Últimas notícias
  • Elogiar o movimento Hizmet antes da tentativa de golpe de 2016 não é crime, diz o TEDH O Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) penalizou na Turquia por violar o direito à liberdade de expressão de um ex-professor, afirmando que os comentários públicos a favor do movimento Hizmet feitos antes de uma tentativa de golpe em julho de 2016 não constituem um crime, informou a mídia local na terça-feira....
  • Perguntas de coletiva de imprensa para Erdoğan vazadas com antecedência por jornal O presidente turco Recep Tayyip Erdoğan recebeu uma lista de perguntas em uma coletiva de imprensa na segunda-feira, que foram exatamente as mesmas perguntas vazadas anteriormente por um jornal, reforçando as alegações de que os jornalistas não são livres para perguntar ao presidente o que quiserem....
  • Conselho da Europa deve disciplinar a Turquia sobre ativista preso O Conselho da Europa disse na sexta-feira que vai lançar uma ação disciplinar contra a Turquia por se recusar a libertar o proeminente ativista e filantropo Osman Kavala, desencadeando um procedimento usado apenas uma vez na história da organização....
  • Por que a queda da moeda turca não preocupa Erdogan A moeda nacional da Turquia caiu 45% em relação ao dólar este ano e, no entanto, o Presidente Recep Tayyip Erdogan não parece ter se incomodado com isso....
  • CoE insta “fortemente” as autoridades turcas a liberar Demirtaş O Comitê de Ministros do Conselho da Europa adotou na quinta-feira uma resolução provisória "instando fortemente" as autoridades turcas a assegurar a libertação imediata do líder curdo preso Selahattin Demirtaş....
  • A crise monetária da Turquia Após a demissão do ministro das finanças e sua substituição por um lealista em 2 de dezembro, a lira turca continuou seu declínio constante em relação ao dólar, elevando suas perdas do ano para quase 50%. A moeda turca está novamente sob ataque especulativo, semelhante aos episódios anteriores em julho de 2018 e outubro de 2020. Os cortes antecipados do Banco Central da República da Turquia (CBRT) na taxa de câmbio desde setembro resultaram em um êxodo de capital estrangeiro e em uma corrida na demanda por divisas entre os investidores domésticos. Enquanto isso, os preços globais de commodities e energia permanecem altos (apesar da recente queda nos preços do petróleo), e as expectativas em relação à inflação se deterioraram significativamente, levando a taxa de câmbio TL a cair de 8,30 para 13,60 para o dólar em menos de três meses....
  • Turquia aumentará sua presença na INTERPOL, diz membro recém-eleito do Comitê Executivo A Turquia aumentará sua presença na INTERPOL aumentando seu número de oficiais de ligação na Secretaria Geral e nomeando mais candidatos para cargos superiores dentro da organização, disse na quinta-feira Selçuk Sevgel, membro recém-eleito do Comitê Executivo da INTERPOL, em entrevista à agência estatal de notícias Anadolu, informou o Stockholm Center for Freedom....
  • Papa pede por cura em um Chipre dividido, arcebispo ortodoxo ataca a Turquia Papa encontra os líderes cristãos ortodoxos de Chipre. Pede por cura na ilha dividida. Líder cipriota turco convida papa a visitar o norte. Muitos dos participantes da missa são filipinos que trabalham no Chipre...
  • Ministro das finanças da Turquia, Lutfi Elvan, demite-se em meio à crise monetária O Ministro das Finanças e do Tesouro da Turquia, Lutfi Elvan, renunciou em meio a uma forte queda da lira turca, de acordo com um decreto presidencial emitido no jornal oficial turco na quinta-feira....
  • Documentário sobre femicídios na Turquia é a indicação ao Oscar do Reino Unido Um documentário relatando os esforços dos ativistas que trabalham para acabar com a violência contra as mulheres na Turquia foi escolhido como a entrada oficial do Reino Unido para a categoria de Melhor Longa Metragem Internacional no Oscar....

Crônica da repressão na Turquia

Crônica da repressão na Turquia
abril 26
17:09 2016

Julgamento é retomado para jornalistas enfrentando a repressão de múltiplas sentenças de prisão perpétua

O julgamento de Can Dundar e Erdem Gul, editor e diretor da redação de Ancara, respectivamente, do jornal Cumhuriyet, foi retomado sob portas fechadas em Istambul hoje (17/04). O tribunal hoje negou o pedido do promotor de combinar o caso com outro caso direcionado a supostos apoiadores do pregador exilado Fethullah Gülen, que o governo turco acusa de manter uma organização terrorista e uma “estrutura paralela de governo” dentro da Turquia, de acordo com comunicados de imprensa e os advogados dos jornalistas, que postaram novas informações do julgamento no site de mídia social Twitter. Espera-se que o julgamento seja retomado em 6 de maio.

Se condenado, os dois enfrentarão múltiplas sentenças de prisão perpétua por acusações de expor segredos de estado e de ajudarem uma organização terrorista em conexão com um relatório de 2015, que alega que a agência de inteligência turca estava enviando armas aos rebeldes sírios.

[22 de abril de 2016]

Jornalista detido no leste da Turquia

A polícia na cidade Karliova do leste da Turquia deteve hoje Dogan Akdamar, um jornalista da agência pró-curdos DIHA, relatou seu patrão. Policiais à paisana capturaram o jornalista e o trouxeram à Delegacia de Polícia de Karliova, na província Bingol, disse a DIHA. As razões para a detenção de Akdamar não estavam imediatamente claras. A agência de notícias disse que se esperava que ele visse um promotor hoje.

Tribunal ordena censura de artigos de notícia

O Primeiro Tribunal de Paz Penal de Ancara ordenou hoje a censura de um artigo no portal de notícias Haberdar, relatou o site.

O artigo censurado dizia que o governo tinha transferido estudantes para dormitórios gerenciados pela Fundação Ensar, uma instituição de caridade religiosa com conexões com o governo, pois não havia quartos nos dormitórios do estado, e disse que era possível que o estivesse financiando as instituições de caridade, disse o Haberdar em um segundo artigo hoje. A lei turca estipula que dormitórios para estudantes de escola primária devam ser gerenciados pelo estado, de acordo com comunicados de imprensa.

Alegações de que menores nos dormitórios foram sexualmente abusados causaram um escândalo na imprensa turca nas semanas recentes. Um professor de 54 anos foi para julgamento em 20 de abril sob acusações de ter abusado sexualmente de 10 crianças nos dormitórios, de acordo com comunicados de imprensa. A Fundação Ensar contou à BBC que tinha suspendido as operações no dormitório em questão, e que está investigando as alegações, e que tomaria as ações necessárias, se preciso.

[21 de abril de 2016]

Polícia detém jornalistas curdos

A polícia deteve Suheyla Olmez e Mahsum Molak, jornalistas da Agência de Notícias pró-curdos Dicle (DIHA), em Indil, no sudeste da Turquia, perto da fronteira da Síria com o Iraque, relatou a DIHA. Os dois estavam fazendo uma reportagem em uma reunião em homenagem a pessoas mortas em conflitos entre a juventude étnica curda e as forças de segurança turcas na cidade quando a polícia invadiu o encontro no Centro Cultural da Municipalidade de Sirnak e deteve os jornalistas e três outras pessoas, de acordo com a DIHA. A razão para a detenção não estava imediatamente clara.

Um tribunal em Sakarya, a oeste de Istambul, prendeu formalmente hoje Muhammed Dogru, um repórter estagiário da DIHA e um estudante da Universidade Sakarya, relatou a DIHA. A polícia deteve Dogru e 10 outros estudantes da Universidade Sakarya em 15 de abril, que enfrentam acusações de serem membros de uma organização terrorista e de fazerem propaganda para uma organização terrorista ligado à manifestação do Dia da Mulher de março de 2016.

A Turquia classificou o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) com uma organização terrorista.

Jornalista russo negado entrada

Os funcionários da segurança do aeroporto de Istambul na terça-feira à noite detiveram Tural Kerimov, um importante jornalista do site de notícias russo Sputnik, contou o editor turco do site, Mahir Boztepe, à Reuters. Os funcionários da segurança confiscaram a carteira de jornalista e a autorização de residência de Kerimov, e negaram sua entrada no país, disse Boztepe.

O porta-voz do governo turco e Vice Primeiro-Ministro Numan Kurtulmus mencionou “preocupações de segurança”, relatou a Reuters, mas não elaborou sobre o assunto.

Funcionários da segurança do aeroporto negaram ontem a entrada do jornalista da televisão alemã Volker Schwenck, que tinha voado até a Turquia na esperança de entrevistar refugiados sírios.

Kurtulmus disse hoje que Schwenck tinha sido negado a entrada porque ele não credenciado como jornalista na Turquia e não tinha pedido para ser credenciado.

“Essa decisão de deportação é uma decisão tomada devido à segurança”, disse ele em comentários relatados pela CNNTurk, sem elaborar sobre o assunto.

[20 de abril de 2016]

Tribunal absolve casal acusado de insultar Erdogan

Hoje o Segundo Tribunal Criminal de Istambul absolveu Arif Kosar e Vural Nasuhbeyoglu, o dono e o editor de notícias, respectivamente, do jornal Evrensel, sob acusações que tinham insultado o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, relatou o Evrensel.

Os dois enfrentaram até quatro anos na prisão pela conexão com a manchete de primeira página de 21 de janeiro de 2015 do Evrensel, que citava um advogado da família de um manifestante morto durante as manifestações de 2013 que dizia que o presidente era o real assassino da vítima, de acordo com relatos da imprensa.

Erdogan, em 5 de abril, defendeu ter registrado mais de 1845 reclamações criminosas contra pessoas que “insultaram o presidente” desde que tomou o poder em 2014.

Jornalista alemão detido no aeroporto de Istambul

Funcionários da segurança deteram hoje Volker Schwenk, um jornalista da emissora alemã SWR, parte da rede ARD, quando tentava entrar na Turquia, escreveu Schwenk no site de mídia social Twitter.

“Parada final Istambul. Entrada na Turquia negada. Tem uma anotação com meu nome.  Sou um jornalista. Problema?” tuitou ele.

A SWR disse que os funcionários não deram ao correspondente que mora no Cairo razão alguma para sua detenção, e que estava sendo mantido na sala de deportação, de acordo com relatos da imprensa. Schwenk havia planejado viajar para a fronteira síria para entrevistar refugiados do conflito sírio, de acordo com matéria na mídia.

Jornalista esportivo detido

A polícia deteve Ekrem Açikel, ex-jornalista da emissora KANAL D TV, no raiar deste dia sob suspeita de ter contribuído com uma suposta conspiração para acusar falsamente o clube esportivo Fenerbahçe de Istambul de arranjar uma partida em uma aposta de 2013 para tomar controle do clube, relatou hoje o jornal pró-governo Daily Sabah.

O jornalista, que fez uma reportagem sobre a suposta partida arranjada, estava entre 38 pessoas presas em conexão com a suposta conspiração. No total, a polícia buscou a prisão de 64 pessoas, incluindo 48 policiais, cinco advogados e três jornalistas, incluindo Açikel, no caso. Promotores também buscam a prisão de Ekrem Dumanli, antigo editor do agora-defunto jornal Zaman, mas continua livre, relatou o Daily Sabah.

Promotores acusam os suspeitos de dirigirem uma organização terrorista, de serem membros em uma organização terrorista e grampo ilegal. As acusações de terrorismo são uma referência à “estrutura de estado paralelo” que o governo turco acusa o pregador exilado Fethullah Gülen de manter na Turquia, de acordo com relatos da imprensa.

O presidente do Fenerbahçe Aziz Yildirim e seis outros foram absolvidos das acusações de arranjarem uma partida no ano passado depois que o governo removeu os promotores do caso como parte de um expurgo de funcionários que ele acusou de pertencer à “estrutura paralela”, relatou o Daily Sabah.

[19 de abril de 2016]

ancara-ataque-terrorista-bomba-casal-abracado-sangue repressão

Um homem e uma mulher se abraçam depois que uma bomba explodiu em Acara em outubro de 2015 (Reuters)

Promotores investigam jornalistas que alegaram falhas de segurança antes do ataque de Ancara

Promotores em Ancara lançaram um a investigação sobre três jornalistas que fizeram uma reportagem sobre supostas falhas de segurança antes de um ataque a bomba em outubro de 2015 na capital, de acordo com relatos da imprensa.

Promotores notificaram Kemal Goktas, do jornal Cumhuriyet, e repórteres do Evrensel Cem Gurbetoglu e Tamer Arda Ersin que estavam sob investigação de suspeita de que fizeram o governador, o promotor-chefe e outros funcionários de segurança alvos de ataque, por publicarem seus nomes e que tinham publicado documentos confidenciais, relataram o Evrensel e o Cumhuriyet. Os jornalistas tinham relatado que agências de segurança não haviam processado uma inteligência que continha avisos avançados do ataque de outubro, incluindo o nome dos agressores.

Gurbetoglu defendeu a decisão de divulgar a história em observações publicadas pelo portal de notícias Bianet hoje.

“Qualquer desenvolvimento em relação ao massacre que tomou a vida de centenas se qualifica como notícia. O relatório dos inspetores estava de fato se qualificando como notícia. Não apontamos a qualquer um como um alvo”, disse ele.

Jornalista detido por cruzar as pernas diz que a polícia destruiu sua casa

Zeki Dara, o jornalista detido em 14 de abril por cruzar as pernas enquanto cobria uma reunião em que participava o governador da província Hakkari do sudeste da Turquia, escreveu no Twitter que a polícia tinha saqueado sua casa durante sua breve detenção.

Dara, editor de notícias do portal Yuksekova Haber, em 15 de abril postou uma fotografia de sua sala de estar em desordem, dizendo que a polícia tinha destruído a casa durante sua breve detenção na Delegacia de Polícia Ataturk de Hakkari.

Dara estava cobrindo um evento organizado pelo Diretório Mufti do Província de Hakkari, uma instituição religiosa quase-oficial com a tarefa de oferecer opiniões religiosas, quando cruzou suas pernas. O Governador Yakup Canbolat, em comentários publicados em 15 de abril, disse que o fato de Dara ter cruzado suas pernas era desrespeitoso a ele e a sua religião. O governador disse que pediu a seus guarda-costas que escoltassem Dara para fora, reportou o Yuksekova Haber.

Tribunal ordena censura sobre site de jornalista cidadão

Otekilerin Postasi, um grupo de jornalistas cidadãos, em 16 de abril escreveu no Twitter que o Tribunal de Paz Penal de Golbasi tinha ordenado que seu site fosse bloqueado na Turquia, mas que continuariam a publicar com um novo endereço na internet.

O mesmo tribunal na semana passada ordenou a censura do portal de notícias russo Sputnik, os sites dos agências pró-curdos DIHA e JINHA, os jornais Azadiya Welat e Ozgur Gundem, e outros, de acordo com relatos da imprensa.

Escrito por Ozgur Ogret/Representativo do CPJ da Turquia

Traduzido por: Renato José Lima Trevisan

Fonte: cpj.org

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer