Últimas notícias

Brasil luta contra corrupção; Turquia contra liberdade de expressão

Brasil luta contra corrupção; Turquia contra liberdade de expressão
Março 09
15:15 2016

Sei que tem primárias nos EUA, mas eu mais uma vez escreverei sobre o cenário na Turquia. Falei aqui outro dia que sou fã do país e acho Istambul das cidades mais fantásticas do mundo. Admiro o povo turco e sempre considerei a Turquia uma espécie de “Brasil” do Oriente Médio. Uma economia emergente, com altos e baixos, e problemas políticos. Mas uma democracia e integrante da OTAN. Hoje, infelizmente, não é mais assim.

Enquanto, no Brasil, a Justiça tem combatido com firmeza a corrupção, na Turquia, a Justiça tem combatido a liberdade de expressão. Nesta semana, o Zaman, principal jornal do país e crítico do governo, foi ocupado literalmente por forças de segurança com coquetéis molotov. Repórteres foram presos e, agora, o diário é obrigado a publicar basicamente propaganda do presidente Recep Tayyip Erdogan.

Este é apenas mais um episódio da repressão do regime turco contra a imprensa. Outros órgãos já foram fechados ou ocupados no passado recente. A Turquia ocupa a 149a posição em liberdade de imprensa, de acordo com o Repórteres Sem Fronteira, pouco à frente da Rússia, Congo e Gâmbia. Em 2005, estava 98o.

Dezenas de jornalistas estão presos. Correspondentes são deportados. Alguns podem ser condenados à prisão perpétua. Mais grave, agora há uma lei na qual “insultar o presidente” pode culminar em prisão. Isso inclui as redes sociais. Imaginem se isso existisse no Brasil? O mais grotesco de tudo isso é ver a Europa se calando. Pior, negocia incentivos financeiros e outros benefícios para a Turquia em troca de o país receber alguns refugiados de volta. A União Europeia ignora completamente a repressão contra a imprensa, sem falar em outros temas como corrupção e política externa.

Como curiosidade, Erdogan mandou construir um palácio avaliado em US$ 600 milhões, em meio a acusações de super faturamento. E pretende mudar as leis, aumentando os poderes presidenciais – atualmente, grande parte do poder está nas mãos do premiê, cargo que Erdogan exerceu por uma década. O objetivo dele é virar uma espécie de “sultão” dos tempos modernos. Na verdade, se transforma em uma espécie de Putin da Anatólia.

GUSTAVO CHACRA

Fonte: www.estadao.com.br

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Mailer