Últimas notícias

Transcrição do tribunal expõe patrocínio da Turquia e do Catar a extremistas na Síria

Transcrição do tribunal expõe patrocínio da Turquia e do Catar a extremistas na Síria
agosto 06
20:53 2020

Outro escândalo envolvendo a Turquia foi exposto como a verdadeira razão por trás do assassinato do brigadeiro-general turco Semih Terzi, supostamente um dos principais líderes de um golpe fracassado em 2016 na Turquia.

A transcrição do tribunal disponibilizada pelo site Nordic Monitor revelou que Terzi foi baleado sob ordens diretas do Tenente General Zekai Aksakalli, então chefe do Comando das Forças Especiais da Turquia.

O documento do tribunal contendo o testemunho do coronel Firat Alakus, que também fazia parte da seção de inteligência do Comando das Forças Especiais, revelou que Terzi descobriu a transferência ilegal de fundos do Catar para jihadistas na Síria.

Alakus testemunhou em uma audiência no 17º Tribunal Superior Penal em Ancara, em março de 2019, que isso visava fortalecer a posição turca e piorar o conflito sírio.

Alakus acrescentou ainda que Terzi soube que Aksakalli fazia parte da missão secreta, liderada pela agência de inteligência turca (MIT), que administrava operações ilegais na Síria, apoiando militantes no país devastado pela guerra.

Alakus também acrescentou que o Catar foi um dos atores de toda essa conspiração contra o regime sírio, enquanto também havia outros países cujos fundos também foram mal direcionados para apoiar extremistas após serem transferidos para a Turquia, informou o Arab Post.

“Terzi sabia quanto do financiamento entregue à Turquia pelo Catar com o objetivo de comprar armas e munições para a oposição foi realmente usado para isso e quanto foi realmente usado por funcionários públicos, e quanto foi desviado”, disse Alakus.

“Terzi estava ciente de quem no governo estava envolvido em uma operação de contrabando de petróleo da Síria, como os lucros eram compartilhados e em quais atividades eles estavam envolvidos”, acrescentou Alakus.

Terzi também estava ciente de que, por ordem do governo turco, algumas autoridades do governo levaram membros importantes de grupos radicais e jihadistas armados para assistência médica na Turquia, sob o disfarce de serem das tropas do Exército Sírio Livre, tidas como moderadas, e também que receberam muitos subornos por seus serviços.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (SOHR) disse que o número de mercenários sírios apoiados pela Turquia na Líbia subiu para 15.300 até agora.

Ele acrescentou que um lote de combatentes da Líbia retornou para a Síria, em conjunto com uma reversão do processo durante o qual combatentes das facções pró-Ancara foram para a Líbia depois de receber treinamento em campos na Turquia.

Entre o número total de recrutas, existem cerca de 300 crianças entre 14 e 18 anos, a maioria delas na divisão “Sultan Murad”, que foram recrutadas para lutar na Líbia através de um processo de sedução financeira que explora suas difíceis condições de vida.

Fonte: Court transcript exposes Turkey-Qatar sponsorship of extremists in Syria 

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer