Últimas notícias
  • Zelensky, da Ucrânia, recebe o chefe da ONU e líder da Turquia Como potencial corretor de poder, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan usará sua primeira visita à Ucrânia desde que a guerra começou há quase seis meses para buscar maneiras de expandir a exportação de grãos do celeiro da Europa para os necessitados do mundo. O Secretário Geral da ONU, António Guterres, usará sua visita para se concentrar em conter a situação volátil em uma usina nuclear ocupada pela Rússia. ...
  • Banco Central da Turquia corta taxas em Decisão Surpresa Os investidores venderam a lira e os títulos em dólares da Turquia depois que o banco central baixou sua taxa principal para 13%. ...
  • 168 jornalistas turcos compareceram no tribunal em 3 meses Um total de 168 jornalistas apareceram em audiências em seus julgamentos na Turquia de abril a junho, de acordo com um relatório recente preparado pelo projeto Expression Interrupted e publicado pela mídia turca. ...
  • Homem preso por ligações com Hizmet morre um dia antes do previsto para sua libertação Ramazan Açıkgöz, que foi condenado por supostos vínculos com o movimento Hizmet, morreu de um ataque cardíaco na terça-feira à noite, um dia antes de ser libertado da prisão, informou o site de notícias Bold Medya. ...
  • Tensões entre Grécia e Turquia se exaltam por causa das controversas reivindicações às ilhas Turquia acusou a Grécia de militarizar as ilhas dadas aos gregos na condição de não as armar, alimentando as tensões entre os dois países. ...
  • Autoridade turca duvida de notícia sobre nova venda de sistema de defesa aérea russa Uma agência noticiosa estatal russa disse na terça-feira que a Rússia e a Turquia haviam assinado um contrato para enviar a Ankara um segundo lote de sistemas de defesa aérea S-400, mas um funcionário da defesa turca imediatamente lançou dúvidas sobre o relatório. ...
  • Mais dois navios com grãos partem da Ucrânia, diz o Ministério da Defesa da Turquia  Mais dois navios transportando grãos que saíram dos portos do Mar Negro da Ucrânia no sábado, disse o Ministério da Defesa da Turquia, elevando para 16 o número total de navios a sair do país sob um acordo entre a ONU e a Turquia. ...
  • [ANÁLISE] Erdoğan aumenta o domínio sobre as TSK para facilitar a colaboração com regimes autoritários  O mundo está evoluindo de uma ordem mundial unipolar dominada por um único poder para um sistema político multipolar no qual mais de um poder luta pelo domínio. Na atual luta de grandes potências, o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan acredita que pode manter seu poder político aliando-se à Rússia, China e Irã. Após sua reunião bilateral com o presidente russo Vladimir Putin em Sochi em 5 de agosto, Erdoğan disse aos repórteres que Putin o havia convidado para uma reunião da Organização de Cooperação de Xangai (SCO) a ser realizada no Uzbequistão de 16 a 18 de setembro de 2022. Como o Erdoğan explica que, como presidente de um país membro da OTAN, ele possa participar de uma reunião da SCO, que reúne regimes autoritários? Qual é a conexão entre a estreita cooperação do Erdoğan com os regimes autoritários e os regulamentos que levaram ao domínio do Erdoğan sobre as Forças Armadas Turcas (TSK) após uma tentativa de golpe na Turquia em 15 de julho de 2016? ...
  • “Eles estão nos matando”: Migrantes presos em uma pequena ilha pedem ajuda A organização AGreek de direitos humanos tem chamado as autoridades para ajudar dezenas de migrantes e requerentes de asilo que dizem ter ficado presos em uma pequena ilha fluvial na fronteira entre a Grécia e a Turquia. O Conselho Grego de Refugiados disse à CBS News que o contato com o grupo foi perdido na quarta-feira depois que uma jovem entre o povo desesperado foi alegadamente morta por um escorpião esta semana. ...
  • Envolvimento da Turquia com o Afeganistão cresceu desde a tomada do Talibã Enquanto muitos países cortaram os laços diplomáticos com o Afeganistão após o retorno do Talibã ao poder no ano passado, a Turquia, o único membro da OTAN com presença diplomática no país devastado pela guerra, tem sido ativa em muitas frentes. ...

Terrorista do ISIS, procurada pela INTERPOL, é solta por tribunal turco apesar de evidências e confissão 

Terrorista do ISIS, procurada pela INTERPOL, é solta por tribunal turco apesar de evidências e confissão 
julho 26
21:25 2022

A libertação de uma jihadista russo na Turquia, procurada para ser presa pela INTERPOL por suposta adesão ao Estado islâmico no Iraque e na Síria (ISIS), é o mais recente exemplo da política de portas giratórias da Turquia, que é discretamente seguida pelo governo islâmico do presidente Recep Tayyip Erdoğan para deixar os militantes jihadistas saírem em liberdade após uma breve prisão. 

Ayshat Rzaeva, uma mulher de 30 anos de idade da aldeia de Rukel, na República russa do Daguestão, foi detida em 7 de outubro de 2021, no distrito de Keçiören, em Ancara. Ela foi indiciada por um promotor público e enfrenta até 15 anos de prisão por suposta associação a uma organização terrorista se for condenada. Ela confessou ter aderido ao ISIS e explicou seu envolvimento com o grupo em uma declaração que fez à polícia e ao promotor turcos. 

Entretanto, na primeira audiência de seu julgamento em 28 de junho de 2022, o painel de juízes do 26º Tribunal Superior Criminal de Ancara decidiu pela sua libertação sujeita a uma proibição de viagem. A promotora contestou a decisão do 27º Tribunal Supremo Criminal, que emitiu um novo mandado de prisão para ela em 5 de julho. Na sua acusação, entretanto, este tribunal também decidiu libertá-la. 

Rzaeva, listada pelo ISIS na Síria com os nomes de Ummu Ahmad e Ummu Yahya, recebeu treinamento e operou em nome do grupo terrorista depois que ela viajou da Rússia para a Síria através do Azerbaijão e da Turquia em 2015. As autoridades russas já haviam informado seus homólogos turcos sobre ela, e ela estava listada no banco de dados de combatentes terroristas estrangeiros. 

Quando ela chegou a Istambul, os agentes do ISIS a receberam no aeroporto e a colocaram em uma casa segura por dois meses antes de levá-la para a província fronteiriça turca de Gaziantep e depois para a Síria, com a ajuda de contrabandistas. Seu marido, Alirızaye Tahmiraz, já estava lutando pelo ISIS em uma unidade de combate russa na Síria junto com seu irmão mais velho quando ela chegou. Ela se casou com um jihadista azerbaijano identificado apenas pelo primeiro nome de Abbas depois que seu marido e irmão foram mortos em um ataque aéreo. 

Rzaeva e Abbas se estabeleceram em Deir ez-Zor, no leste da Síria. Abbas também foi morto em 2018. 

Ela acabou indo parar no campo de detenção al-Hol da Síria, que é dirigido pela milícia curda síria conhecida como as Forças Democráticas Sírias, com o apoio das forças militares americanas. Depois de viver no campo por quase dois anos, ela conseguiu escapar e entrar na Turquia, atravessando a fronteira através da província de Hatay. O ISIS continuou a transferi-la para várias casas seguras em várias províncias antes de se estabelecer em Ancara. 

Ela se casou pela terceira vez em Istambul com um homem chamado Ibrahim T., mas a união foi de curta duração. 

Durante uma batida em seu apartamento em Ancara, a polícia apreendeu uma grande quantidade de dinheiro em lira turca e dólares, bem como joias que o promotor alegou terem sido obtidas através de atividades terroristas e pertenciam ao ISIS. Ela estava distribuindo o dinheiro enviado pelo ISIS para famílias de militantes jihadistas. 

Imagens de vídeo e fotos mostrando as atividades do ISIS foram descobertas em seu telefone. Um desses vídeos apresentava o ISIS realizando uma loteria para identificar possíveis terroristas, e outro mostrava um atentado suicida com um veículo perpetrado por ISIS. O nome de Rzaeva também está na lista de supostos terroristas do ISIS. 

Os registros telefônicos mostraram que ela estava em contato com outras figuras conhecidas do ISIS na Turquia. 

Foi estranho que os tribunais turcos tenham decidido pela sua libertação, dado que ela não manteve residência contínua em um endereço dentro da jurisdição do tribunal e estava temporariamente hospedada em um hotel em Ancara depois de sair do apartamento que foi invadido pela polícia. Seus dois filhos, de 3 e 6 anos de idade, foram colocados sob a custódia protetora dos serviços sociais. 

Apenas um dos três juízes escreveu uma opinião dissidente sobre sua libertação, dizendo que ela representava um risco de fuga como estrangeira e não tinha um lar para morar. 

Os tribunais turcos, sob intensa pressão do governo Erdoğan, muitas vezes são fáceis para os jihadistas, incluindo os suspeitos do ISIS, e decidem pela sua libertação, apesar do nivelamento das acusações graves e das provas obtidas nos casos. Em contraste, os tribunais não mostram o mesmo tipo de tolerância com pessoas que são vítimas de acusações de motivação política, tais como jornalistas, ativistas e políticos da oposição. 

As autoridades turcas não revelam o número de condenações bem-sucedidas nos casos do ISIS e se recusam a responder às perguntas parlamentares solicitando tais informações. Em vez disso, muitas vezes, eles apresentam estatísticas sobre o número de detenções e, em alguns casos, prisões, que em muitos casos resultam em absolvição e libertação. 

Segundo o Ministro do Interior Suleyman Soylu, a polícia deteve 2.438 suspeitos do ISIS em 2021, mas apenas 487 deles foram formalmente presos, o que corresponde a uma taxa de prisão de 20%. Em outras palavras, quatro dos cinco suspeitos do ISIS detidos nunca foram colocados na prisão. Ele não forneceu números sobre quantos foram soltos após a prisão, como o caso de Rzaeva. Na maioria dos casos, os suspeitos ISIS que foram formalmente presos até o julgamento foram soltos pelos tribunais turcos em sua primeira audiência. 

Milhares de militantes, tanto turcos como estrangeiros, usaram o território turco para atravessar para a Síria com a ajuda de contrabandistas, a fim de lutar ao lado de grupos do ISIS ali. A agência de inteligência turca MIT facilitou suas viagens, com Kilis, uma província fronteiriça no sudeste da Turquia, um dos principais pontos de passagem para o território do ISIS. Os contrabandistas de pessoas eram conhecidos por terem sido ativos na área de fronteira, embora as autoridades turcas muitas vezes ignorassem suas viagens dentro e fora da Síria. 

Erdoğan anunciou em 10 de outubro de 2019 que havia cerca de 5.500 terroristas do ISIS nas prisões turcas, dos quais a metade eram estrangeiros. No entanto, em 25 de outubro de 2019, o então Ministro da Justiça Abdülhamit Gül declarou em uma entrevista coletiva que havia 1.163 presos e condenados do ISIS na prisão. 

Respondendo a uma pergunta parlamentar em 21 de julho de 2020, Gül declarou que 1.195 suspeitos e condenados do ISIS estavam nas prisões turcas em 16 de dezembro de 2019. Destes 791 eram cidadãos estrangeiros, acrescentou ele. Mais uma vez, ele não disse quantos estavam cumprindo pena por condenações ao ISIS bem-sucedidas, uma vez que muitos suspeitos do ISIS foram absolvidos, ou suas condenações foram anuladas pelo Supremo Tribunal de Apelações. 

por Abdullah Bozkurt 

Fonte: ISIS suicide bomber, wanted by INTERPOL, let go by Turkish court despite evidence, confession – Nordic Monitor  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer