Últimas notícias

A aventura da Turquia no Afeganistão e o renascimento do Pan-Turquismo

A aventura da Turquia no Afeganistão e o renascimento do Pan-Turquismo
setembro 01
18:44 2021

A missão da Turquia pela OTAN no Afeganistão está terminando, mas Ancara ainda está planejando estabelecer uma base militar no país. 

Os diplomatas turcos têm negociado com o Talibã para manter uma presença permanente de segurança no país para proteger o Aeroporto Internacional Hamid Karzai de Cabul. 

A questão candente é se Ancara proporcionará um corredor para a transferência dos jihadistas da Síria para o Afeganistão. 

A mídia internacional noticiou que o principal objetivo de Ancara para administrar o Aeroporto Internacional Hamid Karzai era agradar ao governo americano na esperança de que ele acabasse com as sanções americanas sobre sua aquisição do sistema avançado de defesa antimíssil russo S-400. 

A mídia mundial noticiou anteriormente que a Turquia havia cancelado planos para dar segurança ao aeroporto internacional de Cabul, mas parece que o envolvimento do governo de Recep Tayyip Erdoğan no Afeganistão não é parte de sua missão da OTAN, mas um caso à parte, com o Talibã buscando apoio técnico da Turquia para administrar o aeroporto. 

Erdoğan disse na sexta-feira que os diplomatas turcos tiveram sua primeira reunião com o Talibã dentro do aeroporto de Cabul e que a Turquia não precisava de permissão de nenhum outro país para negociar com o Talibã. 

É evidente que a Turquia está tentando construir uma base militar permanente no país apesar do fim da missão da OTAN da Turquia. 

Erdoğan disse aos repórteres no Chipre, em 20 de julho, que os EUA haviam negociado com o Talibã, que a Turquia não tem nada contra as crenças (do Talibã) e que Ancara pode ter um diálogo mais confortável com o Talibã do que os Estados Unidos. 

O porta-voz do Talibã Zabihullah Mujahid foi citado pela agência de notícias Reuters como tendo dito em 24 de agosto que “queremos boas relações com a Turquia, com o governo turco e com o povo muçulmano da nação turca”. 

O bombardeio no aeroporto de Cabul que matou mais de 100 pessoas, incluindo 13 membros de serviço dos EUA e dezenas de afegãos na quinta-feira, reforçou o desejo da Turquia de garantir a segurança nos aeroportos. 

O Ministro das Relações Exteriores turco Mevlüt Çavuşoğlu, que teve uma entrevista coletiva com o Ministro das Relações Exteriores alemão Heiko Maas em Ancara no domingo, expressou os planos da Turquia de administrar o aeroporto de Cabul. Ele disse que os ataques à bomba danificaram pistas, torres, terminais e o lado civil do aeroporto e que a Turquia precisa reparar o aeroporto para administrá-lo. 

Maas disse que a Alemanha agradeceu à Turquia por sua oferta de continuar a ajudar a administrar o aeroporto após a retirada da OTAN e disse que a Alemanha estava pronta para apoiar isso financeira e tecnicamente, informou a Reuters. O Maas também elogiou a contribuição da Turquia para a realização de voos de evacuação. 

Como membro da OTAN, a Turquia já foi responsável pela segurança no aeroporto de Cabul, e o governo turco expressou claramente a opinião de que Ancara não deixaria a segurança do aeroporto para os Talibãs. A Turquia teve cerca de 500 militares destacados no aeroporto desde 2015 para manter o aeroporto operacional. 

O presidente Erdoğan disse à emissora turca NTV no domingo que o governo turco ainda não decidiu administrar o aeroporto e não tem pressa em iniciar os voos. 

Ele disse que a Turquia não pode deixar a segurança do aeroporto para o Talibã, pois Ancara teme que outro banho de sangue possa ocorrer no aeroporto sob a segurança precária do Talibã. O porta-voz presidencial Ibrahim Kalin também disse à NTV na semana passada que não tinha certeza se o Talibã tinha a capacidade de proteger o aeroporto. 

Enquanto o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) da Turquia está negociando com o Talibã e as potências ocidentais para administrar o aeroporto de Cabul e manter as forças de segurança turcas no Afeganistão, o principal líder do Partido Popular Republicano (CHP) da oposição turca, Kemal Kılıçdaroğlu, se opõe firmemente à nova aventura militar da Turquia no Afeganistão. 

“Meu chamado para o mundo”: Eu não sou nada [como] Erdogan. Eu venho da tradição Kuvayi Milliye. Ninguém pode declarar … meu país como uma prisão aberta [para] refugiados. Deixe-me dizer-lhe com antecedência, negociações muito duras estão esperando por você”, Kılıçdaroğlu tweetou em turco e inglês em 18 de julho. Kuvayi Milliye foi o primeiro grupo armado a defender os direitos dos otomanos na Anatólia e na Rumelia durante a primeira parte da Guerra da Independência da Turquia. 

Meral Akşener, líder do Partido Iyi [Bom], também é duramente crítica em relação à política do Afeganistão de Erdoğan. “Não há mais nenhum país chamado Afeganistão”. Por que nossas tropas devem permanecer lá? Pare de dizer disparates para agradar aos Estados Unidos e retire nossos soldados deste pântano”, ela tweetou em 16 de agosto. 

A maioria dos partidos turcos e turcos de oposição discordam da política expansionista de Erdoğan no Afeganistão, mas o Ministro da Defesa da Turquia, Hulusi Akar, comentou no mês passado que a Turquia estava determinada a fazer contribuições para a segurança, paz e bem-estar do povo afegão, informou a emissora estatal TRT. 

Akar é um funcionário-chave na política de segurança da Turquia desde que a saúde do Erdoğan se deteriorou recentemente. Akar, que teve várias reuniões e conversas telefônicas com outros ministros de defesa norte-americanos, alemães e britânicos da OTAN, disse na Feira Internacional da Indústria de Defesa realizada em Istambul em 17 de agosto que os ministérios e instituições relevantes estavam em preparação para um mandato no caso de os soldados turcos ficarem na capital afegã de Cabul, noticiou o jornal Daily Sabah. 

Apesar das críticas da oposição turca, o governo Erdoğan tem se preparado para um papel maior no Afeganistão. 

O principal assunto da reunião do Erdoğan com o Presidente dos EUA, Joe Biden, na Cúpula da OTAN em Bruxelas, em 14 de junho, foi o Afeganistão. 

O jornalista turco sênior Murat Yetkin comentou no mês passado que o governo dos EUA agradeceu à Turquia por sua proposta do aeroporto de Cabul. 

Yetkin mencionou que Erdoğan tem procurado apoio internacional para seu plano para o Afeganistão ao parabenizar Isaac Herzog por ter assumido seu novo papel como presidente de Israel em 12 de julho. Um dia depois, Erdoğan teve uma conversa telefônica com o Presidente chinês Xi Jinping por ocasião do 50º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre a Turquia e a República Popular da China. 

É claro que Erdoğan, que tem apoiado grupos rebeldes sírios contra o Presidente da Síria Bashar al-Assad desde 2011, assim como, segundo informações, tem destacado mais de 10.000 combatentes sírios em apoio ao Governo de Acordo Nacional (GNA) reconhecido pela ONU em Trípoli, planeja seguir uma política externa expansionista no Afeganistão. 

Erdoğan não hesitará em transferir os jihadistas da Síria para o Afeganistão. Al-Monitor informou que há cerca de 10.000 combatentes estrangeiros no Afeganistão e que alguns grupos jihadistas que enfrentam a pressão de Hayat Tahrir al-Sham, na Síria, estão encarando o Afeganistão como um novo paraíso, agora que o Talibã assumiu o controle. 

Ninguém expressou melhor a nova aventura da Turquia no Afeganistão do que Devlet Bahçeli, líder da aliança eleitoral do Erdoğan, parceiro do Partido Movimento Nacionalista (MHP), que disse no domingo que “a evacuação dos soldados turcos do Afeganistão é uma decisão correta, mas se necessário, a presença militar da Turquia no Afeganistão para lutar contra os terroristas é uma obrigação decorrente de sua fé [do povo turco] e de seus laços culturais e históricos com a região”. Ancara não pode estar segura se não houver segurança em Cabul”. 

Türkmen Terzi 

Fonte: https://www.turkishminute.com/2021/08/31/afghanistan-adventure-and-the-revival-of-pan-turkism/  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer