Últimas notícias

A Turquia de Erdogan visa Partido Pro-Curdo em uma estratégia de dividir e conquistar

A Turquia de Erdogan visa Partido Pro-Curdo em uma estratégia de dividir e conquistar
novembro 16
13:43 2020

Preocupado com a ascensão de uma oposição unificada, o presidente da Turquia e de seu partido dominante estão tentando prejudicar e isolar o partido  “Partido democrata dos povos” (HDP), um partido Pro Curdo, mas pesquisas de opinião  sugerem que a tática não está funcionando.

Enfrentando desafios crescentes em âmbito interno e externo o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, aumenta a pressão frente ao Partido democrata dos povos, um partido pro Curdo, no que especialistas consideram uma tentativa de promover a cisão entre os partidos da oposição após seu sucesso nas eleições locais.

Aproximadamente uma dúzia de representantes do HDP foram encarcerados desde 2016 sob acusação de terrorismo, incluindo Selahattin Demirtas, uma das figuras Curdas mais popular e antigo co- presidente do partido..

Desde a perda de poder do AKP quase todas as maiores cidades nas eleições locais do ano passado, 59 dos 65 prefeitos  no leste da Turquia foram  suspensos de seus postos.

O HDP acusa o AKP de promover uma retaliação frente o papel do partido pro Curdo no sucesso eleitoral, quando ele escolheu não disputar as maiores cidades do oeste da Turquia e deu suporte aos candidatos da oposição.

Especialistas argumentam que o governo visa dividir a oposição ao criminalizar o HDP, e mesmo forçar seu fechamento.

O especialista em Turquia Galip Dalay, pesquisador no programa Richard von Weizsacker na academia Robert Bosch com base em Berlim, diz que o governo não acreditava que a oposição poderia unir-se e que o AKP e seus parceiros de coalizão no Partido Movimento Nacional, MHP, venceria facilmente as disputas de 2019.

“Entretanto não acabou desse jeito”, ele disse. “Eles perceberam que a oposição poderia vencer a coalizão dominante e o governo não quer experimentar isto uma segunda vez.” 

Oposição crescendo nas pesquisas

Após a prisão de Ayhan Bilgen, o prefeito de Kras vinculado ao HDP, no oeste da Turquia o co presidente do HDP, Mithat Sancar, falou ao parlamento em Ancara no dia 27 de outubro que o governo era consistente apenas na “pressão sistemática frente ao HDP”. Ele disse  que “O HDP é a principal força que amedronta o governo” .

“Dalay argumenta que Edrogan e o AKP tentaram “desmoralizar” o partido forçando “ sua retirada do jogo”.

Se os partidos da oposição reagiram, o AKP pode acusa-los de apoiar um partido, acusado pelo governo,  de ter laços com terroristas.

Por outro lado, “se a oposição não reagir, eles (Erdogan e o AKP) supõem que os eleitores Curdos irão questionar os outros partidos ao qual votaram na eleição do ano passado”.

No entanto, parece que a tática não  está funcionando.

Em uma pesquisa de opinião publicada em 1 de novembro pela companhia de pesquisa da Eurásia, tanto o AKP quanto seu parceiro, MHP, viram sua popularidade cair para 32.5 por cento e 8.9 por cento respectivamente. Na última eleição parlamentar de 2018 estes partidos obtiveram marcas de 42.6 por cento e 11.1 por cento respectivamente.

A principal oposição “Partido Republicano do Povo”, CHP, ao contrário viu sua popularidade crescer para 28.2  o nacionalista “Partido do Bem” 12.6 por cento e o HDP teve 11.6 por cento. Se comparado com os resultados de 2018 que marcavam 22.6 por cento  para o CHP, 10 por cento para o “Partido do Bem ” e 11.6 para o HDP.  

Baseado nos resultados da pesquisa, a oposição com o suporte do HDP, venceria a coalizão dominante se uma eleição parlamentar fosse realizada hoje.

A popularidade do AKP caiu em decorrência da já gritante crise econômica antes mesmo da pandemia de COVID-19. A economia encontra-se em recessão e a Lira Turca sofreu uma desvalorização de 40% de seu valor só esse ano. O aumento dos impostos, a inflação incontrolável e a perda de emprego cobram seu preço frente aos Turcos.    

O AKP está tentando isolar o HDP

Onur Alp Yilmaz, um especialista em política Curda e Turquia na Universidade de Isik em Istambul, disse que a coalizão dominante está muito preocupada com a solidez de seu poder ao ser confrontada com tamanhos desafios políticos e econômicos.

“O governo quer dividir a oposição, relacionando o HDP ao terrorismo e ao PKK,” ele disse, referndo-se ao  probido moviemento Curdo que vem lutando por uma maior autonomia Curda nas ultimas decadas.

O objetivo, Yilmaz falou ao BIRN, é dividir os eleitores nacionalistas que apoiam o “Partido do Bem ”  mas que recusam a aliar-se ao HDP.

Ele disse que as figuras encarceradas do HDP eram relativamente “Pombos” dentro do partido, o que significa que o governo estava tentando deixar o HDP na mão dos  “Falcões Curdos” dessa forma contribuindo para marginalização do partido. 

Dalay disse que as acusações criminais colocaram a maior parte dos estrategistas do HDP, atrás das grades, prejudicando direção do partido.

As autoridades, ele disse, podem também pressionar para o fechamento do HDP através da corte constitucional da Turquia.

A corte está para julgar alguns casos de grande importância, incluindo o possível fechamento do HDP, estando dessa forma sob grande pressão por parte do governo 

“O Governo quer manter a Corte Constitucional na linha”, falou Dalay ao BIRN 

 Alternativas ao AKP para Curdos Conservadores 

Yilmaz disse que o AKP também almejava os eleitores Curdos em um eleição prevista para 2023 mas que muitas especialistas acreditam que ocorrerá mais cedo.

“O Movimento Curdo e o Movimento Islamista são historicamente próximos”, ele disse, “Entretanto, o AKP esquece uma coisa muito importante  – ele não consegue convencer os eleitores Curdos como fazia antes. Na Turquia de hoje Turcos e Curdos têm os mesmos problemas relacionados aos aspectos econômicos e meritocráticos.”

While the AKP could try to push Kurds to boycott the next election, as they did in 2010, Yilmaz said, “this calculation is also wrong because Kurds are very active and politicised.”

Apesar de que o AKP poderia instigar os Curdos a boicotarem a próxima eleição como fizeram em  2010, Yilmaz disse, “Esse cálculo também é incorreto pois os Curdos são muito ativos e politizados”.

Ele argumenta que o CHP substituiu  said the CHP o  AKP como o terceiro partido mais popular entre jovens curdos  . “Os Curdos não estão sem opções como antes,” disse Yilmaz.

Dalay tambem argumenta que o AKP almejava os eleitores curdos conservadores,  mas estes eleitores tem outras opções entre os partidos menores que emergiram do descontentamento frente ao partido dominante como o antigo Primeiro Ministro Ahmet Davutoglu e antigo Ministro da Economia Ali Babacan.

“Nas pesquisas, o “Partido do Futuro de Davutoglu’s e o “Partido Democracia e Progresso”(Remedy Party) de Babacan’s recebem em média quatro por cento das intenções de voto totais,” ele disse. “É certo que ao menos metade disso vem do eleitorado Curdo pois agora o eleitor Curdo conservador tem alternativas ao  AKP.”

Fonte: https://balkaninsight.com/2020/11/06/turkeys-erdogan-targets-pro-kurdish-party-in-divide-and-rule-strategy/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer