Últimas notícias

Depois que Estado Islâmico reivindica ataque à casa noturna em Istambul, 8 são detidos na Turquia

Depois que Estado Islâmico reivindica ataque à casa noturna em Istambul, 8 são detidos na Turquia
janeiro 02
12:57 2017

Horas depois que o Estado Islâmico no Iraque e Levante (ISIS) reivindicou responsabilidade pelo ataque que matou pelo menos 39 pessoas e feriu 69 outras em uma casa noturna de Istambul nas primeiras horas do dia de ano novo, oito foram detidos na Turquia durante a investigação do massacre.

“Como continuação das operações abençoadas que o Estado Islâmico está conduzindo contra o protetor da cruz, a Turquia, um heroico soldado do califado atacou umas das mais famosas casas noturnas onde cristãos celebram seu feriado apóstata”, disse a declaração do ISIS conforme relatada pela Reuters.

Trinta e cinco vítimas do massacre realizado por um atirador solitário nas primeiras horas do domingo foram identificadas, com 24 delas sendo estrangeiras e 11 turcas, relatou a DHA.

Um pouco depois de uma da manhã do Dia de Ano Novo, é relatado que um homem empunhando um fuzil Kalashnikov matou um policial e um civil no lado de fora da entrada de popular casa noturna Reina e entrou rapidamente atirando na casa noturna, atirando aleatoriamente em alguns das centenas de foliões comemorando a chegada do ano novo.

Dos 25 homens e 14 mulheres vítimas da matança, sete eram sauditas, dois indianos, um do Canadá, um da Síria, um de Israel, dois tunisianos, 4 do Iraque, um libanês e um da Bélgica. Onze eram turcos.

O Instituto de Medicina Forense (ATK) está trabalhando para identificar os quatro estrangeiros que restam, mortos no alvoroço.

Os círculos pró-governo na Turquia continuam a culpar os Estados Unidos pelo ataque devido a avisos de segurança anteriores.

Em 22 de dezembro a Embaixada Americana em Ancara havia emitido um aviso de segurança. Logo em seguida do ataque no Dia de Ano Novo, o dono do Reina, Mehmet Kocarslan disse que os EUA haviam avisado de um possível ataque 10 antes do ano novo.

Em uma nova declaração publicada no domingo, a Embaixada Americana disse que ao contrário dos rumores circulando nas mídias sociais, o governo americano não possuía informações sobre as ameaças a pontos de entretenimento específicos, incluindo a Reina Club, e que o governo americano não avisou os americanos para ficarem longe de pontos ou bairros específicos.

Fonte: www.turkishminute.com

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer