Últimas notícias
  • UE diz que Turquia ainda está “recuando” nas reformas e sombria nas chances de adesão O executivo da União Europeia disse na terça-feira que a candidatura da Turquia à adesão ao bloco havia "parado" em meio a sérias deficiências democráticas, em seu relatório anual mais crítico desde que Ancara iniciou as negociações de adesão há 16 anos. ...
  • Embaixada da Turquia nas Filipinas espionou 29 críticos de Erdoğan A Embaixada da Turquia nas Filipinas espionou os cidadãos turcos no país e encaminhou a lista de perfis ilegais para Ancara, o que levou ao lançamento de procedimentos judiciais infundados contra eles, informou o Nordic Monitor, citando documentos legais. ...
  • Lira turca atinge recorde de baixa enquanto Erdogan despede banqueiros centrais A lira turca afundou a uma baixa recorde em relação ao dólar americano na quinta-feira depois que o presidente Recep Tayyip Erdoğan demitiu três membros do banco central em um decreto no meio da noite, informou a Agence France-Presse. ...
  • Condições de trabalho degradantes expulsam médicos da Turquia Milhares de médicos estão deixando a Turquia como resultado dos baixos salários aliados à violência que enfrentam de pacientes zangados e seus familiares, uma situação só agravada pela pandemia do coronavírus e pela crise econômica resultante. ...
  • SADAT, “Exército paralelo” de Erdoğan, pode assassinar dissidentes O notório chefe da máfia turca, Sedat Peker, alegou em uma série de tweets que a SADAT, um grupo paramilitar ligado ao Presidente Recep Tayyip Erdoğan, poderia possivelmente realizar assassinatos de dissidentes que vivem na Turquia e no exterior num futuro próximo, noticiou a mídia local. ...
  • Deputado pede a libertação de paciente com câncer terminal Um deputado do Partido Democrata Popular (HDP), pró-curdo, pediu a libertação imediata de Ayşe Özdoğan, uma mulher criticamente doente que sofre de uma forma rara de câncer e foi enviada para a prisão para cumprir uma sentença de condenação por vínculos com o movimento Hizmet no início deste mês, informou a mídia local. ...
  • Outro Dia, Outro Expurgo no Banco Central da Turquia As cabeças estão rolando no banco central da Turquia, desta vez por não baixar as taxas de juros agressivamente o suficiente. Cortes mais profundos provavelmente virão, talvez logo na próxima semana. Este é um jogo perigoso quando a maior parte do mundo está se movendo na direção oposta. É improvável que uma moeda já maltratada se saia bem, e qualquer fragmento de credibilidade que a política monetária tenha deixado neste icônico mercado emergente será corroído. ...
  • O advogado do Twitter na Turquia tuita discurso de ódio contra o movimento Hizmet O advogado Gönenç Gürkaynak, que representa o Twitter na Turquia, usou de discurso de ódio contra apoiadores do movimento Hizmet numa série de tweets no sábado, perguntando se consideravam exterminar-se a si próprios, informou na segunda-feira o Stockholm Center for Freedom. ...
  • O Alto Custo de uma Turquia Imprevisível Faltando vinte meses para as eleições legislativas e presidenciais na Turquia, o debate político será feroz. O Ocidente poderá optar por não ver a sua relação com Ancara deteriorar-se ainda mais.  ...
  • Lançada investigação sobre assassinatos políticos antes das eleições de 2023 Um promotor turco iniciou uma investigação sobre as reivindicações, recentemente manifestadas por altas figuras da oposição, de que os assassinatos políticos podem ocorrer na Turquia à medida que as eleições de 2023 se aproximam, informou a mídia local na quarta-feira. ...

Binali Yildirim, novo premier turco

Binali Yildirim, novo premier turco
maio 24
11:46 2016

O novo primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, apresentou nesta terça-feira um novo gabinete formado por políticos leais ao presidente e homem forte do país, Recep Tayyip Erdogan, e prometeu uma transição para um sistema presidencialista.

Erdogan aprovou a nova equipe ministerial, na qual muitos pesos pesados do governo anterior mantêm seus cargos, como o ministro das Relações Exteriores Mevlut Cavusoglu e o vice-premier Mehmet Simsek, também titular da Economia, para grande alívio dos mercados, que o consideram fiador da estabilidade.

A principal mudança é a chegada de Omer Celik, porta-voz do Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), ao ministério de Assuntos Europeus em substituição a Volkan Bozkir, um diplomata de carreira que negociou um polêmico acordo com a União Europeia, assinado em 18 de março, para conter o fluxo de migrantes da Europa.

Berat Albayrak, genro e protegido de Erdogan, permanece como ministro da Energia e Efkan Ala na pasta do Interior, depois que a Turquia sofreu nos últimos meses atentados atribuídos à rebelião curda e ao grupo Estado Islâmico (EI).

A única mulher no novo gabinete de 26 integrantes é Fatma Betül Sayan Kaya, ministra da Família e de Políticas Sociais.

Yildirim, de 60 anos, eleito no domingo líder do AKP, anunciou de cara que pretende trabalhar por uma transição a um sistema presidencialista, como deseja Erdogan.

O novo chefe de Governo substitui Ahmet Davutoglu, obrigado a abandonar o cargo por divergências com Erdogan.

“Nosso caminho e nossa causa são as suas”, disse Yildirim em referência a Erdogan, a quem chamou de “nosso líder”, em um discurso no Parlamento.

“Os trâmites para mudar a atual Constituição e passar a um sistema presidencialista serão iniciados nos prazos mais curtos”, anunciou.

A ambição do chefe de Estado de alterar o sistema turco para o presidencialismo provoca muitas preocupações, dentro e fora do país.

A chanceler alemã Angela Merkel expressou na segunda-feira “profunda preocupação” com o fim da imunidade parlamentar de vários deputados pró-curdos, que podem ser processados.

A medida poderia beneficiar o AKP, que não tem atualmente maioria suficiente no Parlamento para revisar a Constituição e reforçar as prerrogativas de Erdogan, um projeto que a oposição não aceita.

Yildirim, ex-ministro dos Transportes, é um antigo companheiro e fiel aliado de Erdogan, seu mentor político.

No que diz respeito à política estrangeira da Turquia – afetada pela guerra na vizinha Síria -, o novo chefe de Governo, relativamente novato na área, resumiu seu projeto: “Vamos aumentar nosso número de amigos e reduzir o de inimigos”.

O programa do novo governo será apresentado ao Parlamento e a votação de confiança deve acontecer nos próximos dias.

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer