Últimas notícias

“A Petrobrás é um problema”, disse Bolsonaro no G20 a Erdogan

“A Petrobrás é um problema”, disse Bolsonaro no G20 a Erdogan
outubro 30
16:35 2021

Um dia depois que a Petrobrás perdeu R$ 23 bilhões em valor de mercado por medo de interferência política do governo, o presidente Jair Bolsonaro disse no sábado, durante a cúpula dos G20 em Roma, que a empresa estatal era “um problema”. Esta declaração foi feita em uma conversa informal com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que se referiu aos grandes recursos petrolíferos do Brasil. 

“A Petrobrás é um problema, mas estamos quebrando os monopólios com uma reação maciça”. Não faz muito tempo, era uma empresa partidária. Nós mudamos isso”, disse Bolsonaro a Erdogan através de um intérprete. A gravação do diálogo foi publicada pelo jornalista Jamil Chad, da Universidade de Awale. 

Em meio à dificuldade de conter o aumento dos preços dos combustíveis que afetava a popularidade do governo, o Presidente e Ministro da Economia Paulo Guedes lançou uma série de ataques à Petrobrás nas últimas semanas. Em uma transmissão ao vivo nas redes sociais na última quinta-feira, o CEO declarou que a empresa estatal deveria ter menos lucro, o que fez com que as ações da empresa caíssem na bolsa de valores. 

Bolsonaro também disse a Erdogan que a economia brasileira está se recuperando da crise da COVID-19. “A economia está voltando muito forte”. A mídia, como de costume, está atacando. Estamos indo bem”. Não é fácil ser o chefe de um país em qualquer parte do mundo”, disse ele, sem se referir à inflação em ascensão. A alta dos preços levou o banco central a aumentar a taxa de juros-chave do país, Selic, em 1,5 pontos percentuais, para 7,75%, o maior aumento desde 2002. 

O presidente brasileiro também disse a seu colega turco que tem um apoio popular muito alto, quando na verdade setores dentro do governo não tomam a reeleição como certa. Não admira que o Palácio Planalto tenha decidido lançar um Auxílio Brasil impulsionado com apenas R$ 400 até o final do ano eleitoral, com o objetivo de impulsionar a popularidade de Bolsonaro. 

“E quando serão as eleições?” Erdogan perguntou ao presidente brasileiro durante a conversa. Bolsonaro respondeu: “Daqui a 11 meses”. “Isso significa que você ainda tem muito a fazer, algo a fazer”, acrescentou Al-Turki. Nós temos uma boa equipe de ministros. Eu não aceitei indicações de ninguém. Vocês honraram as forças armadas. O presidente tentou insistir com um terço dos ministros das Forças Armadas. 

Bolsonaro está participando da reunião do G20 em Roma com os ministros Guedes e João Roma (cidadania), Walter Braga Neto (defesa) e Carlos Franca (relações exteriores) e participará, entre hoje e amanhã, além das reuniões bilaterais, de painéis de discussão sobre economia, meio ambiente e saúde pública. Os três temas são sensíveis para o governo, em meio a críticas sobre a política ambiental e a situação durante a pandemia. 

E na segunda-feira, 1º de novembro, após a cúpula, o presidente se dirigirá à cidade italiana de Anguillara Veneta, onde seus ancestrais viveram, para receber o título de cidadão local. O projeto que homenageia o presidente foi aprovado sob crítica. Na sexta-feira, dia 29, ativistas ambientais pintaram o quadro “Ott, Bolsonaro” na prefeitura. 

De acordo com sua agenda pessoal no Anguillara Veneta, Bolsonaro não participará da COP-26, um evento sobre mudança climática que contará com a presença dos principais líderes mundiais. O Governo é representado pelo Ministro do Meio Ambiente Joaquim Pereira Leite. 

Osbert Jordan 

Fonte: “Petrobras is a problem,” Bolsonaro said at the G20 to the Turkish president (sivtelegram.media)  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer