Últimas notícias

Trump e Erdogan se encontram na Casa Branca em meio a tensas relações bilaterais

Trump e Erdogan se encontram na Casa Branca em meio a tensas relações bilaterais
Maio 17
10:40 2017

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e seu colega, Donald Trump, fizeram uma declaração conjunta na Casa Branca na terça-feira, depois que Erdogan chegou a Washington, DC, em meio a tensas relações bilaterais por causa do apoio dos EUA às milícias curdas na Síria.

Erdogan afirmou durante o evento que a Turquia nunca aceitará o envolvimento das Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) na luta contra o Estado Islâmico no Iraque e no Levante (ISIL) na Síria, visto que considera o YPG como uma organização terrorista devido aos seus vínculos com o ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Erdogan está em Washington para tentar convencer o presidente dos EUA a reverter uma decisão recente de armar a milícia YPG na luta contra o ISIL.

Durante a apresentação das declarações conjuntas, Trump revelou que a Turquia tinha comprado “equipamento militar” nos EUA, mas não forneceu detalhes.

Destacando que a eleição de Trump como presidente dos EUA levou ao despertar de aspirações e esperanças no Oriente Médio, Erdogan disse: “E sabemos que com a ajuda da nova administração essas esperanças não serão em vão”.

“Achamos que foi a resposta necessária a ser dada ao regime sírio, especialmente no depois dos ataques de gás que ocorreram. Não vamos repetir os erros do passado. Vamos continuar nesse caminho juntos “, acrescentou.

As relações entre a Turquia e os EUA também se tornaram tensas e desgastadas depois que as autoridades dos EUA rejeitaram a prisão e extradição imediata de Fethullah Gulen, um estudioso turco e inspirador do movimento Gulen, acusado pelas autoridades turcas de planejar um golpe fracassado na Turquia em 15 de julho de 2016.

Gulen tem vivido em um retiro na Pensilvânia desde 1999 e tem um Green Card para ficar nos EUA. Apesar de várias tentativas das autoridades turcas, os EUA ainda não tomaram quaisquer medidas judiciais para a extradição de Gulen e exigiram provas concretas de um crime.

Enquanto Gulen negava continuamente seu envolvimento no golpe, Erdogan e autoridades turcas lançaram uma caça às bruxas contra os seguidores do movimento que levou à detenção de 100 mil pessoas e à demissão de mais de 138 mil de instituições estatais.

Durante a declaração conjunta Trump salientou que os EUA ofereceriam apoio à Turquia na sua luta contra o terrorismo e elogiou os esforços da Turquia na guerra contra o ISIL, ao mesmo tempo em que conseguiu evitar mencionar qualquer uma de suas divergências.

Fonte: www.turkishminute.com

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Mailer