 auditores internos deveriam ser contratados. 

O relatório também afirma que “embora transações relacionadas a 150 compras de equipamentos, 253 compras de dispositivos, 254 despesas relacionadas a veículos e 255 compras de estoques tenham sido realizadas em 2020, estas foram registradas nos registros contábeis como transações de 2021”.   

O Tribunal de Contas também determinou que para alguns trabalhos de construção realizados na sede do ministério em 2021, os contratos estipulados pela lei não foram executados e os empreiteiros de construção foram pagos sem acordos escritos. 

As despesas com pessoal constituem o maior item das despesas do ministério. 

De acordo com o relatório, um regulamento administrativo relativo ao pagamento de despesas médicas incorridas pelo pessoal e seus familiares que trabalham nas representações no exterior é insuficiente, embora esta situação tenha sido levantada várias vezes no passado. Ironicamente, o Nordic Monitor soube que especialistas do Tribunal de Contas fazem regularmente apresentações sobre auditoria financeira na reunião anual dos embaixadores do ministério. 

O Ministro das Relações Exteriores Mevlüt Çavuşoğlu, que participou de uma reunião do comitê parlamentar sobre o orçamento de 2023 para seu ministério na terça-feira, afirmou que eles estão em estreita cooperação com o Tribunal de Contas. De acordo com Çavuşoğlu, o ministério examina cuidadosamente as conclusões refletidas no último relatório e faz os ajustes necessários. 

Çavuşoğlu também alegou que algumas das deficiências mencionadas no relatório se devem a diferenças na interpretação da legislação, condições extraordinárias no exterior – tais como a guerra na Ucrânia – e lançamentos incorretos nos registros contábeis. 

Falando em um evento comemorativo dos 160 anos do Tribunal de Contas em maio, o Presidente Recep Tayyip Erdoğan reagiu às conclusões do relatório do tribunal que foram divulgadas à mídia e disse: “Não creio que as auditorias das instituições executivas devam ser conduzidas sob a perspectiva de detectar irregularidades e impor sanções”. 

O Nordic Monitor informou anteriormente que a Organização Nacional de Inteligência da Turquia (Milli İstihbarat Teşkilatı, MIT) pela primeira vez não apresentou seu relatório de gastos e ativos ao Tribunal de Contas este ano, desafiando a lei turca, dificultando a supervisão do Parlamento sobre a agência de inteligência. 

Fonte: Audit court finds financial irregularities and numerous unsubstantiated expenditures at the Turkish Foreign Ministry – Nordic Monitor  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer