Últimas notícias

A guerra é uma oportunidade perdida para o alcance da Turquia no Ocidente

A guerra é uma oportunidade perdida para o alcance da Turquia no Ocidente
maio 11
23:40 2022
  • A prisão do filantropo agrava as tensões entre a Turquia e o Oeste 
  • Mover desfaz a boa vontade criada pela mediação da Ucrânia de Erdogan 
  • Ancara quer que sejam levantadas as restrições a sua própria indústria de defesa 
  • As nações ocidentais desconfiam de impulsionar o Erdogan antes das eleições 
  • A Turquia diz que os tribunais são independentes, dispensa críticas 

Antes de viajar para Moscou na semana passada, o Secretário-Geral da ONU Antônio Guterres parou em Ancara para se encontrar com Tayyip Erdogan e elogiar os esforços diplomáticos do líder turco para acabar com a guerra na Ucrânia. 

Menos de duas horas após os dois apertos de mão, uma grande parte da boa vontade que Ancara gerou no Ocidente através de seu papel único de mediador entre as partes em conflito foi desfeita, minando as chances da Turquia de capitalizar os laços de descongelamento. 

O ponto de virada veio quando um tribunal de Istambul condenou um filantropo, Osman Kavala, a prisão perpétua por seu papel em protestos antigovernamentais em 2013, desafiando os apelos ocidentais para libertá-lo em um caso muito aguardado que muitos veem como politicamente motivado. leia mais 

Um diplomata ocidental que assistiu com surpresa quando as manchetes caíram em seu telefone em 25 de abril, disse que a decisão destacou como o governo de Erdogan “não pode ser confiável em algumas questões”, apesar de ter marcado pontos políticos sobre a Ucrânia. 

Outro enviado chamou o veredicto de “o pior cenário possível”. 

Oito diplomatas disseram à Reuters que a decisão foi um golpe nas ambições da Turquia de curar os laços econômicos e políticos desgastados com os países ocidentais, ao mesmo tempo em que permaneceu perto de Moscou – Erdogan se opõe às sanções contra ela. 

Também arrefeceu as esperanças ocidentais de aproximação, disseram eles. 

É uma reversão para a Turquia, que é a única a ter sediado conversações em tempo de guerra entre os ministros das relações exteriores russo e ucraniano e os negociadores da paz. Ancara quer que o Ocidente se prepare para o fim da guerra, incluindo o levantamento gradual das sanções, e que as restrições a sua própria indústria de defesa sejam levantadas. 

Ela também quer mais cooperação com seus aliados da OTAN, incluindo os Estados Unidos, França e Itália, e para aliviar as tensões existentes com o Ocidente no período que antecede as eleições, em meio a crescentes males econômicos. 

A cautela de impulsionar Erdogan antes das eleições de 2023, que pesquisas recentes sugerem que ele poderia perder, também prejudicou as chances de acordos comerciais ou de investimento significativos, incluindo o progresso na atualização de uma união aduaneira da União Europeia, disseram vários dos diplomatas. 

Erdogan e autoridades dizem que a guerra fez com que os aliados percebessem a importância geopolítica da Turquia e que a política equilibrada de Ancara sobre a Ucrânia foi bem-vinda, até mesmo admirada. Os diplomatas entrevistados compartilharam essa avaliação. 

O Ocidente compreende a posição da Turquia sobre as sanções e Ancara não se tornará um paraíso para evitá-las, acrescentam as autoridades turcas. 

No fim de semana, o porta-voz de Erdogan e conselheiro chefe de política externa, Ibrahim Kalin, fez uma visita surpresa a Kiev para se encontrar com o presidente Volodymyr Zelenskiy. Mais tarde, ele disse que discutiu formas de acabar com a guerra. 

AS COISAS PODEM FICAR MAIS DIFÍCEIS 

Se os ataques da Rússia à Ucrânia durarem até o verão, a Turquia, com o segundo maior exército da OTAN, provavelmente ficará sob pressão crescente de Washington e Bruxelas para aumentar seu apoio à Ucrânia, disseram os diplomatas. 

Ela já enviou drones armados para Kiev, bloqueou alguma passagem naval russa para o Mar Negro e barrou os voos russos de e para a Síria. 

A posição da Turquia de facilitar as negociações e se opor às sanções a Moscou por princípio “só pode durar muito tempo”, disse um terceiro diplomata. 

Uma mudança em direção à Ucrânia no conflito poderia levar a Rússia a punir a economia da Turquia, cortando os pesados fluxos turísticos e energéticos, ou ambos, disse a pessoa, sublinhando como a oportunidade poderia se transformar em crise para Ancara. 

O aumento dos custos energéticos devido à guerra já exacerbou a crise monetária da Turquia e mandou a inflação para 61%, complicando as perspectivas de Erdogan nas eleições de meados de 2023. 

Alguns analistas disseram que a decisão de Kavala, pelos tribunais alguns críticos acreditam que são influenciados por Erdogan, serviu para alertar a oposição antes da votação. O presidente pode ter sido encorajado pela cobertura diplomática que a guerra lhe deu, eles acrescentaram. 

“Erdogan não quer ser excluído pelo Ocidente, mas quer que ele o aceite como ele é: como um homem forte da Turquia”, disse Birol Baskan, acadêmico não-residente do Instituto do Oriente Médio, sediado em Washington. 

Durante a segunda das duas décadas de Erdogan no poder, os líderes ocidentais criticaram a repressão da Turquia contra os direitos e a dissidência. A Alemanha convocou o embaixador da Turquia em Berlim por causa do veredicto de Kavala, que Washington também chamou de “injusto”, levando Ankara a convocar o embaixador alemão em resposta. leia mais 

A Turquia diz que seus tribunais são independentes e que está tomando medidas para melhorar o Estado de Direito, mas também descarta as críticas nacionais e internacionais a seu poder judiciário como interferência em seus assuntos internos. 

SANÇÕES E ARMAS 

A posição da Turquia sobre a guerra, incluindo a permissão de voos de Moscou, fez dela um destino de topo para cidadãos russos, fundos e até mesmo bens sancionados, como os iates dos oligarcas. 

Três diplomatas ocidentais disseram que isto poderia levar os Estados Unidos ou a Europa a adotar “sanções secundárias” contra aqueles que fazem negócios com Moscou. leia mais 

“Estamos pedindo a Ankara que aplique nossas sanções”. Se ficar claro que estão sendo quebradas, é provável que sejam aplicadas sanções secundárias”, disse um dos enviados. 

Outra tensão potencial é o desejo da Turquia, compartilhado pelas Nações Unidas, de acabar imediatamente com os combates na Ucrânia e retornar o máximo possível a um mundo em que Ancara equilibre suas relações ocidentais e russas. 

Os Estados Unidos e alguns outros países, ao invés disso, querem que a guerra termine nos termos corretos. O Secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, disse na semana passada que Washington quer ver Moscou “enfraquecida” para que ela não possa invadir novamente. 

Ainda assim, espera-se que a Turquia repensará sua relação com a Rússia. 

A compra de Ancara das defesas S-400 russas levou os Estados Unidos a sancionar a Turquia em 2020 e a esfriar os laços. 

No entanto, seu pedido de 40 caças F-16 feitos pelos EUA no ano passado, combinado com a cooperação sobre a Ucrânia, poderia abrir o caminho para um compromisso sobre a exigência de Washington de que a Turquia abandonasse os S-400, disseram três diplomatas. leia mais 

Disseram que a intensificação das conversações sobre a possível compra das defesas contra mísseis SAMP-T da Franco-Italiana Eurosam também refletiu uma nova e mais focada cooperação da OTAN. leia mais 

Relatório adicional por Ece Toksabay; Edição por Mike Collett-White e William Maclean 

Fonte: Analysis: War a lost opportunity for Turkey’s westward outreach | Reuters  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer