Últimas notícias

Homens que se identificam como policiais tentam sequestrar manifestante da Rua Yüksel

Homens que se identificam como policiais tentam sequestrar manifestante da Rua Yüksel
agosto 25
15:40 2021

Uma ex-funcionária pública anteriormente demitida de seu cargo com um decreto executivo disse que um grupo de homens que se identificavam como policiais tentou sequestrá-la, informou o Stockholm Center for Freedom, citando a mídia turca. 

Alev Şahin disse que quatro policiais a cercaram enquanto caminhavam até sua casa na sexta-feira, dizendo-lhe que precisavam levá-la à delegacia de polícia para um “testemunho que estava faltando”. 

“Fui parada no meio da rua por pessoas que me disseram que eram policiais”, disse ela no Twitter. “Eles me disseram que eu precisava ir à delegacia com eles, mas eu disse que só viria com meu advogado”. Então a van deles se aproximou e eles tentaram me forçar a entrar, mas eu resisti, temendo que eles iriam me sequestrar”. 

Os policiais saíram depois que ela chamou seu advogado. 

Şahin fazia parte de um grupo de manifestantes que se reuniam regularmente em frente ao monumento aos direitos humanos na rua Yüksel, em Ankara, exigindo o retorno de seus empregos. Eles foram demitidos sumariamente durante um estado de emergência declarado após uma tentativa de golpe em 2016 por suposta afiliação ou relacionamento com “organizações terroristas” por decretos-lei de emergência não sujeitos a escrutínio judicial ou parlamentar. 

A polícia turca tem usado notoriamente de força excessiva contra os manifestantes da rua Yüksel. 

Şahin disse que mais tarde tentou obter as imagens do sistema câmeras de segurança daquele dia em lojas e apartamentos na área, mas soube que todos os registros foram levados ou apagados por indivíduos que se identificaram como policiais. 

Şahin apresentou uma queixa junto a seu advogado e Ömer Faruk Gergerlioğlu, ativista de direitos humanos e deputado do Partido Democrático dos Povos (HDP). Ela fez uma declaração à imprensa em frente ao tribunal dizendo que não seria dissuadida por tais ameaças e continuaria sua luta para conseguir seu emprego de volta. 

Gergerlioğlu disse que a intimidação dos críticos do governo e os sequestros haviam se tornado comuns. “A polícia não pode operar de tal forma”, disse ele. “Estamos em um ponto em que os críticos não podem sequer andar nas ruas sem se sentirem preocupados com sua segurança”. 

Ele acrescentou que apresentaria uma pergunta parlamentar ao Ministério do Interior a respeito do incidente e do sequestro de críticos. 

Muitos críticos do governo relataram ter sido intimidados por pessoas que se identificavam como policiais. Alguns foram seguidos e levados sob custódia sem o conhecimento de seus advogados ou famílias apenas para reaparecerem dias e até mesmo semanas depois. 

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer