Últimas notícias

“Eles estão nos matando”: Migrantes presos em uma pequena ilha pedem ajuda

“Eles estão nos matando”: Migrantes presos em uma pequena ilha pedem ajuda
agosto 14
12:33 2022

A organização AGreek de direitos humanos tem chamado as autoridades para ajudar dezenas de migrantes e requerentes de asilo que dizem ter ficado presos em uma pequena ilha fluvial na fronteira entre a Grécia e a Turquia. O Conselho Grego de Refugiados disse à CBS News que o contato com o grupo foi perdido na quarta-feira depois que uma jovem entre o povo desesperado foi alegadamente morta por um escorpião esta semana. 

A irmã de 5 anos da menina de 9 anos estava muito doente após possivelmente também ter sido picada, disse Vasileios Papadopoulos, presidente da organização, à CBS News. Ele disse que os migrantes, alguns dos quais ficaram presos lá por mais de 20 dias, não tiveram acesso a comida ou água limpa, deixando-os para buscar o que pudessem da ilha florestada. 

“Estou dizendo, ajuda … é difícil sobreviver”, disse um refugiado de 28 anos chamado Bayda em uma gravação de áudio emocional enviada esta semana a grupos de notícias e humanitários.  

“Eles estão nos matando na Síria, na Turquia, nesta ilha, na Grécia, em todos os lugares do mundo”, disse ela através de soluços. “Qual é a nossa culpa? Porque ninguém pode nos ouvir?” 

A Associated Press informou na quinta-feira que a polícia grega tinha dito que estava perseguindo relatos sobre os migrantes, mas não tinha conseguido localizá-los devido às diferentes coordenadas dadas para sua localização. A polícia disse à AP que as coordenadas fornecidas para os migrantes estavam “fora da soberania grega”, e que eles tinham pedido à vizinha Turquia para fornecer assistência urgente a um grupo de cerca de 40 pessoas. 

O Conselho Grego de Refugiados disse na sexta-feira que a afirmação da Grécia levanta questões sobre o status da pequena ilha fluvial, que é mostrada em mapas online como pertencente à Grécia. Eles disseram ser positivo, entretanto, que “as autoridades pelo menos finalmente reconhecem a existência do grupo, que até agora haviam negado ser capaz de encontrar, apesar de saberem a localização durante dias e apesar de suas professas operações de busca tripuladas e não tripuladas para localizá-los”. 

“O que vai acontecer?” Bayda disse na mensagem de áudio. “Talvez todos nós morremos pela manhã. Esta ilha está cheia de cobras, escorpiões e muitos insetos. … Este é o inferno na terra. Eu juro, este é o inferno na terra, e ninguém pode nos ajudar”. 

Milhares de pessoas de todo o Oriente Médio, África e Ásia, na esperança de uma vida melhor na Europa, tentam atravessar para a Grécia a cada ano, vindas da Turquia. A pequena ilha no rio que forma a fronteira entre a Grécia e a Turquia tem sido um ponto de passagem freqüente, mas as autoridades gregas têm sido acusadas de empurrar violentamente os migrantes de volta para o território turco nos últimos meses. A rede de televisão Al Jazeera noticiou que as autoridades turcas também forçaram as pessoas a atravessar para a Grécia. 

Os chamados “empurrões” – quando as pessoas são forçadas a voltar ao país de onde vieram sem permissão para pedir asilo – são ilegais sob o direito internacional. Tanto a Grécia quanto a Turquia negaram as alegações anteriores. 

Os refugiados presos na ilhota no que os gregos chamam de rio Evros já foram empurrados para frente e para trás entre os dois países, disse Papadopoulos à CBS News. Ele disse que o contato pode ter sido perdido com eles porque os telefones do grupo morreram, ou porque eles foram movidos. 

Na terça-feira, sua organização e outro grupo de direitos, HumanRights360, divulgou coordenadas para um local no Google Maps onde disseram que os migrantes e refugiados estavam presos. Esse local estava na ilhota, que os mapas mostravam como estando dentro do território grego, e os grupos apelaram às autoridades gregas para que prestassem assistência. 

O Tribunal Europeu de Direitos Humanos emitiu uma ordem na terça-feira instruindo as autoridades gregas a não retirar os migrantes do território grego, e a fornecer-lhes ajuda humanitária. Uma ordem anterior e semelhante foi emitida no final de julho, disse Papadopoulos. 

“Especialmente nos últimos dois meses, desde o início de junho, as autoridades gregas não cumprem as ordens do tribunal europeu”, disse Papadopoulos. 

A CBS News solicitou comentários das autoridades gregas e turcas sobre os migrantes, mas não havia recebido respostas até o momento da publicação. 

Papadopoulos disse que, como a ilhota estava em uma zona restrita, as organizações humanitárias não podiam viajar para lá para prestar assistência unilateralmente. 

“Salve as pessoas”. Salvar pessoas”, disse ele quando perguntado qual seria sua mensagem para ambos os governos. “Salve esta menina de 9 anos”. 

Haley Ott 

Khaled Wassef contribuiu para este relatório. 

Fonte: “They’re killing us”: Migrants trapped on tiny island beg for help (msn.com)  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer