Últimas notícias
  • Zelensky, da Ucrânia, recebe o chefe da ONU e líder da Turquia Como potencial corretor de poder, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan usará sua primeira visita à Ucrânia desde que a guerra começou há quase seis meses para buscar maneiras de expandir a exportação de grãos do celeiro da Europa para os necessitados do mundo. O Secretário Geral da ONU, António Guterres, usará sua visita para se concentrar em conter a situação volátil em uma usina nuclear ocupada pela Rússia. ...
  • Banco Central da Turquia corta taxas em Decisão Surpresa Os investidores venderam a lira e os títulos em dólares da Turquia depois que o banco central baixou sua taxa principal para 13%. ...
  • 168 jornalistas turcos compareceram no tribunal em 3 meses Um total de 168 jornalistas apareceram em audiências em seus julgamentos na Turquia de abril a junho, de acordo com um relatório recente preparado pelo projeto Expression Interrupted e publicado pela mídia turca. ...
  • Homem preso por ligações com Hizmet morre um dia antes do previsto para sua libertação Ramazan Açıkgöz, que foi condenado por supostos vínculos com o movimento Hizmet, morreu de um ataque cardíaco na terça-feira à noite, um dia antes de ser libertado da prisão, informou o site de notícias Bold Medya. ...
  • Tensões entre Grécia e Turquia se exaltam por causa das controversas reivindicações às ilhas Turquia acusou a Grécia de militarizar as ilhas dadas aos gregos na condição de não as armar, alimentando as tensões entre os dois países. ...
  • Autoridade turca duvida de notícia sobre nova venda de sistema de defesa aérea russa Uma agência noticiosa estatal russa disse na terça-feira que a Rússia e a Turquia haviam assinado um contrato para enviar a Ankara um segundo lote de sistemas de defesa aérea S-400, mas um funcionário da defesa turca imediatamente lançou dúvidas sobre o relatório. ...
  • Mais dois navios com grãos partem da Ucrânia, diz o Ministério da Defesa da Turquia  Mais dois navios transportando grãos que saíram dos portos do Mar Negro da Ucrânia no sábado, disse o Ministério da Defesa da Turquia, elevando para 16 o número total de navios a sair do país sob um acordo entre a ONU e a Turquia. ...
  • [ANÁLISE] Erdoğan aumenta o domínio sobre as TSK para facilitar a colaboração com regimes autoritários  O mundo está evoluindo de uma ordem mundial unipolar dominada por um único poder para um sistema político multipolar no qual mais de um poder luta pelo domínio. Na atual luta de grandes potências, o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan acredita que pode manter seu poder político aliando-se à Rússia, China e Irã. Após sua reunião bilateral com o presidente russo Vladimir Putin em Sochi em 5 de agosto, Erdoğan disse aos repórteres que Putin o havia convidado para uma reunião da Organização de Cooperação de Xangai (SCO) a ser realizada no Uzbequistão de 16 a 18 de setembro de 2022. Como o Erdoğan explica que, como presidente de um país membro da OTAN, ele possa participar de uma reunião da SCO, que reúne regimes autoritários? Qual é a conexão entre a estreita cooperação do Erdoğan com os regimes autoritários e os regulamentos que levaram ao domínio do Erdoğan sobre as Forças Armadas Turcas (TSK) após uma tentativa de golpe na Turquia em 15 de julho de 2016? ...
  • “Eles estão nos matando”: Migrantes presos em uma pequena ilha pedem ajuda A organização AGreek de direitos humanos tem chamado as autoridades para ajudar dezenas de migrantes e requerentes de asilo que dizem ter ficado presos em uma pequena ilha fluvial na fronteira entre a Grécia e a Turquia. O Conselho Grego de Refugiados disse à CBS News que o contato com o grupo foi perdido na quarta-feira depois que uma jovem entre o povo desesperado foi alegadamente morta por um escorpião esta semana. ...
  • Envolvimento da Turquia com o Afeganistão cresceu desde a tomada do Talibã Enquanto muitos países cortaram os laços diplomáticos com o Afeganistão após o retorno do Talibã ao poder no ano passado, a Turquia, o único membro da OTAN com presença diplomática no país devastado pela guerra, tem sido ativa em muitas frentes. ...

Ucrânia mostra que Putin colocou a Turquia em uma armadilha

Ucrânia mostra que Putin colocou a Turquia em uma armadilha
março 17
23:15 2022

A resposta da Turquia à guerra na Ucrânia mostra que o presidente russo Vladimir Putin conseguiu apanhar Ancara, segundo Hamit Bozarslan, diretor do Centro de Estudos Turcos, Otomanos, Balcânicos e da Ásia Central na Escola de Estudos Avançados em Ciências Sociais (EHESS) em Paris, França. 

Ancara tem procurado até agora manter um ato de equilíbrio sobre o conflito, mantendo boas relações tanto com Moscou quanto com Kiev. Mas em uma entrevista com a agência de notícias Mezopotamya, Bozarslan disse que a Turquia tinha ficado com poucas outras opções. Em vez disso, as relações econômicas com a Rússia, e a cooperação com Moscou na Síria, deixaram a Turquia quase sem espaço de manobra e com poucas esperanças de reconstruir as relações com o Ocidente.  

 Segue abaixo uma reprodução completa da entrevista traduzida por Medya News: 

Primeiro, eu quero perguntar: de quem é esta guerra? Dos povos, dos Estados, ou das grandes potências? 

Precisamos olhar a literatura política dos últimos 20 anos e a retórica de Putin para entender esta guerra. Um discurso de Putin, em 21 de fevereiro, é de grande significado. Foi um discurso muito longo que consistiu em 11 páginas. Na 9ª página, Putin diz: “Não existe tal coisa como o povo ucraniano; a Ucrânia nunca existiu”. A Ucrânia é igual ao comunismo. O comunismo estabeleceu a Ucrânia, Lênin a estabeleceu; Stalin tentou corrigir os erros de Lênin, mas ele não teve sucesso”. 

O que vemos aqui é uma rejeição total da existência do povo. Putin quer se vingar da história. Você pôde sentir isto em sua retórica durante os últimos 20 anos, mas ninguém quis levar isto a sério. Putin vê o período atual como uma chance de se vingar do passado. Vingar-se do passado” resulta da autopercepção de Putin como o fundador de um império. 

Há três ou quatro fundadores de impérios na história da Rússia. O primeiro é Vladimir, o tzar que fundou o império russo. Há Ivan, o quarto. Depois há Stalin. Putin quer ter seu nome mencionado nos livros de história como o quarto ou o quinto fundador de um império. É crucial entender isto porque não se trata de uma guerra entre dois povos. A Ucrânia nunca atacou a Rússia. Não há nenhum grande conflito armado anterior, exceto por confrontos no Donbass. Este é um caso de completa negação por Putin da Ucrânia e do povo ucraniano. 

Muitos países estão aplicando sanções contra a Rússia, e esta situação é susceptível de criar problemas para o mundo inteiro, um dos quais é uma crise petrolífera. O presidente americano Biden conversou recentemente com o presidente venezuelano Maduro para um acordo petrolífero. O equilíbrio de poder entre a Rússia e os Estados Unidos está mudando? 

É muito cedo para tentar responder a tais perguntas. Talvez possamos dar algumas respostas dentro de alguns meses, ou talvez um pouco mais tarde, no outono. Anteriormente havia uma certa confiança na Europa para Putin, e ele era visto como “um homem de sua palavra”. Ninguém estava esperando tal ataque na Europa. Os líderes europeus estão agora em posição de aceitar que não há outra alternativa senão aliar-se com os Estados Unidos. A Europa nunca esteve tão próxima dos Estados Unidos e da OTAN nos últimos 20 anos como está agora. 

Podemos também dizer que Putin cometeu um enorme erro de cálculo. A Europa pode passar por uma crise por causa desta guerra, e pode ver alguma agitação social. Mas a crise da COVID-19 já mostrou que os países europeus podem ter grandes déficits orçamentários quando necessário. Em outras palavras, a Europa é financeiramente forte. Talvez testemunharemos uma diminuição da dependência de petróleo e gás no mundo, o surgimento de novas tecnologias, a descoberta de novas fontes de energia e uma maior tolerância a governos antidemocráticos, como o de Maduro. 

A guerra também afeta a Turquia. A Turquia é dependente da Ucrânia e ainda mais da Rússia para muitas importações. Como você acha que a guerra pode afetar a Turquia? 

Em primeiro lugar, podemos dizer que a Turquia foi, de certa forma, levada cativa pela Rússia. Isto foi demonstrado muito claramente na Síria. A Rússia não odeia os curdos, não odeia de forma alguma. Mas eles ainda podem perder Afrin muito facilmente. Depois que a Turquia bombardeou Afrin por 72 dias e eventualmente o transformou completamente em uma terra de jihadistas, foi realizada uma limpeza étnica e a Rússia não mostrou a menor reação, exceto por algumas palavras sobre os direitos humanos. 

A Turquia não depende hoje da Ucrânia. A Turquia pode facilmente se dar ao luxo de sacrificar suas relações com a Ucrânia. Lembramos como os turcos uyghur foram sacrificados anteriormente. Amanhã, provavelmente serão os palestinos. Não vemos muita preocupação e simpatia para com os oprimidos na Turquia. Pelo menos em termos de políticas do Erdoğan (…) também será muito caro agora se a Turquia tentar fazer um movimento contra a Rússia. Um custo econômico, principalmente. A Turquia tem uma grande dependência em gás natural e petróleo. Além disso, a presença da Turquia em Afrin e Idlib só é possível com a permissão da Rússia. 

Portanto, é impossível pensar que a Turquia tenha qualquer capacidade de manobra. Seria verdade dizer que Erdoğan também busca vingança histórica. O objetivo de destruir a Rojava (Norte e Leste da Síria) foi parte disso. Hoje, os ataques contra o Curdistão do Sul (Curdistão Iraquiano) são demonstrações claras do tipo de império que a Turquia pretende construir. 

Podemos concluir que o profundo medo histórico da Turquia em relação aos curdos os impede de apoiar o mesmo lado na guerra em curso? 

Este medo moldou as políticas da Turquia na Síria. Mesmo a compra de S-400s está relacionada a este medo histórico. Este é um medo que a Turquia nunca consegue transcender. Assim como Putin não aceita a existência de ucranianos, a Turquia não aceita a existência de curdos. A Turquia não os aceita como um agente social na história. Portanto, eles são incapazes de implementar qualquer outra política que não seja a guerra. Embora existam alguns períodos de reforma, esta dura apenas um ou dois anos, após os quais eles (…) retornam às suas políticas tradicionais de atingir os curdos. 

Um dia, talvez depois que o atual secretário da OTAN deixar o cargo, a Turquia possa ser solicitada a ser mais leal à OTAN. É impossível adivinhar o que eles farão em tal situação. Sim, a Turquia não foi especificamente visada pela Rússia no contexto da guerra da Ucrânia, mas Putin encurralou a Turquia por meio da guerra. 

Que tipo de armadilha? 

A mensagem (entregue pela Rússia à Turquia) é: “Você não pode se separar de mim; você não pode se aproximar da Europa ou dos Estados Unidos”. Vocês estão sob o meu domínio”. 

– Prof. Hamit Bozarslan 

Fonte: Ukraine shows Putin has trapped Turkey – Prof. Hamit Bozarslan | Ahval (ahvalnews.com)  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer