Últimas notícias
  • Inflação turca se aproximou de 85% em setembro, em torno de 72% no final do ano Espera-se que a inflação anual da Turquia suba perto de 85% em setembro e foi vista diminuindo apenas para 72% no final de 2022, uma pesquisa da Reuters mostrou na quarta-feira, depois que o banco central chocou os mercados ao cortar as taxas duas vezes, apesar do aumento da inflação. ...
  • Turquia se curva à pressão dos EUA, corta os laços bancários com os russos O florescente comércio da Turquia com Moscou em tempo de guerra deu um grande passo atrás na quarta-feira com a confirmação de que os três últimos bancos ainda processando pagamentos com cartão russo estavam se retirando sob pressão de Washington. ...
  • Jornalista investigativo que reporta desde o exílio é alvo de jornal pró-Erdoğan Cevheri Güven, um jornalista de investigação no exílio, cujos vídeos no YouTube, nos quais ele fala sobre a corrupção e as relações obscuras do governo turco, atraem centenas de milhares de espectadores, foi alvo de um jornal pró-governo que revelou seu endereço e publicou secretamente fotos sua, noticiou o Turkish Minute. ...
  • Turquia promete defender interesses contra Grécia em meio a tensões A Turquia convocou na segunda-feira o embaixador grego para protestar contra o suposto envio de dezenas de veículos blindados fabricados nos EUA para as ilhas gregas que, segundo Ankara, deveriam permanecer desmilitarizadas em conformidade com os tratados internacionais. ...
  • Relatório da ONU implica que Turquia pode ter cometido crimes de guerra com mortes de civis em ataques na Síria Há motivos razoáveis para acreditar que o uso de armas explosivas não guiadas para atacar áreas urbanas e vilarejos equivale ao crime de guerra de lançar um ataque indiscriminado causando morte e ferimentos a civis, disse a Comissão Internacional Independente de Inquérito da ONU sobre a República Árabe da Síria em um relatório publicado em 14 de setembro, referindo-se a morteiros que podem ter sido disparados da Turquia e vários ataques com drones matando civis em várias ocasiões em 2022. ...
  • Fundação sediada nos EUA dirigida pela família de Erdoğan se finge de morta após transferências de dinheiro suspeita O presidente turco Recep Tayyip Erdoğan tinha uma programação em Nova York, aonde vai todos os anos à Assembleia Geral das Nações Unidas, para participar do tradicional jantar de gala da Fundação Turken, que é dirigido por seus familiares e parentes. Entretanto, este ano, Erdoğan não participou de nenhum evento da Turken. O presidente da Turken teve uma breve reunião com Erdoğan junto com uma dúzia de outros representantes de ONGs turco-americanas no domingo. A decisão do escritório Erdoğan está no fato de que a fundação está enfrentando sérias acusações de recebimento ilegal do dinheiro dos contribuintes turcos. Curiosamente, a fundação não tem se envolvido em nenhuma atividade por muito tempo.  ...
  • Procurador turco expulso por supostamente ajudar inteligência iraniana a sequestrar dissidentes De acordo com a mídia turca, o mais alto conselho judicial da Turquia expulsou um promotor público que foi anteriormente preso como parte de um caso envolvendo acusações de espionagem e sequestro em nome da inteligência iraniana. ...
  • Possível risco sancionatório força bancos turcos a agir sobre sistema de pagamento russo Dois bancos privados na Turquia suspenderam o uso do sistema de pagamento russo Mir no início desta semana, após sinais de alerta dos Estados Unidos. ...
  • O significado das ideias econômicas incomuns de Erdogan para a Turquia O presidente turco Recep Tayyip Erdogan não é o único político que não gosta quando os bancos do país cobram das pessoas relativamente pesado para pedir dinheiro emprestado. O que o diferencia é sua crença pouco ortodoxa em taxas de juros baixas e sua determinação em obter o controle da política monetária dos banqueiros centrais. O resultado: Uma sucessão de cortes de taxas de referência que alimentou a inflação desenfreada e precipitou um colapso da moeda.  ...
  • Voos Moscou-Istambul esgotados em meio à mobilização militar de Putin Os russos compraram todos os voos diretos entre Moscou e Istambul para os próximos três dias após a mobilização parcial dos militares russos anunciada pelo Presidente Vladimir Putin, informou na quarta-feira o Middle East Eye. ...

Donald Tusk pede resposta à crise migratória

Donald Tusk pede resposta à crise migratória
maio 26
11:48 2016
O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk , apelou hoje a uma resposta a nível mundial à crise dos refugiados, de modo a que não seja apenas a Europa a lidar com o problema.

À margem da cimeira do G7 no Japão, Tusk disse que as nações europeias precisam de ajuda para lidar com a enchente de pessoas que estão a chegar, vindas de países em conflito no Médio Oriente e em África.

“Temos consciência de que é devido à geografia que a maior parte da responsabilidade é, e continuará a ser, posta na Europa”, disse Tusk, em Ise-Shima, a 300 quilómetros de Tóquio.

“No entanto, também gostaríamos que a comunidade global mostrasse solidariedade e reconhecesse que se trata de uma crise global”, afirmou.

No ano passado, cerca de 1,3 milhões de refugiados, a maior parte vindos de países em guerra como a Síria e o Iraque, pediram asilo à União Europeia, mais de um terço destes fizeram-no junto da Alemanha.

Este ano, a Organização Internacional de Migrações estima que 190 mil migrantes e refugiados entraram na Europa por mar, chegando a Itália, Grécia, Chipre e Espanha. Mais de 1.300 morreram na viagem.

A União Europeia criou um programa para redistribuir o primeiro grupo de 140 mil pessoas pelos 28 Estados-membros.

“O mundo foi confrontado com o mais elevado número de refugiados, requerentes de asilo e pessoas deslocadas internamente desde a II Guerra Mundial”, disse Tusk.

“Aqueles que criticam a Europa devem antes pensar em como elevar a assistência [prestada] porque aquilo que a Europa disponibiliza já é massivo”, afirmou.

Tusk, que comparece à cimeira do G7 juntamente com Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, disse que irá pedir aos líderes presentes que apoiem uma solução internacional.

O mundo tem de “se comprometer a aumentar a assistência global para que as necessidades imediatas e de longo prazo dos refugiados e comunidades de acolhimento sejam respondidas”.

“A comunidade internacional deve reconhecer que quando a Turquia, o Líbano e a Jordânia apoiam refugiados estão na verdade e fornecer uma rota pública global”, sublinhou.

Além disso, os países do G7 devem encorajar as instituições financeiras internacionais e outros doadores a aumentarem as suas contribuições.

“Neste sentido, o fundo da União Europeia para a Síria, África e Turquia, juntamente com o trabalho dos bancos de investimento europeus, serve como exemplo para todos nós”, indicou.

Por fim, o G7 “encoraja o estabelecimento de esquemas de realojamento e outras formas legais de migração em todo o mundo”, disse.

Fonte: http://www.rtp.pt

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer