Últimas notícias

Abuso da INTERPOL pela Turquia de Erdogan

Abuso da INTERPOL pela Turquia de Erdogan
agosto 24
16:29 2021

O Stockholm Center for Freedom publicou na terça-feira um relatório focado em como o governo turco, sob a presidência de Recep Tayyip Erdoğan, tem abusado da INTERPOL de diversas maneiras. 

O governo Erdoğan utilizou o Sistema Internacional de Notificação, como os Avisos Vermelhos e as difusões, para atingir adversários políticos que nada mais fizeram do que criticar o governo. Da mesma forma, também tem abusado do Banco de Dados de Documentos de Viagem Roubados e Perdidos (SLTD) da INTERPOL, apresentando dezenas de milhares de notificações para críticos e oponentes que, em muitos casos, nem mesmo tinham conhecimento de que seus passaportes haviam sido invalidados. Em vários casos, algumas dessas pessoas ficaram retidas em aeroportos internacionais ou foram detidas antes de serem libertadas ou, nos piores casos, foram entregues a agentes turcos e acabaram em prisões turcas. 

“O governo turco deve ser responsabilizado por abusar do sistema INTERPOL para cometer violações dos direitos humanos”, disse a Drª. Merve R. Kayıkcı, diretora de pesquisa do Centro de Estocolmo para a Liberdade. “É encorajador ver que a Secretaria Geral da organização tomou medidas consideráveis para salvaguardar os direitos de pessoas inocentes e, em muitos casos, optou por não olhar para o outro lado quando o governo turco foi atrás de críticos sem provas confiáveis”. 

O relatório lança luz sobre tais práticas abusivas, fornecendo informações sobre como os mecanismos da INTERPOL funcionam e a forma como a Turquia os utilizou indevidamente em vários casos. Ele termina com propostas de políticas destinadas a prevenir futuros abusos do sistema por regimes autocráticos para atingir seus oponentes. 

Em vista das crescentes tentativas dos governos repressivos de abusar de seus mecanismos, a INTERPOL precisa desenvolver novas maneiras de garantir que ela funcione estritamente dentro dos limites de seu mandato e não se torne cúmplice da repressão transnacional. 

“A constituição da INTERPOL proíbe explicitamente a intervenção ou atividades de natureza política, religiosa ou racial e exige que a cooperação seja ‘dentro do espírito da Declaração Universal dos Direitos Humanos'”, disse o Dr. Kayıkcı. “Os governos dos países democráticos podem impedir o abuso dos mecanismos da INTERPOL, verificando se uma comunicação se enquadra na constituição da organização antes de remover um indivíduo do país ou negar visto, asilo ou outro status imigratório e não confiando nas notificações da INTERPOL como única base para a tomada de medidas”. 

Sobre o Centro de Estocolmo para a Liberdade 

SCF é uma organização sem fins lucrativos que promove o Estado de Direito, a democracia e os direitos humanos com um foco especial na Turquia. 

Comprometida a servir como fonte de referência, fornecendo uma ampla perspectiva sobre as violações de direitos na Turquia, o SCF monitora diariamente desenvolvimentos, documenta casos individuais de violação de direitos fundamentais e publica relatórios abrangentes sobre questões de direitos humanos. 

O SCF é membro da Aliança Contra o Genocídio, uma coalizão internacional que trabalha para exercer pressão sobre a ONU, organizações regionais e governos nacionais para agir sobre sinais de alerta precoce e tomar medidas para prevenir o genocídio. 

Relatório completo (em inglês): https://usercontent.one/wp/stockholmcf.org/wp-content/uploads/2021/08/SCF-Interpol-Abuse-Report_2021.pdf

Fonte: https://www.turkishminute.com/2021/08/24/turkeysabuseofnterpol-how-erdogan-weaponized-the-international-criminal-police-organization-for-transnational-repression/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer