Últimas notícias
  • SADAT, “Exército paralelo” de Erdoğan, pode assassinar dissidentes O notório chefe da máfia turca, Sedat Peker, alegou em uma série de tweets que a SADAT, um grupo paramilitar ligado ao Presidente Recep Tayyip Erdoğan, poderia possivelmente realizar assassinatos de dissidentes que vivem na Turquia e no exterior num futuro próximo, noticiou a mídia local. ...
  • Deputado pede a libertação de paciente com câncer terminal Um deputado do Partido Democrata Popular (HDP), pró-curdo, pediu a libertação imediata de Ayşe Özdoğan, uma mulher criticamente doente que sofre de uma forma rara de câncer e foi enviada para a prisão para cumprir uma sentença de condenação por vínculos com o movimento Hizmet no início deste mês, informou a mídia local. ...
  • Outro Dia, Outro Expurgo no Banco Central da Turquia As cabeças estão rolando no banco central da Turquia, desta vez por não baixar as taxas de juros agressivamente o suficiente. Cortes mais profundos provavelmente virão, talvez logo na próxima semana. Este é um jogo perigoso quando a maior parte do mundo está se movendo na direção oposta. É improvável que uma moeda já maltratada se saia bem, e qualquer fragmento de credibilidade que a política monetária tenha deixado neste icônico mercado emergente será corroído. ...
  • O advogado do Twitter na Turquia tuita discurso de ódio contra o movimento Hizmet O advogado Gönenç Gürkaynak, que representa o Twitter na Turquia, usou de discurso de ódio contra apoiadores do movimento Hizmet numa série de tweets no sábado, perguntando se consideravam exterminar-se a si próprios, informou na segunda-feira o Stockholm Center for Freedom. ...
  • O Alto Custo de uma Turquia Imprevisível Faltando vinte meses para as eleições legislativas e presidenciais na Turquia, o debate político será feroz. O Ocidente poderá optar por não ver a sua relação com Ancara deteriorar-se ainda mais.  ...
  • Lançada investigação sobre assassinatos políticos antes das eleições de 2023 Um promotor turco iniciou uma investigação sobre as reivindicações, recentemente manifestadas por altas figuras da oposição, de que os assassinatos políticos podem ocorrer na Turquia à medida que as eleições de 2023 se aproximam, informou a mídia local na quarta-feira. ...
  • AKP e MHP rejeitam moção para investigar os atentados de 2015 em Ancara  Partido da Justiça e Desenvolvimento da Turquia (AKP) e seu aliado, o Partido do Movimento Nacionalista (MHP), rejeitaram uma moção parlamentar para investigar o ataque terrorista mais mortal da história da Turquia, que custou a vida de mais de 100 pessoas em Ancara em 2015, noticiaram os meios de comunicação turcos. ...
  • Turquia registra 30.563 novos casos de COVID-19, o maior desde 30 de abril A Turquia registrou 30.563 novos casos de COVID-19 na segunda-feira, o maior número de infecções diárias desde 30 de abril, os dados do Ministério da Saúde mostraram. ...
  • Fugindo do Talibã: A luta de um policial afegão para entrar na Turquia Com a crescente preocupação com uma crise humanitária no Afeganistão, as autoridades da Turquia intensificaram a segurança em suas fronteiras e advertiram que não aceitarão um afluxo de migrantes e refugiados afegãos. ...
  • Iraque prende chefe financeiro do ISIL procurado pelos EUA na Turquia O Iraque capturou Sami Jasim al-Jaburi, o suposto chefe financeiro do Estado islâmico no Iraque e no Levante (ISIL) que era procurado pelos Estados Unidos, em uma operação no exterior, informou na segunda-feira a Agence France-Presse, citando as autoridades iraquianas. ...

Turquia e autoridades da UE tentam melhorar relação bilateral

Turquia e autoridades da UE tentam melhorar relação bilateral
maio 26
10:35 2017

Bruxelas, 25 – Graduadas autoridades da União Europeia se reuniram com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pela primeira vez em quase dois anos, tentando reverter um iminente confronto e relançar as relações.

Erdogan, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, concordaram nesta quinta-feira em recuar nas trocas de acusações, além de fortalecer a cooperação em áreas como a integração econômica e a crise de refugiados, disseram funcionários dos dois lados.

A reunião ocorreu após uma piora das posições dos dois lados. A Turquia ameaçou abandonar os 12 anos de diálogo para se unir ao bloco e cortar sua duradoura parceria com Bruxelas. A UE avaliou forçar Erdogan a tomar uma decisão sobre o tema, além de acusar Ancara de se afastar dos ideais europeus.

 Agora, a UE e a Turquia dizem querer deixar de lado as recentes crise diplomáticas e políticas e virar a página, segundo funcionários. Há, porém, dificuldades pela frente.

O governo de Ancara quer isenção de visto para turcos em viagens à UE e as duas partes desejam retomar uma união aduaneira de duas décadas para fortalecer os laços comerciais. Tusk disse que os líderes “discutiram a necessidade de cooperar”. Em um sinal dos desafios pela frente, porém, ele acrescentou que as preocupações da UE sobre direitos humanos na Turquia estiveram no centro do diálogo.

Erdogan tem governado via decreto desde uma tentativa de golpe no país, em julho de 2016. O governo afastou mais de 100 mil burocratas, oposicionistas, acadêmicos e jornalistas, quase a metade deles detidos. Em abril, o presidente venceu uma contestada votação popular para expandir seus poderes. Autoridades da UE criticam o estado de emergência e as emendas constitucionais como não democráticas e pedem que o governo turco reverta as medidas extraordinárias para ter chance de entrar no bloco.

O primeiro dos encontros teve lugar com os presidentes do Conselho Europeu, Donald Tusk; e da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e no mesmo abordaram-se questões sobre o tratado migratório entre a União Europeia (UE) e Turquia, o processo para a reunificação de Chipre e a colaboração em matéria antiterrorista.

A Turquia pretende retomar o processo de negociações para a adesão ao grupo continental, paralisado pelo desencontro com vários países, e desbloquear a renovação do acordo alfandegário.

Antes, Erdogan também se encontrou com o presidente do Parlamento Europeu, o italiano Antonio Tajani.

Por fim, o governante manteve uma reunião a portas fechadas com o novo presidente da França, Emmanuel Macron, à qual também assistiu o chanceler turco, Mevült Cavusoglu, e na qual se trataram de questão bilaterais em matéria política e econômica, de acordo com fontes presidenciais.

Os dois líderes coincidiram em impulsionar as relações entre Turquia e a UE, estreitar a cooperação na indústria de defesa e aumentar o volume do comércio bilateral entre os dois países, dos 13,4 bilhões de euros registrados em 2015, para 20 bilhões de euros.

Também debateram sobre a situação na Síria e no Iraque, sublinharam a importância da luta conjunta contra todo tipo de grupos terroristas, incluindo o ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e o Estado Islâmico.

Antes da cúpula de dirigentes da Otan, que ocorrerá amanhã, Erdogan previu encontrar-se com a chanceler alemã, Angela Merkel, a primeira-ministra britânica, Theresa May, e com altos servidores públicos da UE.

Fonte: Dow Jones Newswires. Agência Estado. Prensa Latina

Originalmente publicado em: http://www.em.com.br http://www.vermelho.org.br

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer