Últimas notícias
  • Elogiar o movimento Hizmet antes da tentativa de golpe de 2016 não é crime, diz o TEDH O Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) penalizou na Turquia por violar o direito à liberdade de expressão de um ex-professor, afirmando que os comentários públicos a favor do movimento Hizmet feitos antes de uma tentativa de golpe em julho de 2016 não constituem um crime, informou a mídia local na terça-feira....
  • Perguntas de coletiva de imprensa para Erdoğan vazadas com antecedência por jornal O presidente turco Recep Tayyip Erdoğan recebeu uma lista de perguntas em uma coletiva de imprensa na segunda-feira, que foram exatamente as mesmas perguntas vazadas anteriormente por um jornal, reforçando as alegações de que os jornalistas não são livres para perguntar ao presidente o que quiserem....
  • Conselho da Europa deve disciplinar a Turquia sobre ativista preso O Conselho da Europa disse na sexta-feira que vai lançar uma ação disciplinar contra a Turquia por se recusar a libertar o proeminente ativista e filantropo Osman Kavala, desencadeando um procedimento usado apenas uma vez na história da organização....
  • Por que a queda da moeda turca não preocupa Erdogan A moeda nacional da Turquia caiu 45% em relação ao dólar este ano e, no entanto, o Presidente Recep Tayyip Erdogan não parece ter se incomodado com isso....
  • CoE insta “fortemente” as autoridades turcas a liberar Demirtaş O Comitê de Ministros do Conselho da Europa adotou na quinta-feira uma resolução provisória "instando fortemente" as autoridades turcas a assegurar a libertação imediata do líder curdo preso Selahattin Demirtaş....
  • A crise monetária da Turquia Após a demissão do ministro das finanças e sua substituição por um lealista em 2 de dezembro, a lira turca continuou seu declínio constante em relação ao dólar, elevando suas perdas do ano para quase 50%. A moeda turca está novamente sob ataque especulativo, semelhante aos episódios anteriores em julho de 2018 e outubro de 2020. Os cortes antecipados do Banco Central da República da Turquia (CBRT) na taxa de câmbio desde setembro resultaram em um êxodo de capital estrangeiro e em uma corrida na demanda por divisas entre os investidores domésticos. Enquanto isso, os preços globais de commodities e energia permanecem altos (apesar da recente queda nos preços do petróleo), e as expectativas em relação à inflação se deterioraram significativamente, levando a taxa de câmbio TL a cair de 8,30 para 13,60 para o dólar em menos de três meses....
  • Turquia aumentará sua presença na INTERPOL, diz membro recém-eleito do Comitê Executivo A Turquia aumentará sua presença na INTERPOL aumentando seu número de oficiais de ligação na Secretaria Geral e nomeando mais candidatos para cargos superiores dentro da organização, disse na quinta-feira Selçuk Sevgel, membro recém-eleito do Comitê Executivo da INTERPOL, em entrevista à agência estatal de notícias Anadolu, informou o Stockholm Center for Freedom....
  • Papa pede por cura em um Chipre dividido, arcebispo ortodoxo ataca a Turquia Papa encontra os líderes cristãos ortodoxos de Chipre. Pede por cura na ilha dividida. Líder cipriota turco convida papa a visitar o norte. Muitos dos participantes da missa são filipinos que trabalham no Chipre...
  • Ministro das finanças da Turquia, Lutfi Elvan, demite-se em meio à crise monetária O Ministro das Finanças e do Tesouro da Turquia, Lutfi Elvan, renunciou em meio a uma forte queda da lira turca, de acordo com um decreto presidencial emitido no jornal oficial turco na quinta-feira....
  • Documentário sobre femicídios na Turquia é a indicação ao Oscar do Reino Unido Um documentário relatando os esforços dos ativistas que trabalham para acabar com a violência contra as mulheres na Turquia foi escolhido como a entrada oficial do Reino Unido para a categoria de Melhor Longa Metragem Internacional no Oscar....

Tutores demitem 600 jornalistas do grupo Feza

Tutores demitem 600 jornalistas do grupo Feza
junho 16
16:38 2016

Cerca de 600 jornalistas foram demitidos dos jornais Zaman e Today’s Zaman, da agência de notícias Cihan e da emissora de TV Irmak, depois que tutores foram designados para a direção do grupo de mídia Feza em uma jogada liderada pelo governo em 3 de março de 2016, reportou o jornal turco Yeni Hayat na quinta-feira.

Os tutores Sezai Sengonul, Tahsin Kaplan e Metin Ilhan mudaram a linha editorial do grupo, de crítica em vergonhosamente pró-governo imediatamente após suas nomeações.

O Zaman era o jornal mais vendido antes da nomeação dos tutores, com 635.000 cópias por dia. Contudo, a circulação despencou para 5.000, devido à mudança na linha editorial, em apenas alguns dias.

Em 6 e 7 de março, o acervo de 20 anos do jornal Zaman, o primeiro jornal online na Turquia, foi destruído com uma proibição sobre o acesso a todos os artigos de notícia.

Policiais vagaram pelos corredores do jornal por um mês depois da tomada de controle. Caminhões blindados com canhões d’água (TOMA) foram deixados na entrada do jornal por três meses. Guardas de segurança privada mantinham vigia em muitos pontos, incluindo as entradas para a sala de oração e do acervo do jornal.

Publicações como o Zaman Kitap, a revista Ailem, a revista satírica Puff e também a emissora de TV Irmak foram fechadas pelos tutores supostamente para poupar dinheiro, enquanto que cerca de 100 novos funcionários foram contratados para o jornal Zaman e para a agência de notícias Chan com solários mais altos.

Tutores também confiscaram a Distribuição de Mídia Chan – que distribuía 1,1 milhão de jornais diariamente – , interrompendo a distribuição de várias publicações, incluindo os jornais Zaman, Ozgur Dusunce, Meydan, Taraf, Yeni Asya e a revista semanal Aksiyon. Os tutores demitiram cerca de 2.000 funcionários da Distribuição de Mídia Chan, que estava entre 500 melhores empresas na Turquia antes de ser confiscada.

A polícia invadiu a sede do jornal Zaman e usou gás de pimenta contra milhares de leitores depois, em 4 de março, depois que o juiz de Istambul Fevzi Keles nomeou tutores para assumirem a direção do Grupo de Mídia Feza, desferindo um novo golpe a já convalida liberdade de imprensa na Turquia.

A decisão foi emitida pelo 6º Tribunal Penal de Paz de Istambul a pedido Promotor Público Chefe, de Istambul, Fuzuli Aydogdu, que alegou que o grupo de mídia agia sob ordens do que é chamado de “Organização Terrorista Fethullahista/Estrutura de Estado Paralelo”, exaltando o grupo e ajudando-o alcançar seus objetivos em suas publicações.

O promotor também alegou que o suposto grupo terrorista está cooperando com a organização terrorista do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) para derrubar o governo turco e que funcionários de alto escalão dos dois grupos tiveram reuniões no exterior.

A tomada de controle do grupo de mídia, que atraiu condenação pelo mundo todo por ser ainda mais um golpe na liberdade de imprensa, veio como parte da decorrente guerra do Presidente Recep Tayyip Erdogan contra o movimento Gulen.

Erdogan lançou uma guerra contra o movimento, logo após a publicação da investigação de corrupção no final de 2013, em que o círculo interno de Erdogan foi envolvido. Erdogan acusa o movimento de planejar a investigação para derrubar seu governo e estabelecer uma “estrutura paralela” dentro do estado. Contudo, o movimento, inspirado pelo intelectual turco-islâmico residente nos EUA Fethullah Gulen, fortemente nega a alegação.
Erdogan também se refere ao movimento como uma organização terrorista apesar de não existir ordem judicial na Turquia reconhecendo o movimento como tal.

Tradução de: Renato José Lima Trevisan

Fonte: www.turkishminute.com

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer