Últimas notícias

Cerca de 3,5 milhões de refugiados sírios na Turquia lutam por acesso à educação

Cerca de 3,5 milhões de refugiados sírios na Turquia lutam por acesso à educação
março 26
20:40 2019

A Cidade de Adana, no sul da Turquia, perto da fronteira com a Síria, é indicativa da situação dos atuais 3,5 milhões de refugiados sírios que vivem na Turquia — incluindo centenas de milhares de menores que frequentemente não estão matriculados na escola. Mas um programa do UNICEF pretende mudar isso com dinheiro do acordo UE-Turquia.
Cuma El Ahmedi, um refugiado sírio que vive na Turquia com sua esposa Fátima e quatro crianças entre nove e 15 anos, diz ter encontrado ajuda em um centro administrado pelo Crescente Vermelho em Adana, uma cidade no sul da Turquia há apenas duas horas longe da fronteira síria. “Estávamos bem em Aleppo”, disse El Ahmedi. “Eu tinha uma empresa de distribuição, mas não temos mais nada lá. Nossa vida está aqui agora”. El Ahmedi diz que sua família foi ajudada financeiramente pelo centro e que seus filhos agora podem ir à escola.
Sem o centro, ele não teria sido capaz de fornecer aos filhos uma educação: “Estou desempregado e tenho um problema cardíaco”, ele lamenta. Segundo estimativas da UNICEF, as crianças de El Ahmedi estão entre as 645.000 crianças refugiadas que frequentam escolas na Turquia, cerca de 60% do total de crianças em idade escolar no país. Shabaan, seu filho mais novo, em certo momento desistiu porque estava sendo intimidado — seu nome é semelhante a um conhecido personagem de cinema turco que não é particularmente brilhante, explicou El Ahmedi.
De fato, 40% dos alunos abandonam a escola, com quase 400.000 crianças e adolescentes que não podem ir às aulas porque precisam trabalhar, são obrigados a casar cedo ou simplesmente não podem comprar livros.
Um projeto para apoiar menores
Juntamente com os ministérios de bem-estar e educação da Turquia e com o Crescente Vermelho Turco, o UNICEF lançou em 2017 o maior programa do país até o momento para garantir que os refugiados tenham acesso à educação. O programa Transferência Condicional de Renda para Educação (CCTE) é financiado até julho com 85 milhões de euros da primeira parcela de três bilhões de euros em ajuda do acordo UE-Turquia, que foi alcançado há três anos em 18 de março — com novos recursos já atribuídos por Bruxelas.
Por meio do programa CCTE, 487.000 crianças refugiadas — 85% das quais são sírias — receberam apoio econômico vinculado à participação regular em atividades educacionais, a fim de ajudar as famílias mais vulneráveis a enviar seus filhos à escola. E no terceiro aniversário do acordo UE-Turquia, os mais de 3,5 milhões de sírios que permaneceram no país estão tentando construir um futuro.
Partidas para a Europa bloqueadas
Deixar a Turquia para a Europa, assim como voltar para a Síria é quase impossível. Embora as autoridades turcas digam que 310 mil refugiados viajaram de volta para as áreas do norte da Síria controladas pela Turquia. A segunda parcela dos seis bilhões de euros prometidos pela UE ao governo turco ainda precisa ser distribuída. Os projetos financiados com a primeira parcela no valor de três bilhões de euros devem ser concluídos até o final deste ano.
Os projetos não apenas financiam escolas, hospitais e centros sociais, como também fornecem ajuda financeira mensal para cerca de 1,5 milhão de sírios. Recursos adicionais foram alocados para promover a educação. A escola primária Sehit Duran em Adana, por exemplo, organiza aulas de “educação informal” pela manhã para ajudar os refugiados a aprender a língua turca para que possam frequentar a escola.
O programa teve início no último verão e tem como objetivo inscrever pelo menos 65.000 menores em escolas turcas. Um deles é Hasan, de 11 anos, que gostaria de se tornar jogador de futebol um dia, mas que, entretanto, adora ir à escola. “Espero poder continuar”, disse ele.

FONTE: https://www.infomigrants.net/en/post/15842/3-5-million-syrian-refugees-in-turkey-struggle-with-access-to-education

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer