Últimas notícias
  • Bancos turcos adotando o sistema de pagamentos russo Cinco bancos turcos assumiram o sistema de pagamentos russo conhecido como Mir, disse no sábado o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan, após suas conversas com o presidente Vladimir Putin no resort do Mar Negro de Sochi.  ...
  • Putin tem a chave para a reeleição de Erdoğan, diz o analista russo O contínuo apoio político e financeiro do presidente russo Vladimir Putin é necessário para que o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan ganhe a reeleição no próximo ano, disse um importante analista russo na segunda-feira, refletindo sobre uma reunião entre eles em Sochi, Rússia, que gerou alarme nas capitais ocidentais. ...
  • Usina nuclear na Ucrânia é bombardeada A Rússia e a Ucrânia trocaram acusações na segunda-feira de que cada lado está bombardeando a maior usina nuclear da Europa, no sul da Ucrânia. A Rússia alegou que o bombardeio ucraniano causou um aumento de energia e incêndios e forçou o pessoal a baixar a produção de dois reatores, enquanto a Ucrânia culpou as tropas russas por armazenarem armas lá. ...
  • Turquia está construindo fábrica de drones na Ucrânia para combater as forças de Putin A empresa turca Baykar, que produz os muito amados drones de ataque "Bayraktars" da Ucrânia, está atualmente no processo de construção de uma fábrica em território ucraniano, segundo o embaixador da Ucrânia na Turquia, Vasyl Bodnar. ...
  • Inflação anual do Istambul atinge a maior alta de 99% em 24 anos Os preços de varejo na maior cidade da Turquia e centro comercial da Istambul aumentaram 4,09% mês a mês em julho, para uma taxa anual de 99,11%, a maior inflação da cidade desde fevereiro de 1998, informou a mídia local na segunda-feira, citando dados da Câmara de Comércio Istambul (İTO). ...
  • Turquia e Rússia devem atuar em cooperação contra o terrorismo na Síria O presidente russo Vladimir Putin e o presidente turco Tayyip Erdogan confirmaram a determinação de agir em cooperação contra organizações terroristas na Síria, de acordo com uma declaração conjunta após sua reunião bilateral. ...
  • Rússia está usando usina nuclear como ‘escudo’, situação ‘fora de controle’, dizem as autoridades  As autoridades internacionais estão cada vez mais alarmadas com a situação de segurança na usina elétrica de Zaporizhzhia, a maior usina nuclear da Europa, com o embaixador americano na Ucrânia na quarta-feira acusando as forças russas de usá-la como "escudo nuclear" - disparando contra os ucranianos em torno da instalação, sabendo que eles não podem atirar de volta por medo de desencadear uma catástrofe nuclear. ...
  • Inflação na Turquia sobe para quase 80%, atingindo os consumidores A inflação anual na Turquia subiu para quase 80% em julho, dados oficiais mostraram na quarta-feira, com os preços dos alimentos, da habitação e da energia atingindo duramente os consumidores. ...
  • O poder de longo alcance de Erdoğan: 3 austro-turcos detidos por suspeita de espionagem O Ministério do Interior austríaco confirmou que três turcos austríacos foram detidos em junho por suspeita de espionagem de dissidentes para a Organização Nacional de Inteligência da Turquia (MİT) e foram libertados aguardando julgamento após interrogatório, informou a Turkish Minute. ...
  • Vítimas da repressão pós-golpe de Erdoğan presas na Turquia depois de rejeitas pela Grécia Três turcos que enfrentavam a prisão por acusações falsas de terrorismo como parte de uma repressão lançada pelo presidente Recep Tayyip Erdoğan após uma tentativa de golpe em 2016 e foram forçados de volta pela Grécia no início de julho, depois de terem fugido através da fronteira, foram presos pelas autoridades turcas, informou a Turkish Minute na quarta-feira. ...

Centenas se reúnem no TEDH para exigir justiça para as vítimas da repressão pós-golpe na Turquia 

Centenas se reúnem no TEDH para exigir justiça para as vítimas da repressão pós-golpe na Turquia 
junho 29
17:30 2022

Centenas de ativistas e vítimas da repressão da Turquia após o golpe de Estado, unidos pelo ex-líder do Partido Trabalhista britânico Jeremy Corbyn e parlamentares da UE, reuniram-se em frente ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) em Estrasburgo na sexta-feira para protestar contra as violações de direitos na Turquia e pedir ao TEDH que tomasse medidas rápidas contra eles, informou a Turkish Minute. 

O principal órgão europeu de revisão dos direitos humanos é acusado pelas vítimas de violações de direitos humanos na Turquia que culminaram após um putsch abortado em 2016, quando o governo lançou uma repressão contra cidadãos não lealistas sob o pretexto de uma luta antigolpe, de não processar rapidamente os pedidos das vítimas ou de emitir decisões a favor do governo turco em alguns casos. 

A Plataforma Ações Pacíficas, uma organização guarda-chuva composta por 24 grupos da sociedade civil, organizou o protesto. 

A plataforma disse em um comunicado à imprensa que o ECtHR está fechando os olhos para as violações dos direitos humanos ocorridas na Turquia sob o governo do Presidente Recep Tayyip Erdoğan. 

“O tribunal teve várias oportunidades para estabelecer os fatos relativos às graves violações dos direitos humanos na Turquia e obrigar o regime a respeitar os princípios básicos da Convenção Europeia sobre Direitos Humanos. Entretanto, falhou na execução de seus deveres e demonstrou incompetência, especialmente em relação às violações sistemáticas dos direitos de um grupo específico, o movimento Hizmet. Como o número de vítimas é de centenas de milhares, as violações constituem claros crimes contra a humanidade”, disse o comunicado de imprensa. 

O governo turco e Erdoğan acusam o movimento Hizmet, inspirado nas opiniões do clérigo turco Fethullah Gülen, de ter controlado o golpe fracassado em 15 de julho de 2016 e designou o grupo como uma organização terrorista. O movimento nega o envolvimento na tentativa de golpe ou em qualquer atividade terrorista. 

A multidão, cerca de 1.500 pessoas, marchou em direção ao edifício do TEDH em Estrasburgo. Eles cantavam slogans e carregaram faixas que diziam: ” TEDH, pare a injustiça na Turquia”, “Justiça atrasada é justiça negada”, “Vítimas estão aqui, onde estão os juízes?” e “ECtHR, pare o expurgo na Turquia”. 

Em nome da Plataforma de Ações Pacíficas, o ex-diplomata turco Rumi Ünal apresentou duas cartas ao Conselho da Europa (CoE), dirigidas à Comissária de Direitos Humanos do CoE Dunja Mijatović e à Secretária Geral do CoE Marija Pejčinović Burić. Ünal, que está entre os mais de 130.000 funcionários públicos purgados pelo governo turco após a tentativa de golpe, disse que as cartas incluem reclamações sobre a atitude “indiferente” do CoE em relação às violações dos direitos humanos na Turquia, bem como as expectativas das vítimas do conselho de falar em seu nome 

Um dos manifestantes criticou a suposta lentidão do TEDH em concluir as aplicações com um toque de humor, vestindo-se de caracol e carregando uma faixa que dizia: “Até eu sou mais rápido que o TEDH”. 

As vítimas exigem justiça 

Após se reunirem em frente ao ECtHR, as vítimas da repressão da Turquia após o golpe de Estado fizeram discursos. 

Parentes de vítimas de supostos desaparecimentos forçados perpetrados pela Turquia estavam entre os manifestantes, e alguns deles se dirigiram à multidão. 

Şefika Nur Kurt, irmã de Yusuf Bilge Tunç, um ex-funcionário público que desapareceu em agosto de 2019 e teme-se que tenha sido sequestrado pela inteligência turca, foi o primeiro a falar. 

Em março, o ECtHR rejeitou um pedido da família de Tunç que alegava que as autoridades turcas não haviam realizado uma investigação eficaz sobre seu desaparecimento. 

Kurt disse que a Turquia não conduziu uma investigação eficaz e que a rejeição do ECtHR do pedido lhe mostrou que a injustiça da Turquia do Erdoğan está sendo perpetuada na Europa. 

Depois de Kurt, Zeynep Kişi, a esposa de Zabit Kişi, uma ex-professora que foi sequestrada do Cazaquistão pela agência de inteligência turca MİT, subiu ao palco e disse que durante o desaparecimento forçado de seu marido, o TEDH não respondeu às suas petições. 

Corbyn falou após Kişi e enfatizou a necessidade de unir-se em solidariedade para exigir a aplicação universal dos direitos humanos. 

“Mostrar que há juízes em Estrasburgo”. 

Os Membros do Parlamento Europeu, Marie Arena (Bélgica), Costas Mavrides (Grécia) e Pierrette Herzberger Fofona (Alemanha), os membros do PACE, Catarina Rocha Ferreira (Portugal), Hannah Bardell (Reino Unido), ex-jogador de futebol turco Hakan Şükür e ex-jogador da NBA Enes Kanter participaram do protesto através de mensagens de vídeo. 

Şükür e Kanter, que vivem ambos fora da Turquia, estão entre as vítimas da repressão ao movimento Hizmet devido à sua filiação ao grupo e enfrentam penas de prisão na Turquia com acusações falsas de terrorismo. 

Em sua mensagem de vídeo Şükür, que se descreveu como “uma das vítimas do atual regime” na Turquia, disse que ele e sua família começaram a ser alvo do governo turco depois que ele tomou partido pela lei e pela justiça contra as ações ilegais do governo e foram submetidos a vários atos de opressão nas mãos do governo. 

Şükür disse que ele, assim como milhares de outros, tinha grandes expectativas dos juízes do ECtHR de “cumprir seu dever sem demora” e de estar ao lado da justiça. 

“A humanidade precisa disso”, acrescentou ele. 

O ex-jogador de futebol disse que o fracasso da Turquia em cumprir as decisões do TEDH de libertar o político curdo Selahattin Demirtaş e o empresário Osman Kavala da prisão mostram como o sistema judiciário do país carece de independência e é controlado pelo governo. 

Ele pediu aos juízes do TEDH que ajudem a restaurar o Estado de Direito na Turquia através de suas decisões e mostrem às vítimas que “há juízes em Estrasburgo”. 

Após o golpe abortivo, o governo turco declarou estado de emergência e realizou um expurgo maciço das instituições estatais sob o pretexto de uma luta contra o golpe de estado. Mais de 130.000 funcionários públicos, incluindo 4.156 juízes e promotores, assim como 29.444 membros das forças armadas foram sumariamente afastados de seus empregos por suposta afiliação ou relacionamento com “organizações terroristas” por decretos-lei de emergência não sujeitos a escrutínio judicial ou parlamentar. 

Um total de 319.587 pessoas foram detidas e 99.962 presas em operações contra apoiadores do movimento Hizmet desde a tentativa de golpe, disse o Ministro do Interior da Turquia, Süleyman Soylu, em novembro. 

Além dos milhares que foram presos, dezenas de outros seguidores do movimento Hizmet tiveram que fugir da Turquia para evitar a repressão do governo. 

Algumas dessas pessoas tiveram que fazer viagens ilegais e arriscadas em jangadas para a Grécia porque seus passaportes haviam sido revogados pelo governo. 

Fonte: Hundreds gather at ECtHR to demand justice for victims of Turkey’s post-coup crackdown – Stockholm Center for Freedom (stockholmcf.org)  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer