Últimas notícias

Babacan insinua que governo AKP cometeu fraude em eleições passadas

Babacan insinua que governo AKP cometeu fraude em eleições passadas
novembro 10
15:49 2021

O líder do Partido Democracia e Progresso (DEVA), da oposição, e ex-vice-primeiro-ministro turco, Ali Babacan, deu a entender que o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), no poder, se envolveu em fraude em eleições passadas, informou a mídia local na segunda-feira. 

Babacan renunciou ao AKP, do qual foi membro fundador, em 2019, citando preocupações e discordâncias sobre sua direção. Após meses de rumores circulando sobre seus planos de estabelecer um novo partido para desafiar o governo do AKP, ele revelou o DEVA em março de 2020. 

Babacan na segunda-feira falou sobre como realizar eleições justas durante um programa na FOX TV, dizendo que ele havia testemunhado fraudes eleitorais na Turquia no passado. 

“É necessário vencer as eleições por uma ampla margem para que ninguém possa trapacear. As urnas eleitorais devem ser protegidas. As urnas dos não-eleitores foram carimbadas e utilizadas para [o benefício de] um único partido. Já vimos isto antes”, afirmou. 

Seus comentários foram considerados por muitos como uma confissão de que o AKP, no poder, havia recorrido à fraude em eleições anteriores. 

“Babacan deixou escapar durante um programa na FOX que o AKP tinha fraudado eleições”, disse o jornalista Said Sefa em um tweet na segunda-feira. 

Um jornalista proeminente e legislador do Partido dos Trabalhadores da Turquia (TİP), Ahmet Şık, também na segunda-feira perguntou a Babacan no Twitter a quais eleições ele havia se referido como fraudadas. 

“Por ‘um único partido’, você estava se referindo ao AKP, ou [seu aliado de direita, o Partido do Movimento Nacionalista] MHP? Você fazia parte do AKP na época das eleições fraudadas? Por que você não se opôs [à fraude eleitoral]? Por que você não revelou isto até agora”? Şık tweetou. 

OAKP, que está no poder desde 2002, é acusado de fraudar as eleições desde um referendo em 2017 sobre emendas constitucionais que permitiriam ao país passar de um sistema parlamentar para uma presidência executiva. 

Destituir ministros e o parlamento, emitir decretos, declarar estados de emergência e nomear figuras para cargos-chave, incluindo o judiciário, são alguns dos poderes que o novo sistema deu ao Presidente Recep Tayyip Erdoğan. Ele também permitiu ao presidente manter a filiação a um partido político, o que era anteriormente proibido pela Constituição, pois se esperava que o presidente agisse com imparcialidade. 

Fonte: Former party heavyweight hints AKP gov’t committed fraud in past elections – Turkish Minute  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer