Últimas notícias

Dois migrantes foram mortos a tiros na fronteira Turquia-Grécia, diz Anistia

Dois migrantes foram mortos a tiros na fronteira Turquia-Grécia, diz Anistia
abril 06
17:25 2020

Dois migrantes foram mortos a tiros no mês passado, quando tentaram entrar na Grécia pela Turquia, depois que Ancara “incentivou imprudentemente” milhares de migrantes a cruzarem a fronteira para a Europa, informou a Reuters na sexta-feira, citando a Anistia Internacional.

Uma terceiro emigrante está desaparecida e supostamente morta depois que soldados gregos dispararam contra ela enquanto tentava atravessar um rio para a Grécia, disse o grupo de direitos humanos.

O diretor de pesquisa da Anistia na Turquia, Andrew Gardner, disse que não foi confirmado quem disparou os tiros que mataram os migrantes, mas foram atingidos em áreas onde estavam presentes agentes de segurança gregos, e pediu às autoridades gregas que encontrem os responsáveis.

A Anistia disse que os esforços gregos para reprimir os movimentos dos migrantes incluíram o uso de munição real.

“A Grécia nega categoricamente o relatório da Anistia Internacional da Turquia, que cita alegações que já foram oficialmente descartadas pelas autoridades gregas. A Grécia nunca usou munição real”, disse uma autoridade do governo em Atenas.

A Anistia disse que um dos migrantes era um homem de 43 anos que foi baleado no peito enquanto tentava atravessar a Grécia em 4 de março. O documento diz que outros cinco foram tratados por ferimentos a bala. Na época, a Grécia descartou como “fake news” as acusações turcas de que havia disparado contra eles.

Dezenas de milhares de migrantes tentaram entrar na Grécia, membro da União Europeia, depois que Ancara disse em 28 de fevereiro que não mais os impediria, como concordou fazer em um acordo de 2016 com Bruxelas em troca de ajuda europeia para refugiados sírios.

A Turquia, que abriga cerca de 3,6 milhões de sírios, a maior população de refugiados do mundo, suspendeu as restrições aos migrantes porque ficou alarmada com a perspectiva de outra onda de refugiados fugindo da guerra no noroeste da Síria.

A corrida para a fronteira, que a Anistia disse ter sido facilitada pela Turquia, recebeu uma forte resposta das forças de segurança gregas. As autoridades gregas rejeitaram fortemente as acusações de Ancara de que suas forças mataram migrantes na fronteira e negaram disparar munição real.

A tensão na fronteira diminuiu bastante desde que o surto do novo coronavírus levou a Turquia a fechar as fronteiras com a Grécia e a Bulgária.

A Anistia disse que, segundo autoridades turcas, cerca de 5.800 pessoas foram transferidas na semana passada de campos informais de refugiados perto do portão da fronteira de Pazarkule, onde a maioria dos confrontos entre migrantes e forças de segurança ocorreram no início de março.

Os migrantes foram levados para nove locais em todo o país e permaneceriam em quarentena por 14 dias como precaução contra a disseminação do coronavírus, disse a Anistia.

A organização exortou as autoridades gregas que restaurem o direito de pedir asilo, não sofrer resistência e proteger as pessoas que entram no país pela terra e pela mar. A suspensão de 30 dias dos pedidos de asilo que a Grécia impôs em março terminou em 1º de abril.

A Anistia disse que a Turquia deveria se abster de fazer anúncios e tomar ações unilaterais que provavelmente resultariam em maiores danos aos migrantes.

Fonte: 2 migrants were shot dead at Turkey-Greece border, says Amnesty: report

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer