Últimas notícias

Turquia critica prefeito de Roterdã por permitir protesto extremista em mesquita

Turquia critica prefeito de Roterdã por permitir protesto extremista em mesquita
junho 09
10:18 2018

O ministro turco dos assuntos da União Europeia, Omer Celik, na quarta-feira, rechaçou o prefeito de Roterdã, Ahmed Aboutaleb, por dar permissão a um grupo extremista para assar porcos em frente a uma mesquita durante o iftar, a refeição de quebra de jejum durante o mês sagrado muçulmano do Ramadã.

“Na quinta-feira, na hora da quebra do jejum do Ramadã, membros dessa organização fascista vão fazer um churrasco na frente da Mesquita Laleli de Roterdã … e vão assar porcos em espetos,” tuitou Celik.

A organização alemã de extrema-direita Europeus Patrióticos Contra a Islamização do Ocidente (Pegida) anunciou anteriormente nas mídias sociais que assariam porcos na frente de mesquitas durante as horas de quebra de jejum desta semana nas cidades holandesas de Roterdã, Utrecht, Gouda, Haia e Arnhem.

A municipalidade de Roterdã forneceu a permissão ao Pegida, informou a Anadolu, agência estatal da Turquia.

Comer porcos é proibido para muçulmanos.

Celik disse que essa era a tentativa mais imoral na história de crimes de ódio.

“Dar permissão legal a uma atividade imoral como essa é também outra deficiência de moralidade,” acrescentou ele.

“Outras municipalidades na Holanda não permitiram que o Pegida assasse porcos na frente de mesquitas na hora da quebra de jejum. Contudo, Ahmet Abutalib, prefeito de Roterdã, que é de origem marroquina, pensa que essa atividade do Pegida não é contra a lei. Que tragédia repugnante!” disse o ministro da União Europeia.

Celik também disse que os turcos e outros muçulmanos em Roterdã colocariam flores em volta da mesquita e “erigiriam um muro de amor com flores contra o odor do ódio.”

“Os muçulmanos vão dar uma lição de humanidade contra essa política de ódio. Dessa forma eles vão lembrar todos do respeito pelas mesquitas, igrejas e sinagogas,” disse ele.

As relações entre a Holanda e a Turquia amargaram depois que as autoridades holandesas cancelaram a permissão de pouso do avião do Ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, durante a campanha do referendo do ano passado.

De acordo com a Fundação de Transmissão Holandesa (NOS), Aboutaleb já foi frequentemente o alvo de críticas da Turquia já que ele se recusou a dar à Ministra da Família e Assuntos Sociais turca, Fatma Betul Sayan Kaya, permissão para fazer campanha para o referendo, que concedeu ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ainda mais poder, no Consulado Turco em Roterdã. A ministra turca acabou sendo escoltada para fora da Holanda, resultando em revoltas em Roterdã e uma consequência diplomática entre a Holanda e a Turquia. Pouco depois desse incidente, Aboutaleb foi acusado de ter laços com o Movimento Gulen, que o governo turco acusa de arquitetar a tentativa de golpe no país em 2016.

Para as eleições parlamentares e presidenciais na Turquia em 24 de junho, Sarajevo foi a única parada da campanha para o governante Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) e o Presidente Erdogan, pois os governos da Áustria, Alemanha e Holanda disseram que não permitiriam que comícios para as eleições turcas fossem realizados dentro de suas fronteiras.

Fonte: https://www.turkishminute.com/2018/06/07/turkey-criticizes-rotterdam-mayor-for-permitting-extremist-protest-at-mosque/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer