Últimas notícias
  • Elogiar o movimento Hizmet antes da tentativa de golpe de 2016 não é crime, diz o TEDH O Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) penalizou na Turquia por violar o direito à liberdade de expressão de um ex-professor, afirmando que os comentários públicos a favor do movimento Hizmet feitos antes de uma tentativa de golpe em julho de 2016 não constituem um crime, informou a mídia local na terça-feira....
  • Perguntas de coletiva de imprensa para Erdoğan vazadas com antecedência por jornal O presidente turco Recep Tayyip Erdoğan recebeu uma lista de perguntas em uma coletiva de imprensa na segunda-feira, que foram exatamente as mesmas perguntas vazadas anteriormente por um jornal, reforçando as alegações de que os jornalistas não são livres para perguntar ao presidente o que quiserem....
  • Conselho da Europa deve disciplinar a Turquia sobre ativista preso O Conselho da Europa disse na sexta-feira que vai lançar uma ação disciplinar contra a Turquia por se recusar a libertar o proeminente ativista e filantropo Osman Kavala, desencadeando um procedimento usado apenas uma vez na história da organização....
  • Por que a queda da moeda turca não preocupa Erdogan A moeda nacional da Turquia caiu 45% em relação ao dólar este ano e, no entanto, o Presidente Recep Tayyip Erdogan não parece ter se incomodado com isso....
  • CoE insta “fortemente” as autoridades turcas a liberar Demirtaş O Comitê de Ministros do Conselho da Europa adotou na quinta-feira uma resolução provisória "instando fortemente" as autoridades turcas a assegurar a libertação imediata do líder curdo preso Selahattin Demirtaş....
  • A crise monetária da Turquia Após a demissão do ministro das finanças e sua substituição por um lealista em 2 de dezembro, a lira turca continuou seu declínio constante em relação ao dólar, elevando suas perdas do ano para quase 50%. A moeda turca está novamente sob ataque especulativo, semelhante aos episódios anteriores em julho de 2018 e outubro de 2020. Os cortes antecipados do Banco Central da República da Turquia (CBRT) na taxa de câmbio desde setembro resultaram em um êxodo de capital estrangeiro e em uma corrida na demanda por divisas entre os investidores domésticos. Enquanto isso, os preços globais de commodities e energia permanecem altos (apesar da recente queda nos preços do petróleo), e as expectativas em relação à inflação se deterioraram significativamente, levando a taxa de câmbio TL a cair de 8,30 para 13,60 para o dólar em menos de três meses....
  • Turquia aumentará sua presença na INTERPOL, diz membro recém-eleito do Comitê Executivo A Turquia aumentará sua presença na INTERPOL aumentando seu número de oficiais de ligação na Secretaria Geral e nomeando mais candidatos para cargos superiores dentro da organização, disse na quinta-feira Selçuk Sevgel, membro recém-eleito do Comitê Executivo da INTERPOL, em entrevista à agência estatal de notícias Anadolu, informou o Stockholm Center for Freedom....
  • Papa pede por cura em um Chipre dividido, arcebispo ortodoxo ataca a Turquia Papa encontra os líderes cristãos ortodoxos de Chipre. Pede por cura na ilha dividida. Líder cipriota turco convida papa a visitar o norte. Muitos dos participantes da missa são filipinos que trabalham no Chipre...
  • Ministro das finanças da Turquia, Lutfi Elvan, demite-se em meio à crise monetária O Ministro das Finanças e do Tesouro da Turquia, Lutfi Elvan, renunciou em meio a uma forte queda da lira turca, de acordo com um decreto presidencial emitido no jornal oficial turco na quinta-feira....
  • Documentário sobre femicídios na Turquia é a indicação ao Oscar do Reino Unido Um documentário relatando os esforços dos ativistas que trabalham para acabar com a violência contra as mulheres na Turquia foi escolhido como a entrada oficial do Reino Unido para a categoria de Melhor Longa Metragem Internacional no Oscar....

Comentarista Guga Chacra faz uma comparação entre Brasil e Turquia

Comentarista Guga Chacra faz uma comparação entre Brasil e Turquia
março 09
13:41 2016

Neste artigo de opinião, o comentarista Guga Chacra, traça um paralelo entre Brasil e Turquia fazendo uma comparação entre seus líderes.

A Turquia é uma espécie de Brasil no Oriente Médio. Em 2009, escrevi:

“O premiê turco, Recep Tayyip Erdogan, é uma espécie de Lula da Turquia. Seu partido, o AKP, seria o PT. Os dois líderes superaram obstáculos para chegar ao poder, enfrentaram preconceito das elites e surpreenderam na administração da economia, recebendo elogios internacionais. Ao mesmo tempo, tanto o PT quanto o AKP são acusados de, uma vez no comando, terem se envolvido em corrupção e buscado perpetuação no governo.”

Obviamente, na época, as economias turca e brasileira não haviam entrado em recessão, como agora. Isto é, o cenário piorou para ambas. E as similaridades continuam. Com a diferença, claro, de a Turquia estar na região mais volátil do planeta. Tem fronteira com o Irã, Iraque, Síria, e países que integravam a ex- União Soviética, como a Geórgia, Armênia e Azerbeijão. Possui, portanto, três conflitos ao seu redor – Guerra do Iraque, Guerra da Síria e o conflito de Nagorno Karabakh, entre armênios e azeris. Internamente, a Turquia possui ainda a questão curda, com os curdos lutando por mais direitos.

Até cerca de cinco anos atrás, a Turquia buscava manter boas relações com todos. Era a principal aliada militar de Israel na região; era o principal parceiro econômico de Bashar al Assad; integrante da OTAN; possuía boas relações com os russos; reduzia as restrições aos curdos e aproximação com o Curdistão iraquiano; servia de exemplo de democracia no mundo islâmico; o crescimento da economia causava inveja em países europeus.

Mas tudo mudou. Erdogan deixou de ser aquele premiê democrata admirado pelo mundo. Hoje é presidente e sonha em ter poderes de “sultão” em seu palácio construído em  meio a acusações de super faturamento. Passou a adotar um discurso quase antissemita em relação a Israel e se aproximou do Hamas. Abriu as fronteiras para jihadistas do mundo todo entrarem na Síria para lutar contra o regime de Assad, seu antigo parceiro que o homenageava com outdoors em Damasco. E fez vista grossa (alguns dizem que apoiou) para o armamento de grupos terroristas como a Frente Nusrah (Al Qaeda na Síria) e o ISIS, também conhecido como Grupo Estado Islâmico ou Daesh.

Neste ano, por pressão dos EUA, aceitou integrar a coalizão internacional para bombardear o ISIS. Mas, no fim, priorizou os bombardeios contra os curdos– curdos que, não podemos esquecer, estão na vanguarda da luta contra o ISIS.

Hoje, em Ancara, capital da Turquia, diante da estação ferroviária e perto do ginásio de basquete, um atentado terrorista matou quase cem pessoas em uma manifestação de um partido curdo e um esquerdista. Não se sabe quem cometeu. Talvez tenha sido o ISIS. E não dá, claro, para responsabilizar Erdogan. Mas será que a Turquia teria chegado a este ponto se ele tivesse mantido a mesma política de até cinco anos atrás, de boas relações com os vizinhos e aproximação com os curdos, em vez de se tornar inimigo de todos?

Enfim, impressionante como a história de Erdogan e do AKP se assemelham à de Lula e do PT. Com a diferença, como disse acima, de que o resultado da política da Turquia tem sido, além do caos econômico e político, como no Brasil, guerra e terrorismo.

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

GUSTAVO CHACRA

10 Outubro 2015

Fonte: estadao.com.br

Fonte: www.brasilturquia.com.br

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer