Últimas notícias
  • Bancos turcos adotando o sistema de pagamentos russo Cinco bancos turcos assumiram o sistema de pagamentos russo conhecido como Mir, disse no sábado o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan, após suas conversas com o presidente Vladimir Putin no resort do Mar Negro de Sochi.  ...
  • Putin tem a chave para a reeleição de Erdoğan, diz o analista russo O contínuo apoio político e financeiro do presidente russo Vladimir Putin é necessário para que o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan ganhe a reeleição no próximo ano, disse um importante analista russo na segunda-feira, refletindo sobre uma reunião entre eles em Sochi, Rússia, que gerou alarme nas capitais ocidentais. ...
  • Usina nuclear na Ucrânia é bombardeada A Rússia e a Ucrânia trocaram acusações na segunda-feira de que cada lado está bombardeando a maior usina nuclear da Europa, no sul da Ucrânia. A Rússia alegou que o bombardeio ucraniano causou um aumento de energia e incêndios e forçou o pessoal a baixar a produção de dois reatores, enquanto a Ucrânia culpou as tropas russas por armazenarem armas lá. ...
  • Turquia está construindo fábrica de drones na Ucrânia para combater as forças de Putin A empresa turca Baykar, que produz os muito amados drones de ataque "Bayraktars" da Ucrânia, está atualmente no processo de construção de uma fábrica em território ucraniano, segundo o embaixador da Ucrânia na Turquia, Vasyl Bodnar. ...
  • Inflação anual do Istambul atinge a maior alta de 99% em 24 anos Os preços de varejo na maior cidade da Turquia e centro comercial da Istambul aumentaram 4,09% mês a mês em julho, para uma taxa anual de 99,11%, a maior inflação da cidade desde fevereiro de 1998, informou a mídia local na segunda-feira, citando dados da Câmara de Comércio Istambul (İTO). ...
  • Turquia e Rússia devem atuar em cooperação contra o terrorismo na Síria O presidente russo Vladimir Putin e o presidente turco Tayyip Erdogan confirmaram a determinação de agir em cooperação contra organizações terroristas na Síria, de acordo com uma declaração conjunta após sua reunião bilateral. ...
  • Rússia está usando usina nuclear como ‘escudo’, situação ‘fora de controle’, dizem as autoridades  As autoridades internacionais estão cada vez mais alarmadas com a situação de segurança na usina elétrica de Zaporizhzhia, a maior usina nuclear da Europa, com o embaixador americano na Ucrânia na quarta-feira acusando as forças russas de usá-la como "escudo nuclear" - disparando contra os ucranianos em torno da instalação, sabendo que eles não podem atirar de volta por medo de desencadear uma catástrofe nuclear. ...
  • Inflação na Turquia sobe para quase 80%, atingindo os consumidores A inflação anual na Turquia subiu para quase 80% em julho, dados oficiais mostraram na quarta-feira, com os preços dos alimentos, da habitação e da energia atingindo duramente os consumidores. ...
  • O poder de longo alcance de Erdoğan: 3 austro-turcos detidos por suspeita de espionagem O Ministério do Interior austríaco confirmou que três turcos austríacos foram detidos em junho por suspeita de espionagem de dissidentes para a Organização Nacional de Inteligência da Turquia (MİT) e foram libertados aguardando julgamento após interrogatório, informou a Turkish Minute. ...
  • Vítimas da repressão pós-golpe de Erdoğan presas na Turquia depois de rejeitas pela Grécia Três turcos que enfrentavam a prisão por acusações falsas de terrorismo como parte de uma repressão lançada pelo presidente Recep Tayyip Erdoğan após uma tentativa de golpe em 2016 e foram forçados de volta pela Grécia no início de julho, depois de terem fugido através da fronteira, foram presos pelas autoridades turcas, informou a Turkish Minute na quarta-feira. ...

Campanha da Turquia para punir ONGs estrangeiras na ONU continua 

Campanha da Turquia para punir ONGs estrangeiras na ONU continua 
março 18
20:39 2022

A campanha global da Turquia para ir atrás de organizações não governamentais que criticam o governo do Presidente Recep Tayyip Erdoğan sobre uma série de questões continua sem parar, sendo o último alvo uma ONG proeminente, com sede em Genebra, que combate o crime organizado transnacional. 

Em carta enviada ao escritório das Nações Unidas em Viena, o governo turco pediu à ONU que impedisse a Iniciativa Global contra o Crime Organizado Transnacional, também conhecida como Iniciativa Global, de participar dos procedimentos da ONU. 

Ancara alegou que a ONG, que é composta de uma rede de profissionais da aplicação da lei, governança e desenvolvimento e estava ligada a um grupo terrorista sem fornecer nenhuma prova que apoiasse a alegação. A organização foi inicialmente estabelecida com financiamento e apoio operacional dos governos tanto da Noruega como da Suíça. 

A ação turca segue um padrão contínuo de esforços incansáveis e sistemáticos do governo Erdoğan para suprimir as ONGs internacionais que estão envolvidas em trabalhos que podem ser críticos para a Turquia. No passado, a Turquia bloqueou a participação de ONGs estrangeiras em eventos da ONU, citando reivindicações semelhantes e acusações falsas de nivelamento que provocaram uma onda de críticas dos países que hospedam essas ONGs em seus territórios. 

A perseguição da Turquia às ONGs estrangeiras veio depois que o governo Erdoğan fechou bem mais de mil ONGs na Turquia em 2016 e 2017, novamente sob acusações de terrorismo forjado. 

A carta enviada em 20 de dezembro de 2021 pelo Embaixador Ahmet Muhtar Gün, representante permanente da Turquia no Escritório das Nações Unidas em Viena, alegava que a Iniciativa Global apoiava o movimento Gülen, um crítico do governo turco em uma série de questões, desde a corrupção até a ajuda e cumplicidade da Turquia a grupos armados jihadistas. 

O movimento passou por uma repressão na Turquia após as investigações de corrupção de dezembro de 2013 que incriminaram Erdoğan, seus familiares e seus associados comerciais e políticos. Apesar da esmagadora evidência de crime, Erdoğan descartou as alegações de corrupção, demitiu os promotores e chefes de polícia envolvidos e abafou as sondas de enxerto. 

Erdoğan alegou que as sondas foram um golpe contra seu governo e acusou o movimento de ser o mestre da investigação, uma alegação que o movimento negou. Nos últimos anos, muitos meios de comunicação, ONGs e indivíduos que criticaram o governo Erdoğan por corrupção generalizada foram alvo de ataques ferozes, com muitos enfrentando investigações criminais e processos maliciosos sob acusações falsas de terrorismo. 

 A Turquia segue o mesmo roteiro de fabricar acusações de terrorismo para difamar ONGs estrangeiras e abusar de mecanismos internacionais para reprimir críticas, intimidar aqueles que ousam falar contra as políticas da Turquia e silenciar vozes críticas em plataformas globais. A ação da missão turca contra a Iniciativa Global teve como objetivo punir a ONG, negando sua participação em um próximo evento da ONU intitulado “Reunião do Comitê Ad Hoc para Elaborar uma Convenção Internacional Abrangente de Combate ao Uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) para Fins Criminais”. 

A reunião teve como objetivo promover e fortalecer medidas para prevenir e combater o uso das TICs para fins criminosos e crimes cibernéticos, ao mesmo tempo em que protege os usuários das TICs de tal crime. Ela esperava facilitar e apoiar a cooperação internacional na prevenção e combate ao uso das TICs para fins criminais/crimes cibernéticos. A ONU espera fornecer ferramentas práticas para melhorar a assistência técnica entre os estados membros e desenvolver a capacidade das autoridades nacionais para prevenir e combater o uso das TICs para fins criminosos. 

Para isso, a ONU trabalha ativamente com o setor privado, ONGs, sociedade civil e acadêmicos para promover sua agenda, e muitas ONGs cujo trabalho se concentra no crime transfronteiriço foram definidas para participar do evento. Entretanto, a Turquia alegou que a ONU é uma organização intergovernamental e que o evento deve ser liderado pelos Estados membros. A objeção da Turquia foi rejeitada pela ONU, o que motivou a segunda e terceira cartas da Missão Turca junto à ONU em Nova York, em 24 de fevereiro de 2022. 

A campanha turca não conseguiu impedir que a ONG participasse da reunião na sede da ONU de 28 de fevereiro a 11 de março de 2022. Mark Shaw fez comentários em nome da Iniciativa Global e expressou seus agradecimentos ao presidente e ao secretariado por terem avançado. 

Embora a Turquia não tenha conseguido impedir a participação da Iniciativa Global no evento da ONU, recentemente conseguiu bloquear oito ONGs – que nem sequer estão presentes na Turquia – como observadores em uma conferência anticorrupção, citando acusações infundadas de terrorismo. A Turquia enviou duas cartas em 28 de setembro e 24 de novembro de 2021 declarando sua oposição à participação das oito ONGs – Access Info Europe (Espanha), Alliance on Civic Initiatives Promotion (Quirguistão), Central Asia Research Institute on Corruption and Money Laundering (Quirguistão), Expert Forum (Romênia), Integrity Initiatives International (EUA), The Good Lobby (Itália), Transparency International (Geórgia) e EUROTHINK – Center for European Strategies (Macedônia do Norte). 

Os estados membros da UE, bem como os EUA, Reino Unido, Austrália e vários outros destacaram o papel negativo da Turquia em impedir a participação das ONGs na conferência. Falando em nome de 41 estados membros, incluindo países da UE, um diplomata esloveno disse que as organizações não-governamentais desempenharam um papel fundamental no apoio à luta global contra a corrupção. Um diplomata norte-americano também criticou a Turquia, dizendo que não havia provas adequadas para impedir a participação de ONGs no evento e lamentou que vários estados partes tivessem usado a sessão da conferência para promover interesses que estavam fora do escopo da convenção. 

Um diplomata da União Europeia advertiu então que as objeções da Turquia abriram um precedente perigoso, pois nenhuma das organizações não-governamentais estava sediada no país que se opunha a elas. Ele rejeitou as acusações do governo turco de terrorismo contra as ONGs e sublinhou que a União Europeia tinha sérias preocupações em relação à objeção da Turquia à participação das oito organizações não-governamentais. 

A Turquia tinha ido atrás das ONGs na ONU no passado. Em 2017, a pedido especial da Turquia, o Comitê sobre Organizações Não-Governamentais cancelou o status consultivo no Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC) de Kimse Yok Mu, o grupo de defesa da liberdade de imprensa da Fundação de Jornalistas e Escritores (GYV) e a Confederação Turca de Empresários e Industriais (TUSKON), todos filiados ao movimento Gülen, um crítico do governo turco. 

Sem apresentar nenhuma evidência ligando essas ONGs a qualquer violência ou terrorismo e simplesmente citando o fato de que elas haviam sido fechadas pelo governo com decretos-lei sob um estado de emergência e, portanto, haviam deixado de existir, os diplomatas turcos na ONU pediram ao comitê que retirasse seu status consultivo junto à ONU. Nenhuma das ONGs teve a oportunidade de se defender contra as graves acusações ou de apresentar seu caso perante o comitê. 

A GYV retirou suas operações da Turquia e se registrou como uma ONG nos Estados Unidos, após uma repressão sem precedentes contra as ONGs na Turquia. No entanto, isso não ajudou o GYV a perder seu status oficial na ONU devido à campanha de lobby do governo turco. 

Entre as 1.325 associações e fundações na Turquia encerradas sob acusações de terrorismo em 2016 e 2017 por decretos governamentais que não estão sujeitas a nenhum escrutínio judicial ou legislativo efetivo estão a saúde, esportes, educação, caridade, sindicalismo e outros grupos de defesa que aparentemente não têm nada a ver com terrorismo ou qualquer outro crime, como a Fundação de Ontologia Médica da Anatólia, a Fundação de Oncologia Gastrointestinal e a Associação Saúde para Todos. Eles foram alvo por causa do perfil inconstitucional do governo, visando críticos, minorias, opositores e qualquer outra pessoa que não esteja disposta a seguir a linha do governo islâmico na Turquia. 

por Abdullah Bozkurt 

Fonte: Turkey’s campaign to punish foreign NGOs at UN continues unabated – Nordic Monitor  

Marcadores

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer