Últimas notícias
  • Mais dois navios com grãos partem da Ucrânia, diz o Ministério da Defesa da Turquia  Mais dois navios transportando grãos que saíram dos portos do Mar Negro da Ucrânia no sábado, disse o Ministério da Defesa da Turquia, elevando para 16 o número total de navios a sair do país sob um acordo entre a ONU e a Turquia. ...
  • [ANÁLISE] Erdoğan aumenta o domínio sobre as TSK para facilitar a colaboração com regimes autoritários  O mundo está evoluindo de uma ordem mundial unipolar dominada por um único poder para um sistema político multipolar no qual mais de um poder luta pelo domínio. Na atual luta de grandes potências, o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan acredita que pode manter seu poder político aliando-se à Rússia, China e Irã. Após sua reunião bilateral com o presidente russo Vladimir Putin em Sochi em 5 de agosto, Erdoğan disse aos repórteres que Putin o havia convidado para uma reunião da Organização de Cooperação de Xangai (SCO) a ser realizada no Uzbequistão de 16 a 18 de setembro de 2022. Como o Erdoğan explica que, como presidente de um país membro da OTAN, ele possa participar de uma reunião da SCO, que reúne regimes autoritários? Qual é a conexão entre a estreita cooperação do Erdoğan com os regimes autoritários e os regulamentos que levaram ao domínio do Erdoğan sobre as Forças Armadas Turcas (TSK) após uma tentativa de golpe na Turquia em 15 de julho de 2016? ...
  • “Eles estão nos matando”: Migrantes presos em uma pequena ilha pedem ajuda A organização AGreek de direitos humanos tem chamado as autoridades para ajudar dezenas de migrantes e requerentes de asilo que dizem ter ficado presos em uma pequena ilha fluvial na fronteira entre a Grécia e a Turquia. O Conselho Grego de Refugiados disse à CBS News que o contato com o grupo foi perdido na quarta-feira depois que uma jovem entre o povo desesperado foi alegadamente morta por um escorpião esta semana. ...
  • Envolvimento da Turquia com o Afeganistão cresceu desde a tomada do Talibã Enquanto muitos países cortaram os laços diplomáticos com o Afeganistão após o retorno do Talibã ao poder no ano passado, a Turquia, o único membro da OTAN com presença diplomática no país devastado pela guerra, tem sido ativa em muitas frentes. ...
  • Menino britânico, quatro anos, desaparece depois de viajar para a Turquia com sua mãe  Um menino britânico de quatro anos foi dado como desaparecido após viajar para a Turquia com sua mãe. Acredita-se que George Jack Temperley-Wells tenha viajado de Darlington para a região de Antalya com sua mãe, Brogan Elizabeth Temperley, em 29 de junho deste ano. ...
  • 69,3% dos turcos que lutam para pagar por alimentos, diz pesquisa A maioria das pessoas na Turquia está lutando para pagar pelos alimentos, uma vez que o aumento do custo de vida está afetando sua renda, informou a Turkish Minute, citando os resultados de uma pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisa Social Yöneylem. ...
  • Turquia acatou a sentença do TEDH sobre Kavala, argumenta o ministro da justiça Ao contrário do que o Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) disse em um julgamento no mês passado, o ministro da justiça da Turquia, Bekir Bozdağ, argumentou que os tribunais...
  • Navio com grãos ucranianos recusados pelo Líbano atraca na Turquia Um navio com milho ucraniano, anteriormente rejeitado por um comprador no Líbano devido a "violação das condições de entrega" atracou no porto de Mersin, na Turquia. ...
  • Bancos turcos adotando o sistema de pagamentos russo Cinco bancos turcos assumiram o sistema de pagamentos russo conhecido como Mir, disse no sábado o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan, após suas conversas com o presidente Vladimir Putin no resort do Mar Negro de Sochi.  ...
  • Putin tem a chave para a reeleição de Erdoğan, diz o analista russo O contínuo apoio político e financeiro do presidente russo Vladimir Putin é necessário para que o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan ganhe a reeleição no próximo ano, disse um importante analista russo na segunda-feira, refletindo sobre uma reunião entre eles em Sochi, Rússia, que gerou alarme nas capitais ocidentais. ...

Lusco-fusco na Turquia

Lusco-fusco na Turquia
abril 13
10:55 2016

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, parece ter decidido acelerar o ritmo da escalada autoritária de seu governo. Na última sexta-feira (4), em mais uma investida sobre garantias típicas das democracias, atacou o que ainda resta de liberdade de imprensa no país.

Sem nenhum pudor, o governo assumiu o controle do jornal “Zaman”, o último grande diário que ainda não se alinhara ao presidente. O golpe veio com uma estranha decisão judicial que, sem nenhuma explicação, apontava um comitê para dirigir o periódico.

Jornalistas e alguns manifestantes até tentaram esboçar reação, mas a sede do jornal logo foi cercada pela polícia, que dispersou os protestos. Em 48 horas, o “Zaman”, sob nova direção, estampava peças de propaganda do governo.

O alvo por trás da tomada do periódico é o clérigo moderado Fethullah Gulen. Considerado ligado ao jornal, ele já foi importante aliado de Erdogan, quando o hoje presidente e seu partido, o AKP, chegaram ao poder, em 2002.

Em 2013, todavia, os dois grupos se afastaram por divergências diversas. Apoiadores de Gulen começaram a ser presos. Por segurança, o clérigo se autoexilou nos EUA.

O episódio “Zaman” está longe de ser um caso isolado. Nos anos recentes, Erdogan pôs na cadeia dezenas de jornalistas e fez com que outros tantos fossem impedidos de escrever, limitando assim o estoque de artigos críticos a sua administração. Cerca de 1.800 pessoas respondem judicialmente pelo delito de “insultar o presidente”.

Paralelamente, Ancara lançou-se numa campanha de perseguição a vários setores da oposição, aos quais acusa de apoiar o terrorismo –acusação que se torna verossímil devido à guerra civil na vizinha Síria e aos eventuais ataques da facção Estado Islâmico e de milícias curdas a território turco.

É pena constatar que a Turquia, até há pouco apontada como modelo de sucesso na constituição de um Estado ao mesmo tempo islâmico e democrático, tenha se transformado num regime autocrático e cada vez mais de exceção.

Sob a batuta de Recep Tayyip Erdogan, o país avança em uma zona cinzenta e perigosa da política, sem que tenham forças as vozes internas que se opõem à marcha.

Tanto pior, sabe-se que a União Europeia, que teria condições de exercer alguma pressão diplomática sobre Ancara, dificilmente o fará. Os europeus, no momento, estão muito mais preocupados em evitar que mais refugiados sírios cheguem ao continente, para o que a cooperação das autoridades turcas resulta essencial.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer