Últimas notícias

O que ler para entender a Turquia 

O que ler para entender a Turquia 
setembro 06
23:12 2022

Nosso correspondente seleciona cinco livros para ajudar a entender um país fascinante e em mudança 

A maioria dos centenários anseia por uma medida de calma. Não é assim na Turquia. O país, que celebra seu 100º aniversário no próximo ano, aprendeu a viver no limite. A inflação, em grande parte o resultado de uma política monetária que desafia a realidade imposta pelo Presidente Recep Tayyip Erdogan, ultrapassou 80%. A moeda está implodindo. Os problemas sociais, alimentados por uma diferença crescente entre ricos e pobres e pelo recente afluxo de quase 4 milhões de refugiados sírios, estão em ascensão. O aniversário do próximo ano pode ter sido uma oportunidade para cerca de 85 milhões de turcos refletirem sobre o que os une. Mas isto parece improvável. As celebrações centenárias serão quase certamente ofuscadas pelas eleições presidenciais e parlamentares, marcadas para junho, e pela campanha virulenta que as precederá. A viagem de montanha-russa da Turquia continuará. Aqui estão cinco livros que ajudam a explicar as crises que consomem a 19ª maior economia do mundo. 

Atatürk: The Biography of the Founder of Modern Turkey. Por Andrew Mango. Abrams; 704 páginas; $24,95. John Murray; 14,99 libras esterlinas 

Mais de oito décadas após sua morte, as torres legadas de Kemal Atatürk sobre a Turquia. O herói da guerra de independência do país e fundador da república turca foi um reformador visionário. Ele aboliu o califado islâmico e os tribunais da sharia, reformou o idioma turco, trocou a escrita árabe pela latina e apoiou o sufrágio das mulheres. As mulheres na Turquia ganharam o direito de voto em 1934, uma década antes de seus pares na França. O Atatürk, que aparece na maioria dos livros turcos, é um líder irrepreensível. Insultar sua memória é uma ofensa criminal, punível com até dois anos de prisão. A biografia de Andrew Mango não é apenas a mais completa em inglês, mas também a mais agradável. Seu Atatürk é um grande estrategista militar, um leitor voraz e um estadista clarividente, mas também um homem imperfeito, propenso a crises de melancolia, insensibilidade e bebida excessiva. 

Erdogan Rising. Por Hannah Lucinda Smith. HarperCollins; 416 páginas; $17,99 e £9,99 

Recep Tayyip Erdogan é um autocrata obcecado pelo poder e inimigo da imprensa livre. Mas ele não é o mesmo que Vladimir Putin, Abdel Fattah el-Sisi, ou Alexander Lukashenko, ditadores que têm destruído a democracia. O presidente da Turquia é também um impressionante orador público e workaholic, amado por muitos turcos religiosos. A Sra. Smith, correspondente do Times e colaboradora ocasional do The Economist, lhe dá o tratamento completo que ele merece. Ela falou com os cortesãos do Sr. Erdogan, seus críticos e com as pessoas comuns que o impulsionaram a mais de uma dúzia de vitórias eleitorais em menos de duas décadas. Vários outros tratamentos, incluindo “Turkey Under Erdogan” de Dimitar Bechev e “The New Sultan” e “Erdogan’s Empire”, ambos de Soner Cagaptay, podem ter um escopo mais amplo. Mas o da Sra. Smith é o mais colorido. 

Blood and Belief. Por Aliza Marcus. New York University Press; 363 páginas; $27. New York University Press; £21,99 

Uma insurgência lançada em 1984 pelo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) deixou uma marca profunda na política e na sociedade turcas. O conflito, que começou no sudeste da Turquia, espalhou-se desde então para o norte do Iraque, onde o PKK tem bases, e mais recentemente para o norte da Síria. Nenhum livro em inglês explicou seu desenvolvimento, e a dinâmica dentro da PKK, melhor que o “Blood and Belief” de Aliza Marcus, que foi publicado pela primeira vez em 2007. As draconianas leis antiterroristas da Turquia e sua aplicação excessivamente zelosa pelo governo Erdogan significam que os editores turcos não permitiriam que tal história fosse publicada hoje no país. 

A Strangeness in My Mind. Por Orhan Pamuk. Traduzido por Ekin Oklap. Knopf; 624 páginas; $17,95. Faber & Faber; £10,99 

Com poucas exceções, incluindo sua mais recente criação, “Nights of Plague”, que será publicada em inglês neste outono, Orhan Pamuk tende a situar seus romances em Istambul. No entanto, seus retratos de sua cidade natal, engasgada pelo tráfego, fervendo com energia, devastada por gerações de desenvolvedores, mas ainda espetacularmente bela, são às vezes insatisfatórios. A cidade descrita em “Museum of Innocence” e “Istanbul”, dois de seus livros mais famosos, parece um lugar povoado mais pelas lembranças do Sr. Pamuk do que por seus habitantes de carne e sangue. “A Strangeness in My Mind” é um relato muito mais completo, mais humano, uma história da transformação da cidade nos últimos 50 anos, e da relação desconfortável entre os migrantes anatolianos que hoje representam a maioria de sua população e sua classe média predominantemente secular. Seu herói, Mevlut Karatas, um vendedor que vagueia pelas ruas da cidade vendendo boza, uma bebida tradicional, é um guia maravilhoso para a moderna Istambul. Avaliamos o livro em 2015. 

Memed, My Hawk. Por Yasar Kemal. Traduzido por Edouard Roditi. New York Review Books; 392 páginas; $18,95. Vintage; £9,99. 

Yasar Kemal, que morreu em 2015, pode ser menos conhecido fora da Turquia do que o Sr. Pamuk, mas ele continua sendo o autor favorito do país. O romance de estreia de Kemal, a história de Memed, um garoto de aldeia que se transforma em brigão para escapar da pobreza e um senhor feudal que o atormenta e sua mãe, foi um best-seller no seu país. Suas descrições da Anatólia rural, onde Kemal cresceu, são inigualáveis. Grande parte da Turquia mudou além do reconhecimento nas sete décadas desde que “Memed, My Hawk” apareceu. Mas seus personagens, e a prosa de Kemal, são intemporais. 

Para mais informações sobre nossa cobertura da Turquia, leia sobre a surpreendente resiliência da economia turca, as relações problemáticas do país com os aliados, suas recentes incursões na África, a busca do Sr. Erdogan por monstros para destruir, e a vida com uma inflação desenfreada. 

Fonte: What to read to understand Turkey | TheEconomist  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer