Últimas notícias

Estado de emergência do Erdogan foi um programa de “genocídio social” aponta pesquisa

Estado de emergência do Erdogan foi um programa de “genocídio social” aponta pesquisa
julho 15
21:25 2020

O estado de emergência de dois anos da Turquia após o fracasso na tentativa de golpe de 2016 resultou em aumento da pobreza, fuga de cérebros e uma diminuição geral da religiosidade, de acordo com relatório anual divulgado nesta segunda-feira pela Sociedade de Justiça para Vítimas e pelo parlamento Ömer Faruk Gergerlioğlu.

O estado de emergência se transformou em um “programa de genocídio social” através da opressão de mais de 1,5 milhão de cidadãos da Turquia, o site de notícias Duvar citou o documento de 1.500 páginas com base nos testemunhos de mais de 3.000 vítimas de expurgo de toda a Turquia e do mundo.

Cinco dias após a tentativa de golpe de 15 de julho de 2016, o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) da Turquia declarou estado de emergência e começou a emitir decretos, que fez com que cerca de 80.000 pessoas fossem colocadas atrás das grades e mais de 150.000 demitidas de seus empregos no estado como parte de uma repressão contra supostos membros do movimento Hizmet.

Ancara acusa o grupo, inspirado nas palestras e livros do clérigo muçulmano Fethullah Gülen, auto-exilado nos EUA, de orquestrar o golpe fracassado, alegação que Gülen nega.

Comparado com os números do ano passado, houve um aumento no número de pessoas que se definem como fora do Islã, incluindo ateístas e agnósticos, segundo o relatório.

Depois que o estado de emergência entrou em vigor, cerca de 7.508 acadêmicos e 17.164 militares foram demitidos enquanto que nos Ministérios do Interior e da Saúde foram demitidos 43.648 e 7.755 funcionários, respectivamente, segundo o estudo.

As vítimas do decreto-lei da Turquia não só foram demitidas de seus empregos, mas também “impedidas de procurar emprego no setor privado e tiveram acesso negado a benefícios sociais”, disse Gergerlioğlu, legislador do Partido Democrata dos Povos Pró-Curdos, em entrevista coletiva nesta segunda-feira para compartilhar as conclusões do relatório.

Fonte: Turkey’s two-year state of emergency rule a ‘social genocide’ programme – report 

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer