Últimas notícias

Fotojornalista é detido por militares na fronteira da Síria

Fotojornalista é detido por militares na fronteira da Síria
abril 01
16:00 2016

O fotojornalista e outros três jornalistas foram alvo de averiguação do Exército Turco. Grupo foi revistado, os equipamentos apreendidos e tiveram fotos deletadas.

Fotojornalista de São José é detido por militares na fronteira da Síria Fotógrafo tenta retratar a fuga dos sírios em direção à Europa (Foto: Arquivo pessoal/Flavio Forner)Fotógrafo tenta retratar a fuga dos sírios em direção à Europa (Foto: Arquivo pessoal/Flavio Forner)

O fotojornalista Flavio Forner, de São José dos Campos (SP) foi um dos quatro jornalistas brasileiros detidos por militares turcos na última quinta-feira (17) perto de Kobani, cidade na fronteira entre a Turquia e a Síria.

Ele está na região para retratar a situação dos refugiados sírios e ficou por mais de 4 horas em poder dos militares para averiguação. Depois, ele foi liberado. Não houve violência.

O grupo de jornalistas foi flagrado em uma zona de conflito envolvendo extremistas e teve os equipamentos e passaportes apreendidos para checagem. Eles foram revistados, levados para o batalhão e interrogados pelos militares turcos.

“Queriam saber se tínhamos envolvimento com algum grupo extremista. Eles queriam ver que fotos tinham sido feitas e eu tinha fotografado as barreiras, de vários lugares, queriam saber porque fotografei soldados, armas e policiais na fronteira. Mandaram deletar essas imagens”, contou ao G1.

A Síria vive uma guerra civil desde 2011 e, por conta da violência, a população tenta deixar o país principalmente com destino à Europa. Forner tenta retratar a fuga destes sírios.

Por isso, o próximo destino da viagem dele é a Grécia, onde os refugiados desembarcam para entrar na Europa — os refugiados viajam normalmente em barcos precários e muitas morrem no trajeto, afogados.

“Vou tentar entrar em um barco que leva os refugiados a Atenas, depois vou com eles até a fronteira com a Macedônia e permanecer com os sírios por dois a três dias, acampando com eles para documentar o que acontece”, afirmou.

Suspeita
O fotojornalista acredita que o grupo tenha gerado suspeita dos militares turcos em Kobani também por conta da placa do carro que viajavam, da mesma cidade onde saiu o carro bomba que explodiu em Ancara, capital da Turquia, na última semana. Mais de 30 pessoas morreram.

Forner pretende retornar ao Brasil, após o trabalho no exterior, entre os dias 10 e 15 de abril.

Fonte: http://g1.globo.com

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer