Últimas notícias

Trump estava concedendo favores pessoais a Erdoğan, diz John Bolton

Trump estava concedendo favores pessoais a Erdoğan, diz John Bolton
janeiro 30
13:33 2020

John Bolton, ex-consultor de segurança nacional do presidente dos EUA, Donald Trump, em um manuscrito não publicado, disse ter preocupações no ano passado que o presidente estava concedendo favores pessoais aos líderes autocráticos da Turquia e da China, de acordo com o The New Arab, citando um relatório da The New York Times na segunda-feira.

Bolton – um infame falcão da guerra do Irã que deixou a Casa Branca em setembro do ano passado – disse em privado ao procurador-geral William Barr que estava preocupado que Trump tivesse concedido favores ao presidente chinês Xi Jinping e ao líder turco Recep Tayyip Erdoğan. Barr também expressou dúvidas sobre o presidente, apontando para investigações do Departamento de Justiça de empresas que operam na Turquia e na China, diz Bolton em um manuscrito não publicado para seu próximo livro de memórias “The Room Where It Happened”.

Trump parecia ter criado a impressão de que ele poderia influenciar indevidamente o que normalmente seriam investigações independentes, disse Barr a Bolton, usando as conversas do presidente com Xi e Erdoğan para apoiar seu argumento.

Seções vazadas do manuscrito bomba, submetido à Casa Branca para uma revisão pré-publicação padrão no mês passado, apareceram na mídia nesta semana.

Trump – que no ano passado se declarou um “grande fã” do presidente turco – supostamente discutiu a investigação do Departamento de Justiça sobre o Halkbank, de propriedade estatal da Turquia, com Erdoğan em 2018.

De acordo com o manuscrito de Bolton, o procurador-geral expressou preocupação de que Trump tenha respondido aos apelos do presidente turco para interromper qualquer punição do banco, que o departamento estava investigando por fraude e acusações de lavagem de dinheiro.

O próprio Erdoğan disse que o presidente dos EUA havia instruído os membros do Gabinete a “seguir adiante” no assunto.

Independentemente das acusações, o Departamento de Justiça indiciou o Halkbank por evitar sanções contra o Irã em outubro do ano passado.

Os analistas viram a acusação como o governo mostrando uma linha dura quanto a Turquia, à medida que o escrutínio do relacionamento do presidente com seu colega turco se intensificou.

Em outubro, Trump foi acusado de dar a Erdoğan a luz verde para uma ofensiva militar muito temida contra as Forças Democráticas Sírias (SDF) lideradas pelos curdos no nordeste da Síria.

O presidente dos EUA também foi acusado de liberar a Turquia do controle de sanções legalmente exigidas devido à compra do sistema russo de defesa antimísseis S-400.

As declarações de Bolton no livro estão alinhadas com outros comentários que ele fez desde que deixou a Casa Branca em setembro. Em novembro, ele disse em um discurso privado que nenhum dos conselheiros de Trump compartilhava das opiniões do presidente sobre a Turquia e que acreditava que Trump havia adotado uma abordagem mais permissiva com o país por causa de seus laços financeiros nesses lugares, informou a NBC News.

A empresa de Trump tem uma propriedade na Turquia.

Um porta-voz do Departamento de Justiça divulgou na terça-feira um comunicado no Twitter, disputando aspectos do relato de Bolton.

“Não houve discussão de ‘favores pessoais’ ou ‘influência indevida’ nas investigações, nem o procurador-geral Barr afirmou que as conversas do presidente com os líderes estrangeiros [foram] impróprias”, twittou a porta-voz Kerri Kupec.

“Se é realmente isso que Bolton escreveu, parece que ele está atribuindo ao procurador-geral Barr suas próprias opiniões atuais – opiniões com as quais o procurador-geral Barr não concorda”, acrescentou.

Fonte: Former top US official worried Trump was granting personal favors to Turkey’s Erdoğan

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer