Últimas notícias
  • Conselho da Europa deve disciplinar a Turquia sobre ativista preso O Conselho da Europa disse na sexta-feira que vai lançar uma ação disciplinar contra a Turquia por se recusar a libertar o proeminente ativista e filantropo Osman Kavala, desencadeando um procedimento usado apenas uma vez na história da organização....
  • Por que a queda da moeda turca não preocupa Erdogan A moeda nacional da Turquia caiu 45% em relação ao dólar este ano e, no entanto, o Presidente Recep Tayyip Erdogan não parece ter se incomodado com isso....
  • CoE insta “fortemente” as autoridades turcas a liberar Demirtaş O Comitê de Ministros do Conselho da Europa adotou na quinta-feira uma resolução provisória "instando fortemente" as autoridades turcas a assegurar a libertação imediata do líder curdo preso Selahattin Demirtaş....
  • A crise monetária da Turquia Após a demissão do ministro das finanças e sua substituição por um lealista em 2 de dezembro, a lira turca continuou seu declínio constante em relação ao dólar, elevando suas perdas do ano para quase 50%. A moeda turca está novamente sob ataque especulativo, semelhante aos episódios anteriores em julho de 2018 e outubro de 2020. Os cortes antecipados do Banco Central da República da Turquia (CBRT) na taxa de câmbio desde setembro resultaram em um êxodo de capital estrangeiro e em uma corrida na demanda por divisas entre os investidores domésticos. Enquanto isso, os preços globais de commodities e energia permanecem altos (apesar da recente queda nos preços do petróleo), e as expectativas em relação à inflação se deterioraram significativamente, levando a taxa de câmbio TL a cair de 8,30 para 13,60 para o dólar em menos de três meses....
  • Turquia aumentará sua presença na INTERPOL, diz membro recém-eleito do Comitê Executivo A Turquia aumentará sua presença na INTERPOL aumentando seu número de oficiais de ligação na Secretaria Geral e nomeando mais candidatos para cargos superiores dentro da organização, disse na quinta-feira Selçuk Sevgel, membro recém-eleito do Comitê Executivo da INTERPOL, em entrevista à agência estatal de notícias Anadolu, informou o Stockholm Center for Freedom....
  • Papa pede por cura em um Chipre dividido, arcebispo ortodoxo ataca a Turquia Papa encontra os líderes cristãos ortodoxos de Chipre. Pede por cura na ilha dividida. Líder cipriota turco convida papa a visitar o norte. Muitos dos participantes da missa são filipinos que trabalham no Chipre...
  • Ministro das finanças da Turquia, Lutfi Elvan, demite-se em meio à crise monetária O Ministro das Finanças e do Tesouro da Turquia, Lutfi Elvan, renunciou em meio a uma forte queda da lira turca, de acordo com um decreto presidencial emitido no jornal oficial turco na quinta-feira....
  • Documentário sobre femicídios na Turquia é a indicação ao Oscar do Reino Unido Um documentário relatando os esforços dos ativistas que trabalham para acabar com a violência contra as mulheres na Turquia foi escolhido como a entrada oficial do Reino Unido para a categoria de Melhor Longa Metragem Internacional no Oscar....
  • Homem sequestrado pela inteligência turca forçado a testemunhar contra deputados da oposição Segundo Gergerlioğlu, Yasin Ugan foi forçado a testemunhar sob tortura que os dois deputados eram filiados ao movimento Hizmet, um grupo baseado na fé inspirado nos ensinamentos do clérigo turco Fethullah Gülen, que tem sido alvo do presidente turco Recep Tayyip Erdoğan desde as investigações de corrupção de 17-25 de dezembro de 2013, que implicaram o então primeiro-ministro Erdoğan, seus familiares e seu círculo interno....
  • 8 morrem em fortes tempestades que assolaram o oeste da Turquia As províncias do oeste da Turquia, incluindo a cidade mais populosa do país, Istambul, foram duramente atingidas por condições climáticas adversas, com oito pessoas morrendo como resultado de acidentes relacionados ao clima em três províncias, noticiou a mídia turca na terça-feira....

HRW exorta May a falar claramente sobre direitos humanos durante visita de Erdogan

HRW exorta May a falar claramente sobre direitos humanos durante visita de Erdogan
maio 14
12:34 2018

David Mepham, o diretor no Reino Unido da Human Rights Watch (HRW), exortou a Primeira-Ministra Theresa May a usar a visita do presidente turco Recep Tayyip Erdogan a Londres na semana que vem para persuadir Erdogan e acabar com a brutal repressão contra opositores e críticos.

Em um artigo no site da HRW, Mepham disse: “Apesar da acentuada deterioração dos direitos humanos sob sua liderança, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, está lhe sendo concedido uma visita oficial à Grã-Bretanha na semana que vem, incluindo uma reunião com a Primeira-Ministra Theresa May e com a Rainha. Sem dúvidas, May preferiria que a discussão focasse em investimento, comércio e na Síria, mas a escala da repressão que está ocorrendo na Turquia torna impossível ignorar isso. Ela deveria usar o momento para encorajar um fim à brutal repressão do governo turco contra opositores e críticos.”

A PEN inglesa e outras organizações para a liberdade da imprensa convidaram o público a se juntar à manifestação “Mídia Livre na Turquia” a ser realizada em 15 de maio no lado de fora da Rua Downing em Londres, onde Erdogan estará se reunindo com May.

Relembrando que “a visita acontece um pouco antes das eleições presidencial e parlamentar em 24 de junho em que Erdogan busca renovar seu mandato com poderes grandemente aumentados” e “as próprias eleições não serão confiáveis, disse o chefe dos direitos humanos da ONU, a menos que o estado de emergência de 22 meses seja suspenso,” disse Mepham:

“A liberdade de imprensa está sendo dizimada: Jornalistas e críticos nas mídias sociais estão sendo processados e mais de 170 repórteres, escritores e pessoas que trabalham na mídia estão na cadeia, a maioria deles aguardando vereditos. A repressão, juntamente a tomadas e fechamentos de veículos de mídia, significa que a maioria da mídia — especialmente a televisão — é agora uma máquina de propaganda para o governo e partido AKP de Erdogan.”

O diretor da HRW no Reino Unido destacou que os partidos de oposição enfrentam grandes obstáculos ao contestarem a eleição, desfavorecidos em sua campanha para a eleição: “O segundo partido de oposição do país no parlamento, o esquerdista, pró-curdos Partido Democrático Popular (HDP) foi o atingido mais duramente. Nove de seus parlamentares estão na prisão e onze foram destituídos de seus assentos parlamentares em casos politicamente motivados. Um parlamentar do principal partido de oposição, o Partido Popular Republicano (CHP), foi condenada e preso em fevereiro em um caso politicamente motivado. O ex-líder do HDP, Selahattin Demirtas, que é curdo, está concorrendo como um candidato presidencial mesmo estando em sua cela na prisão.”

“Os defensores da sociedade civil e dos direitos humanos enfrentam uma pressão enorme com incontáveis mais julgamentos e condenações de “terrorismo”, defensores como o presidente da Anistia Internacional da Turquia, Taner Kilic, atrás das grades já por quase um ano, e mais associações dos direitos das mulheres fechas arbitrariamente pelo governo,” acrescentou Mepham.

“É hora de May mostrar alguma coragem e pressionar Erdogan para que acabe com esses abusos. May deveria pedir publicamente pela soltura de todos esses jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos turcos que foram presos injustamente, e deixar claro que a Grã-Bretanha não mais licenciará equipamento militar para a Turquia que possa ser usado para violar os direitos humanos.”

A Comissão Europeia (CE) em 17 de abril exortou o governo turco a “suspender o estado de emergência sem demora,” dizendo que as amplas demissões, prisões e detenções continuam a suscitar sérias preocupações.

O governo turco declarou o estado de emergência cinco dias após a fracassada tentativa de golpe em 15 de julho de 2016 e está se preparando para estendê-lo por uma sétima vez. Acusando o Movimento Gulen, que é baseado na fé, de estar por detrás da tentativa de golpe, o Presidente Erdogan e seu governante Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) lançaram uma caça às bruxas aberta voltada a pessoas supostamente ligadas ao Movimento.

Citando “a larga escala e natureza coletiva, e a desproporcionalidade das medidas,” a CE em seu “Relatório de 2018 sobre a Turquia” disse: “Desde a introdução do estado de emergência, mais de 150.000 pessoas foram levadas sob custódia, 78.000 foram presas e mais de 110.000 funcionários públicos foram demitidos enquanto que, de acordo com as autoridades, cerca de 40.000 foram restituídos, dos quais cerca de 3.600 por decreto.”

Fonte: https://www.turkishminute.com/2018/05/12/hrw-calls-on-may-to-speak-out-on-human-rights-during-erdogan-visit/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer