Últimas notícias

O que está por trás do apoio turco ao Azerbaijão

O que está por trás do apoio turco ao Azerbaijão
outubro 13
15:45 2020

A Turquia apoiou firmemente o Azerbaijão, rico em petróleo, enquanto uma disputa territorial de décadas se transformava em conflito armado sobre Nagorno-Karabakh, uma região montanhosa situada no Azerbaijão controlada por separatistas étnicos apoiados pela Armênia.

A Turquia, um membro da OTAN com aspirações regionais e globais, prometeu apoiar o antigo aliado Azerbaijão “no campo de batalha ou na mesa de negociações”, se necessário. No entanto, o governo turco negou as alegações da Armênia de que está enviando caças sírios e jatos de combate F-16 para ajudar as forças do Azerbaijão no conflito que começou no domingo.

Vamos dar uma olhada no que está por trás do apoio da Turquia ao Azerbaijão, seu envolvimento no conflito e suas implicações.

POR QUE A TURQUIA ESTÁ APOIANDO O AZERBAIJÃO?

A Turquia e o Azerbaijão estão ligados por fortes laços étnicos, culturais e históricos e referem-se a seu relacionamento como sendo um entre “dois estados, uma nação”. A Turquia foi o primeiro país a reconhecer a independência do Azerbaijão em 1991, após o colapso da União Soviética, e os dois estabeleceram laços econômicos sólidos. A Turquia é o principal canal para as exportações de petróleo e gás do Azerbaijão, e a ex-república soviética se tornou um grande investidor na Turquia.

Por outro lado, a Turquia não tem relações diplomáticas com a Armênia e fechou sua fronteira com a nação em 1993 para mostrar solidariedade ao Azerbaijão por causa do Nagorno-Karabakh. As relações entre a Armênia e a Turquia já eram tênues devido aos assassinatos em massa e deporações de armênios pelos turcos otomanos há um século. Os estudiosos consideram esses eventos o primeiro genocídio do século 20, que a Turquia nega.

Em 2009, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan recuou dos esforços de reconciliação com a Armênia que irritaram o Azerbaijão. Erdogan condicionou o estabelecimento de laços formais com a Armênia à sua retirada de Nagorno-Karabakh.

COMO A TURQUIA ESTÁ ENVOLVIDA NO CONFLITO?

Os militares turcos treinam oficiais azerbaijanos há décadas. Em agosto, suas forças armadas realizaram exercícios militares em grande escala no Azerbaijão. A Turquia também é o terceiro maior fornecedor de equipamento militar do Azerbaijão, depois da Rússia e de Israel. É sabido que vendeu drones e lançadores de foguetes, de acordo com Ozgur Unluhisarcikli, diretor de Ancara do German Marshall Fund. A Turquia pode ter enviado operadores militares de drones para ajudar o Azerbaijão no conflito atual, disse ele.

A Turquia disse repetidamente que viria em ajuda do Azerbaijão, se solicitada, mas não há evidências até agora de que a Turquia esteja ativamente envolvida no conflito. Ancara afirmou que o Azerbaijão tem capacidade para lutar sem o apoio da Turquia.

O governo turco negou o envio de mercenários sírios para ajudar o Azerbaijão na batalha, embora o monitor de guerra da oposição baseado na Grã-Bretanha, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, tenha relatado que cerca de 850 combatentes sírios chegaram ao Azerbaijão.

A Turquia também descartou como “propaganda” as alegações da Armênia de que um caça F-16 turco abateu um jato SU-25 armênio.

O envolvimento militar da Turquia no conflito por enquanto é “mais retórica do que substância”, disse Unluhisarcikli.

QUAL É A POSIÇÃO DA RÚSSIA?

Embora a Rússia e a Armênia não compartilhem uma fronteira, a Armênia é um aliado russo próximo da Rússia na região do Cáucaso entre os mares Negro e Cáspio, incluindo uma grande base militar russa. A base, com uma guarnição de cerca de 3.000 soldados, fica em Gyumri, cerca de 200 quilômetros a oeste de Nagorno-Karabakh e a menos de 10 quilômetros da fronteira com a Turquia.

O primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinian, caracterizou a base como um baluarte importante contra uma possível invasão turca.

A Armênia e a Rússia são membros da Organização do Tratado de Segurança Coletiva, uma aliança militar de algumas ex-repúblicas soviéticas, não incluindo o Azerbaijão, levantando a possibilidade de que a Armênia poderia pedir ajuda militar da aliança. Pashinian disse esta semana que não vê uma necessidade imediata de convocar as forças russas para agirem.

O QUE ESTÁ EM JOGO PARA A TURQUIA?

Os especialistas veem a retórica linha-dura da Turquia contra a Armênia como parte das aspirações da Turquia por liderança global e regional e os esforços crescentes de Ancara para resolver disputas por meio da “diplomacia da canhoneira”.

O país usou sua força militar na Síria em uma tentativa de prevenir militantes curdos de se entrincheirar em uma região de fronteira, na Líbia, onde se aliou ao governo de Trípoli para salvaguardar um acordo de delimitação marítima, e no leste do Mediterrâneo, para onde enviou um navio de busca, acompanhado de navios de guerra, para explorar energia em águas disputadas com Grécia.

“Onde quer que haja um problema, a tendência da Turquia tem sido militarizar o problema”, disse o Unluhisarcikli do Fundo Marshall.

Com o conflito ameaçando atrair a Rússia, os especialistas acreditam que o Azerbaijão agirá com cautela e limitará qualquer intervenção turca.

“O apoio que o Azerbaijão solicitaria (da Turquia) ficaria abaixo do limite que irritaria a Rússia”, disse Unluhisarcikli.

Fonte: AP Explains: What lies behind Turkish support for Azerbaijan  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer