Últimas notícias
  • SADAT, “Exército paralelo” de Erdoğan, pode assassinar dissidentes O notório chefe da máfia turca, Sedat Peker, alegou em uma série de tweets que a SADAT, um grupo paramilitar ligado ao Presidente Recep Tayyip Erdoğan, poderia possivelmente realizar assassinatos de dissidentes que vivem na Turquia e no exterior num futuro próximo, noticiou a mídia local. ...
  • Deputado pede a libertação de paciente com câncer terminal Um deputado do Partido Democrata Popular (HDP), pró-curdo, pediu a libertação imediata de Ayşe Özdoğan, uma mulher criticamente doente que sofre de uma forma rara de câncer e foi enviada para a prisão para cumprir uma sentença de condenação por vínculos com o movimento Hizmet no início deste mês, informou a mídia local. ...
  • Outro Dia, Outro Expurgo no Banco Central da Turquia As cabeças estão rolando no banco central da Turquia, desta vez por não baixar as taxas de juros agressivamente o suficiente. Cortes mais profundos provavelmente virão, talvez logo na próxima semana. Este é um jogo perigoso quando a maior parte do mundo está se movendo na direção oposta. É improvável que uma moeda já maltratada se saia bem, e qualquer fragmento de credibilidade que a política monetária tenha deixado neste icônico mercado emergente será corroído. ...
  • O advogado do Twitter na Turquia tuita discurso de ódio contra o movimento Hizmet O advogado Gönenç Gürkaynak, que representa o Twitter na Turquia, usou de discurso de ódio contra apoiadores do movimento Hizmet numa série de tweets no sábado, perguntando se consideravam exterminar-se a si próprios, informou na segunda-feira o Stockholm Center for Freedom. ...
  • O Alto Custo de uma Turquia Imprevisível Faltando vinte meses para as eleições legislativas e presidenciais na Turquia, o debate político será feroz. O Ocidente poderá optar por não ver a sua relação com Ancara deteriorar-se ainda mais.  ...
  • Lançada investigação sobre assassinatos políticos antes das eleições de 2023 Um promotor turco iniciou uma investigação sobre as reivindicações, recentemente manifestadas por altas figuras da oposição, de que os assassinatos políticos podem ocorrer na Turquia à medida que as eleições de 2023 se aproximam, informou a mídia local na quarta-feira. ...
  • AKP e MHP rejeitam moção para investigar os atentados de 2015 em Ancara  Partido da Justiça e Desenvolvimento da Turquia (AKP) e seu aliado, o Partido do Movimento Nacionalista (MHP), rejeitaram uma moção parlamentar para investigar o ataque terrorista mais mortal da história da Turquia, que custou a vida de mais de 100 pessoas em Ancara em 2015, noticiaram os meios de comunicação turcos. ...
  • Turquia registra 30.563 novos casos de COVID-19, o maior desde 30 de abril A Turquia registrou 30.563 novos casos de COVID-19 na segunda-feira, o maior número de infecções diárias desde 30 de abril, os dados do Ministério da Saúde mostraram. ...
  • Fugindo do Talibã: A luta de um policial afegão para entrar na Turquia Com a crescente preocupação com uma crise humanitária no Afeganistão, as autoridades da Turquia intensificaram a segurança em suas fronteiras e advertiram que não aceitarão um afluxo de migrantes e refugiados afegãos. ...
  • Iraque prende chefe financeiro do ISIL procurado pelos EUA na Turquia O Iraque capturou Sami Jasim al-Jaburi, o suposto chefe financeiro do Estado islâmico no Iraque e no Levante (ISIL) que era procurado pelos Estados Unidos, em uma operação no exterior, informou na segunda-feira a Agence France-Presse, citando as autoridades iraquianas. ...

Grécia secretamente expulsa mais de mil refugiados, ao abandoná-los no mar

Grécia secretamente expulsa mais de mil refugiados, ao abandoná-los no mar
agosto 18
16:29 2020

A Grécia ilegal e secretamente expulsou mais de mil refugiados nos últimos meses, ao abandoná-los no mar, ao redor das águas territoriais gregas, revelou uma reportagem do jornal The New York Times, com base em evidência e relatos presenciais, de pesquisadores e da Guarda Costeira da Turquia.

Ao menos 1.072 refugiados e imigrantes foram abandonados no mar por oficiais da Grécia em 31 ocasiões distintas, desde março de 2020.

Os refugiados, a maioria sírios que fogem da guerra civil, foram forçados a navegar em barcos salva-vidas danificados na fronteira marítima entre Grécia e Turquia. Casos incluem refugiados deixados em seus barcos após oficiais gregos desativarem seus motores.

Dentre os relatos em primeira pessoa, documentados pelo NYT, está o caso de Najma al-Khatib, mãe síria que fugiu à Turquia, em 2019, com seus dois filhos, conforme o avanço militar do regime sírio de Bashar al-Assad em direção norte.

Após seu marido falecer de câncer, na Turquia, Najma tentou chegar à Grécia, três vezes apenas em 2020. Na primeira ocasião, o proponente da transição irregular não apareceu; na segunda vez, foi interceptada e devolvida pelas forças da Grécia.

Na terceira tentativa, em 23 de julho, Najma e seus filhos foram detidos pela polícia grega, após aportarem na ilha de Rodes. Em seguida, foram encaminhados a um centro de detenção provisório. Durante a madrugada, foram removidos do local junto de 22 outros refugiados – incluindo dois bebês – e abandonados pela polícia grega em um bote salva-vidas sem leme ou mesmo motor. Assim, chegaram a águas da Turquia.

“É bastante desumano”, relatou ao NYT. “Deixei a Síria por medo das bombas, mas quando isso aconteceu, pensei preferir morrer sob um bombardeio”. Em 6 de agosto, Najma realizou sua quarta tentativa – seu barco foi então parado por oficiais gregos e teve seu combustível removido, para então retornar às águas turcas.

Contudo, segundo registros reunidos pela organização internacional Human Rights Watch (HRW) e outras entidades, dentre os cidadãos expulsos de forma ilegal, não estão apenas refugiados que tentam chegar à Grécia, mas também imigrantes que residem e trabalham legalmente em território grego.

Os relatos e evidências compilados registram os métodos utilizados pelas autoridades da Grécia para acuar os refugiados e deportá-los em segredos, sem qualquer processo legal.

Um exemplo está no caso de Feras Fattouh, 30 anos, técnico de raio X nascido na Síria. Fattouh foi preso pela polícia da Grécia no porto de Igoumenitsa, em 24 de julho. Residia legalmente na Grécia desde novembro de 2019, com sua esposa e filho, e possuía documentos que comprovam seu status.

Contudo, foi roubado pela polícia e transportado por 640 km em direção à fronteira com a Turquia, onde foi secretamente posto em um bote com outras dezoito pessoas, enviadas rio abaixo.

Fattouh foi expulso sozinho; sua esposa e filho permanecem na Grécia. “Os sírios sofrem na Turquia”, relatou ao NYT. “Nós sofremos na Grécia. Para onde devemos ir?”

Apesar das evidências, incluindo vídeos registrados por passageiros dos botes, o governo da Grécia nega todos os relatos. Stelios Petsas, porta-voz do governo, afirmou: “Autoridades gregas não se envolvem em atividades clandestinas”.

Petsas insistiu ainda que a Grécia “possui histórico comprovado de respeitar a lei, as convenções e os protocolos internacionais. Isso inclui o tratamento de refugiados e imigrantes”.

Nos últimos nove anos de conflito na Síria, milhões de refugiados fugiram via território turco e Mar Mediterrâneo, em direção à a Europa. Em 2015, União Europeia e Turquia assinaram um acordo de migração para conter o fluxo de refugiados.

O bloco europeu, porém, falhou em cumprir sua parte do pacto, incluindo envio de recursos e outros benefícios para auxiliar a Turquia a manter os imigrantes. Em fevereiro último, o governo turco do presidente Recep Tayyip Erdogan enfim decidiu abrir sua fronteira com a Grécia, para dar passagem aos requerentes de asilo.

Deste então, guardas e policiais da fronteira grega cometeram uma série de violações de direitos humanos contra os refugiados que tentam chegar à Europa. Segundo os relatos, tais abusos incluem abandonar e atirar contra botes improvisados, deter e torturar imigrantes em locais secretos, despí-los e roubá-los, para então mandá-los de volta à fronteira.

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer