Últimas notícias

Parceiros ou rivais? Rússia e Turquia navegam em uma aliança incômoda

Parceiros ou rivais? Rússia e Turquia navegam em uma aliança incômoda
setembro 28
16:09 2021

As compras de defesa da Turquia da Rússia alarmaram os parceiros da OTAN de Ancara, mas os dois países continuam rivais nas guerras desde o Oriente Médio até o Cáucaso, ressaltando as fissuras que percorrem sua estranha aliança.

A Turquia comprou sistemas de defesa antimísseis russos e poderia comprar mais equipamentos de Moscou. Ela importa gás russo, recebe milhões de turistas russos e diz que a adesão à aliança ocidental da OTAN não é uma barreira para a construção de laços com Moscou.

Mas também enviou tropas para o norte da Síria para empurrar para trás as forças do governo sírio apoiadas pela Rússia, e os dois países apoiaram lados rivais nas guerras da Líbia e Nagorno-Karabakh.

Antes da cúpula de quarta-feira entre Vladimir Putin e Tayyip Erdogan, segue um resumo dos laços que unem e das fendas que dividem Moscou e Ancara.

RIVAIS REGIONAIS

– Na Síria, a Turquia apoia os combatentes que uma vez pareceram estar perto de derrubar o Presidente Bashar al-Assad, até que a intervenção russa escorou o líder sírio e ajudou a levar os insurgentes de volta para um pequeno grupo do noroeste da Síria na fronteira com a Turquia.

Em fevereiro de 2020, quando um ataque aéreo matou pelo menos 34 soldados turcos, a Turquia derramou reforços na região noroeste de Idlib para empatar os avanços das forças do governo sírio apoiado pela Rússia, que havia desalojado 1 milhão de pessoas.

No período que antecedeu a cúpula desta semana, os combatentes rebeldes apoiados pela Turquia dizem que a Rússia intensificou os ataques aéreos.

Dizem que a Turquia voltou a enviar mais forças para a região, embora as autoridades em Ancara digam que foram principalmente rotações de tropas, em vez de reforços.

– Na Líbia, a intervenção militar da Turquia voltou atrás em um ataque ao governo internacionalmente reconhecido em Trípoli pelas forças baseadas no leste de Khalifa Haftar.

Especialistas das Nações Unidas dizem que o Grupo Wagner russo enviou caças para apoiar as forças de Haftar, enquanto a Turquia enviou caças sírios para apoiar o governo de Trípoli.

Sob um cessar-fogo alcançado em outubro passado, os caças estrangeiros deveriam ter partido até janeiro, um prazo que todos os lados parecem ter ignorado.

– A Turquia apoiou o ataque militar do Azerbaijão para expulsar as forças étnicas armênias de grande parte do montanhoso enclave Nagorno-Karabakh, no sul do Cáucaso, em novembro passado.

Moscou tem um pacto de defesa com a Armênia e vê a região em seu flanco sul, composto de antigas repúblicas soviéticas, como parte de seu próprio quintal. Putin intermediou um acordo de paz para evitar uma derrota total das forças étnicas armênias.

– A Turquia não reconheceu a anexação da Crimeia à Rússia e diz ser importante manter a soberania da Ucrânia – uma mensagem que irritou Moscou e que Erdogan repetiu nas Nações Unidas na semana passada.

Quando Erdogan se comprometeu em abril a apoiar Kiev em meio a uma acumulação de forças russas ao longo da fronteira ucraniana, a Rússia advertiu a Turquia para não alimentar o “sentimento militarista”.

PARCERIA

– Há dois anos, a Turquia recebeu baterias de mísseis de defesa S-400 russos, o que acabou desencadeando sanções dos EUA contra as indústrias de defesa de Ancara.

Apesar dos avisos de Washington de que novas compras de armas russas trariam sanções adicionais aos EUA, Erdogan disse que nenhum país poderia ditar as aquisições de Ancara e sugeriu que compraria um segundo lote de S-400s.

– Até agora, a Rússia foi responsável por cerca da metade das importações de gás para a Turquia, que é altamente dependente de importações para suas necessidades energéticas, depois de ter caído para um terço no ano passado, quando um gasoduto principal esteve em reparo por quatro meses.

A recuperação do consumo em relação à queda induzida pela pandemia do ano passado também impulsionou os volumes de gás russo.

– Sete milhões de turistas russos visitaram a Turquia em 2019, o maior número de qualquer país, antes que a pandemia cortasse drasticamente as viagens ao exterior. O turismo continua sendo uma fonte significativa de moeda forte para a economia turca.

– O conglomerado nuclear russo Rosatom está construindo uma usina nuclear em Akkuyu, no sul da Turquia, que Putin disse que começará a funcionar em 2023.

Reportagem de Dominic Evans e Can Sezer Editing de Gareth Jones

Fonte: https://www.reuters.com/world/middle-east/partners-or-rivals-russia-turkey-navigate-awkward-alliance-2021-09-28/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer