Últimas notícias

A Turquia remodelada marca cinco anos desde o golpe fracassado

A Turquia remodelada marca cinco anos desde o golpe fracassado
julho 16
13:49 2021

Uma Turquia radicalmente remodelada na quinta-feira completa cinco anos desde que um golpe fracassado contra o presidente Recep Tayyip Erdoğan desencadeou uma forte repressão política e prisões em massa.

Em uma noite amena de 15 de julho de 2016, uma facção dissidente nas forças armadas tentou assumir o controle do país, usando aviões de guerra e tanques para atacar edifícios do governo.

Cerca de 250 pessoas – além de pelo menos 24 conspiradores – morreram e mais de 2.000 ficaram feridas no caos que se seguiu, quando Erdoğan reuniu seus apoiadores na rua.

Desde então, o impacto da noite fatídica foi sentido em quase todos os aspectos da vida turca, incluindo a educação, o judiciário e a liderança.

A repressão a supostos golpistas, ativistas, defensores dos direitos humanos e oponentes políticos ajudou Erdoğan a consolidar ainda mais o controle que ele acumulou sobre a Turquia desde que subiu ao poder em 2003.

Mas também complicou suas relações com aliados ocidentais tradicionais e assustou o investidor estrangeiro por causa das preocupações com o estado de direito.

Menos de um ano após o golpe fracassado, Erdoğan realizou um referendo para transformar a democracia parlamentar da Turquia em uma presidência executiva.

Ele venceu por pouco e tem imenso poder em suas mãos, muitas vezes anunciando decisões importantes em decretos noturnos.

“Erdoğan usou a tentativa de golpe para consolidar seu controle sobre o poder”, disse o veterano analista da Turquia Gareth Jenkins.

‘Desvantagens’ do poder

15 de julho é agora um feriado, com Erdoğan convocando seus apoiadores para comparecerem em grande número em um evento de comemoração em Ancara na quinta-feira.

No entanto, essa centralização de poder tem uma desvantagem política quando as coisas dão errado, alertam os analistas, como aconteceu em todo o mundo durante a pandemia do coronavírus.

“Ter tanto poder também tem suas desvantagens: quando as coisas dão errado, como a atual situação econômica, é mais difícil desviar a culpa”, disse um diplomata ocidental à AFP.

A Turquia sofre de uma inflação persistentemente alta e a lira perdeu dois terços de seu valor em relação ao dólar americano desde a semana da tentativa de golpe.

A Turquia afirma que o pregador Fethullah Gülen, baseado nos Estados Unidos, planejou o golpe usando membros de sua rede nas forças armadas.

Gülen nega as acusações e insiste que seu movimento islâmico Hizmet promove a paz e a educação.

A recusa de Washington em extraditar Gülen tem sido uma constante irritação nas relações entre os aliados da OTAN.

Repressão Massiva

A repressão após o golpe fracassado também dizimou as fileiras militares turcas.

O ministro da Defesa, Hulusi Akar, disse na terça-feira que a Turquia demitiu 23.364 militares na luta contra a rede de Gülen.

Mais de 321.000 pessoas foram detidas desde 2016, disse o ministro do Interior, Süleyman Soylu.

A maioria foi libertada, mas a escala das detenções teve um efeito assustador na política turca.

Quase 4.000 juízes e promotores foram demitidos, entre mais de 100.000 trabalhadores do setor público demitidos ou suspensos por supostas ligações com Gülen.

Os tribunais proferiram penas de prisão perpétua para 3.000 pessoas, de acordo com a agência de notícias estatal Anadolu, enquanto 4.890 réus foram condenados por ligações com a tentativa de golpe.

Mas na quarta-feira, Erdoğan não deu sinais de abrandar.

“Seguiremos (seu movimento) até que seu último membro seja neutralizado”, disse ele.

‘Nova Turquia’

Alguns observadores acreditam que Erdoğan agora está usando sua capacidade de sobreviver a um golpe como base para seu legado.

As fronteiras atuais da Turquia nasceram da guerra de independência travada entre 1919 e 1923 e liderada pelo fundador da república secular, Mustafa Kemal Ataturk.

Erdoğan lidera um partido de raízes islâmicas e freqüentemente se refere à “Nova Turquia” que está construindo como parte de seu próprio legado.

“O golpe dá a base para este mito de uma Nova Turquia”, disse Jenkins à AFP.

“Isso permite que ele se retrate como o protetor do Estado e a figura principal da história moderna de seu país e, assim, moldar seu legado”, disse o diplomata ocidental.

Fonte: https://www.turkishminute.com/2021/07/15/reshapedturkeymark-five-years-since-failed-coup/

Marcadores

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer