Últimas notícias

EUA vota a favor de lei que reconhece genocídio armênio

EUA vota a favor de lei que reconhece genocídio armênio
outubro 31
11:57 2019

Com uma maioria esmagadora, a Câmara dos Deputados dos EUA votou a favor de uma resolução postulando como genocídio a matança feita pelo Governo Otomano unionista de aproximadamente 1,5 milhão de armênios de 1915 a 1923, informou o Sputnik International.

Na terça-feira, a Câmara votou 405 a 11 a favor do reconhecimento e condenação do genocídio armênio, que o governo turco negou historicamente e argumentou que as acusações não levam em conta as mortes de turcos.

“Muitos políticos, diplomatas e instituições americanas reconheceram corretamente essas atrocidades como um genocídio, incluindo o embaixador dos EUA no Império Otomano na época, Henry Morgenthau e Ronald Reagan”, disse Eliot Engel, presidente da Comissão de Assuntos Exteriores da Câmara, antes do voto, de acordo com o The Hill. Ele continuou, afirmando que “apenas iluminando as partes mais sombrias da nossa história podemos aprender a não repeti-las”.

Os três principais pontos do projeto declaram que os EUA vão prestar homenagem ao genocídio armênio, rejeitar “esforços para se alistar, se envolver” ou se associar na negação do genocídio e trabalham para educar o público sobre detalhes sobre a atrocidade.

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavuşoğlu, revidou o apoio dos legisladores dos EUA à resolução e os acusou de “explorar a história na política”.

O genocídio da era da Primeira Guerra Mundial foi reconhecido pela Rússia, por vários estados da União Europeia e pelo Conselho Mundial de Igrejas. No início deste ano, o presidente francês Emmanuel Macron decidiu declarar em 24 de abril o Dia da Memória do Genocídio Armênio no país.

Em outra mostra bipartidária de terça-feira, a Câmara, com 403 a 16 votos, aprovou uma resolução a favor de sanções contra a Turquia sobre a Operação Fonte da Paz no norte da Síria. O projeto, intitulado “Lei Proteger Contra Conflitos causados pela Turquia”, recebeu apoio esmagador do Partido Republicano, com 176 parlamentares votando em apoio e apenas 15 em oposição.

“Em vez de responsabilizar a Turquia por como eles conduziram essa sangrenta campanha, o presidente [Donald] Trump deu a eles um passe livre”, disse Engel na terça-feira, conforme reportado por The Hill. “Quando o chefe do [Estado Islâmico no Iraque e no Levante] foi finalmente morto, o Presidente Trump infelizmente agradeceu aos turcos, agradeceu ao governo turco. Isso simplesmente não está certo na minha opinião.”

Çavuşoğlu também divulgou uma declaração em resposta à decisão da Câmara americana de impor sanções a Ancara e alegou que a medida foi contra o acordo de cessar-fogo de 17 de outubro, intermediado entre os EUA e a Turquia. O ministro das Relações Exteriores instou outros legisladores de Washington a interromper completamente os esforços de sanção e evitar o colapso dos laços bilaterais.

“Os EUA estão responsabilizando as principais autoridades turcas responsáveis ​​por violações dos direitos humanos, inclusive atacando nossos parceiros curdos”, disse a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, ao USA Today. “Estamos penalizando as instituições financeiras turcas que perpetuam a corrupção e os abusos do presidente [Recep Tayyip] Erdogan”.

O senador Chris Van Hollen ecoou os comentários da presidente da câmara sobre Ancara e pediu ao Senado dos EUA que agisse com pressa e avançasse com o projeto.

O projeto de lei bipartidário agora passa para o Senado; no entanto, o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, já havia alertado o Congresso para “pensar com muito cuidado” quanto a se apressarem em sancionar um aliado da Otan.


Fonte: https://www.turkishminute.com/2019/10/30/us-house-votes-overwhelmingly-for-bill-recognizing-armenian-genocide-report/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer