Últimas notícias
  • UE diz que Turquia ainda está “recuando” nas reformas e sombria nas chances de adesão O executivo da União Europeia disse na terça-feira que a candidatura da Turquia à adesão ao bloco havia "parado" em meio a sérias deficiências democráticas, em seu relatório anual mais crítico desde que Ancara iniciou as negociações de adesão há 16 anos. ...
  • Embaixada da Turquia nas Filipinas espionou 29 críticos de Erdoğan A Embaixada da Turquia nas Filipinas espionou os cidadãos turcos no país e encaminhou a lista de perfis ilegais para Ancara, o que levou ao lançamento de procedimentos judiciais infundados contra eles, informou o Nordic Monitor, citando documentos legais. ...
  • Lira turca atinge recorde de baixa enquanto Erdogan despede banqueiros centrais A lira turca afundou a uma baixa recorde em relação ao dólar americano na quinta-feira depois que o presidente Recep Tayyip Erdoğan demitiu três membros do banco central em um decreto no meio da noite, informou a Agence France-Presse. ...
  • Condições de trabalho degradantes expulsam médicos da Turquia Milhares de médicos estão deixando a Turquia como resultado dos baixos salários aliados à violência que enfrentam de pacientes zangados e seus familiares, uma situação só agravada pela pandemia do coronavírus e pela crise econômica resultante. ...
  • SADAT, “Exército paralelo” de Erdoğan, pode assassinar dissidentes O notório chefe da máfia turca, Sedat Peker, alegou em uma série de tweets que a SADAT, um grupo paramilitar ligado ao Presidente Recep Tayyip Erdoğan, poderia possivelmente realizar assassinatos de dissidentes que vivem na Turquia e no exterior num futuro próximo, noticiou a mídia local. ...
  • Deputado pede a libertação de paciente com câncer terminal Um deputado do Partido Democrata Popular (HDP), pró-curdo, pediu a libertação imediata de Ayşe Özdoğan, uma mulher criticamente doente que sofre de uma forma rara de câncer e foi enviada para a prisão para cumprir uma sentença de condenação por vínculos com o movimento Hizmet no início deste mês, informou a mídia local. ...
  • Outro Dia, Outro Expurgo no Banco Central da Turquia As cabeças estão rolando no banco central da Turquia, desta vez por não baixar as taxas de juros agressivamente o suficiente. Cortes mais profundos provavelmente virão, talvez logo na próxima semana. Este é um jogo perigoso quando a maior parte do mundo está se movendo na direção oposta. É improvável que uma moeda já maltratada se saia bem, e qualquer fragmento de credibilidade que a política monetária tenha deixado neste icônico mercado emergente será corroído. ...
  • O advogado do Twitter na Turquia tuita discurso de ódio contra o movimento Hizmet O advogado Gönenç Gürkaynak, que representa o Twitter na Turquia, usou de discurso de ódio contra apoiadores do movimento Hizmet numa série de tweets no sábado, perguntando se consideravam exterminar-se a si próprios, informou na segunda-feira o Stockholm Center for Freedom. ...
  • O Alto Custo de uma Turquia Imprevisível Faltando vinte meses para as eleições legislativas e presidenciais na Turquia, o debate político será feroz. O Ocidente poderá optar por não ver a sua relação com Ancara deteriorar-se ainda mais.  ...
  • Lançada investigação sobre assassinatos políticos antes das eleições de 2023 Um promotor turco iniciou uma investigação sobre as reivindicações, recentemente manifestadas por altas figuras da oposição, de que os assassinatos políticos podem ocorrer na Turquia à medida que as eleições de 2023 se aproximam, informou a mídia local na quarta-feira. ...

Turquia mantém preso pastor americano após início de seu julgamento

Turquia mantém preso pastor americano após início de seu julgamento
abril 17
11:32 2018

Um pastor americano que está detido na Turquia há um ano e meio, acusado de atividades “terroristas”, rejeitou todas as acusações nesta segunda-feira (16), no início de seu julgamento, seguido de perto pelo governo dos Estados Unidos.

Após este primeiro comparecimento em um juizado do complexo penitenciário de Aliaga, na província de Esmirna, oeste da Turquia, o tribunal decidiu manter em detenção o acusado, alegando risco de fuga.

Durante a audiência, Andrew Brunson caiu em prantos, queixando-se, especialmente, das transferências que sofreu entre diferentes presídios.

“Não fiz nada contra a Turquia. Pelo contrário, amo a Turquia, rezo por este país há 25 anos”, declarou em turco Brunson, vestindo uma camisa branca e terno preto.

Estabelecido na Turquia desde 1993, o americano de 50 anos, que liderou uma igreja protestante com sua esposa em Esmirna, foi preso pelas autoridades turcas em outubro de 2016.

De acordo com a acusação, o pastor é acusado de “integrar a direção” da rede de Fethullah Gülen, homem apontado por Ancara como o cérebro do golpe de Estado frustrado de julho de 2016 contra o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. Também é apontado como integrante do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

A Turquia considera essas duas organizações “terroristas”.

Gülen, que vive nos Estados Unidos há 20 anos, nega qualquer envolvimento na tentativa de golpe de 2016.

“Seria um insulto à minha religião. Sou cristão, não me juntaria a um movimento islâmico (a rede de Gülen)”, defendeu-se Brunson, igualmente acusado de espionagem para fins políticos e militares.

“Seu direito à liberdade e à segurança foi violado. Antes de tudo, esperamos obter sua libertação”, declarou seu advogado, Cem Halavurt, à AFP no domingo.

Se for considerado culpado, Brunson pode ser condenado a duas sentenças de 15 e 20 anos de prisão, segundo seu advogado.

Sua esposa, Norine Brunson, esteve presente nesta segunda no tribunal, assim como o senador americano Thom Tillis e o embaixador do Estados Unidos para Liberdade Religiosa Internacional, Sam Brownback.

– “Esperança” –

Entre as acusações contra ele, lidas na segunda-feira na corte na ata de acusação, estão encontros com supostos ‘gulenistas’, assim como missas a favor dos curdos e o uso do termo “Curdistão” para designar o sudeste da Turquia.

Mas Brunson alega que “não há provas concretas” de suas ligações com supostos ‘gulenistas’ e afirma defender a “integridade territorial da Turquia”.

A prisão de Brunson é um dos principais motivos de discórdia entre os Estados Unidos e a Turquia, dois países aliados na Otan, cujas relações se deterioraram nos últimos tempos.

“Esta relação não vai melhorar enquanto Andrew Brunson continuar preso”, informou Brownback à imprensa.

Todo o governo americano, inclusive o presidente Donald Trump, está mobilizado neste caso, acrescentou. “Desejamos que seja libertado”, disse.

As tensões entre os dois países se devem, sobretudo, ao apoio que Washington dá a uma milícia curdo-síria considerada “terrorista” por Ancara, à detenção na Turquia de dois funcionários de missões diplomáticas americanas e ao fato de os Estados Unidos rejeitarem os pedidos de extradição de Gülen.

Em setembro, Erdogan sugeriu que seu país poderia libertar Brunson em troca de Fethullah Gülen.

“Eles (os americanos) nos dizem: ‘Deem-nos o pastor’. Mas vocês também têm um religioso (Gülen). Entreguem-no e julgaremos [o pastor] e o devolveremos”, declarou na ocasião.

Washington tenta obter a liberdade de Brunson, mas sempre rejeitou a possibilidade de troca.

No entanto, as autoridades americanas discretamente abandonaram as ações judiciais contra 11 agentes de segurança de Erdogan, acusados de agredirem manifestantes pró-curdos em Washington durante uma visita do presidente turco em maio de 2017.

E dois partidários do presidente turco julgados no mesmo caso serão libertados em breve, após terem sido condenados a 366 dias de prisão.

A Polícia manteve a esposa do religioso, Norine Brunson, junto com ele, as as autoridades a libertaram em dezembro de 2016.

A próxima audiência do processo será celebrada em 7 de maio.

Originalmente publicado em: https://istoe.com.br/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer