Últimas notícias

Turquia interrompe conversações de alto nível com Grécia à medida que a divisão cresce 

Turquia interrompe conversações de alto nível com Grécia à medida que a divisão cresce 
junho 02
00:16 2022

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, diz que seu país não manterá mais conversações de alto nível com a vizinha Grécia 

A Turquia não manterá mais conversações de alto nível com a vizinha Grécia, disse o presidente turco Recep Tayyip Erdogan na quarta-feira em meio a tensões crescentes entre os rivais tradicionais. 

Ancara retomou as negociações com Atenas no ano passado, após uma pausa de cinco anos para tratar de diferenças sobre uma série de questões como a exploração mineral no Mediterrâneo oriental e as reivindicações rivais no Mar Egeu. 

“Interrompemos nossas reuniões de alto nível do conselho estratégico com a Grécia”, disse Erdogan a uma reunião dos legisladores de seu partido em Ancara, acrescentando: “Você não aprende nenhuma lição de história? Não tente dançar com a Turquia”. 

As conversações haviam progredido pouco, mas foram um meio para que os dois países pudessem expressar suas queixas sem recorrer a um possível impasse armado, como ocorreu há dois anos. 

O pivô de Erdogan nas conversações parecia ter sido acionado na semana passada quando ele sinalizou seu descontentamento com os comentários feitos pelo primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis durante uma viagem aos Estados Unidos. 

Erdogan disse que Mitsotakis “não existe mais” para ele após acusar o líder grego de tentar bloquear a aquisição pela Turquia de aviões de caça F-16. 

Erdogan também comentou sobre a objeção da Turquia à adesão da Suécia e da Finlândia à OTAN. Ancara reclamou que os Estados nórdicos abrigam suspeitos de terrorismo e armam um grupo na Síria que acusa de ser uma extensão do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, ou PKK, que tem feito uma insurgência de 38 anos dentro da Turquia. 

“A OTAN é uma organização de segurança, não uma organização de apoio a organizações terroristas”, disse ele. 

Os Estados Unidos e a UE classificaram o PKK como um grupo terrorista. Entretanto, é a ala síria, as Unidades de Proteção ao Povo, ou YPG, tem desempenhado um papel de liderança na luta liderada pelos Estados Unidos contra o grupo do Estado Islâmico. 

Erdogan disse que aqueles que tentaram legitimar o PKK com “truques de cartas” estavam “enganando a si mesmos, não a nós”. 

O presidente acrescentou que a Turquia não mudaria sua posição sobre a candidatura sueca e finlandesa à OTAN sem ver “documentos vinculativos” demonstrando uma abordagem mais dura para aqueles que Ankara considera terroristas. 

A primeira-ministra sueca Magdalena Andersson disse numa conferência de imprensa em Estocolmo que está ansiosa para “novas reuniões construtivas” com a Turquia para “resolver quaisquer questões ou mal-entendidos que possam existir”. 

A Suécia tem uma diáspora curda significativa e a maioria das reclamações de Ancara sobre o apoio aos “terroristas” parecem ser dirigidas lá. A Finlândia, por sua vez, tem uma população de língua curda de cerca de 15.000 habitantes. 

A respeito de uma nova operação militar transfronteiriça na Síria, Erdogan disse que a Turquia estava “entrando em uma nova fase” em seu objetivo de criar uma zona de proteção de 30 km ao sul da fronteira. 

O território é controlado por uma administração curda síria e Ankara diz que foi usado para lançar ataques contra a Turquia. 

Erdogan apontou as cidades de Tall Rifat e Manbij como alvos da Turquia como “desobstrução de terroristas”. Ambas ficam a oeste do rio Eufrates enquanto a principal região controlada pelos curdos fica a leste. 

——- 

Karl Ritter, em Estocolmo, Suécia, contribuiu para este relatório. 

Fonte: Turkey breaks off high-level talks with Greece as rift grows – ABC News (go.com)  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer