Últimas notícias
  • Mais dois navios com grãos partem da Ucrânia, diz o Ministério da Defesa da Turquia  Mais dois navios transportando grãos que saíram dos portos do Mar Negro da Ucrânia no sábado, disse o Ministério da Defesa da Turquia, elevando para 16 o número total de navios a sair do país sob um acordo entre a ONU e a Turquia. ...
  • [ANÁLISE] Erdoğan aumenta o domínio sobre as TSK para facilitar a colaboração com regimes autoritários  O mundo está evoluindo de uma ordem mundial unipolar dominada por um único poder para um sistema político multipolar no qual mais de um poder luta pelo domínio. Na atual luta de grandes potências, o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan acredita que pode manter seu poder político aliando-se à Rússia, China e Irã. Após sua reunião bilateral com o presidente russo Vladimir Putin em Sochi em 5 de agosto, Erdoğan disse aos repórteres que Putin o havia convidado para uma reunião da Organização de Cooperação de Xangai (SCO) a ser realizada no Uzbequistão de 16 a 18 de setembro de 2022. Como o Erdoğan explica que, como presidente de um país membro da OTAN, ele possa participar de uma reunião da SCO, que reúne regimes autoritários? Qual é a conexão entre a estreita cooperação do Erdoğan com os regimes autoritários e os regulamentos que levaram ao domínio do Erdoğan sobre as Forças Armadas Turcas (TSK) após uma tentativa de golpe na Turquia em 15 de julho de 2016? ...
  • “Eles estão nos matando”: Migrantes presos em uma pequena ilha pedem ajuda A organização AGreek de direitos humanos tem chamado as autoridades para ajudar dezenas de migrantes e requerentes de asilo que dizem ter ficado presos em uma pequena ilha fluvial na fronteira entre a Grécia e a Turquia. O Conselho Grego de Refugiados disse à CBS News que o contato com o grupo foi perdido na quarta-feira depois que uma jovem entre o povo desesperado foi alegadamente morta por um escorpião esta semana. ...
  • Envolvimento da Turquia com o Afeganistão cresceu desde a tomada do Talibã Enquanto muitos países cortaram os laços diplomáticos com o Afeganistão após o retorno do Talibã ao poder no ano passado, a Turquia, o único membro da OTAN com presença diplomática no país devastado pela guerra, tem sido ativa em muitas frentes. ...
  • Menino britânico, quatro anos, desaparece depois de viajar para a Turquia com sua mãe  Um menino britânico de quatro anos foi dado como desaparecido após viajar para a Turquia com sua mãe. Acredita-se que George Jack Temperley-Wells tenha viajado de Darlington para a região de Antalya com sua mãe, Brogan Elizabeth Temperley, em 29 de junho deste ano. ...
  • 69,3% dos turcos que lutam para pagar por alimentos, diz pesquisa A maioria das pessoas na Turquia está lutando para pagar pelos alimentos, uma vez que o aumento do custo de vida está afetando sua renda, informou a Turkish Minute, citando os resultados de uma pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisa Social Yöneylem. ...
  • Turquia acatou a sentença do TEDH sobre Kavala, argumenta o ministro da justiça Ao contrário do que o Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) disse em um julgamento no mês passado, o ministro da justiça da Turquia, Bekir Bozdağ, argumentou que os tribunais...
  • Navio com grãos ucranianos recusados pelo Líbano atraca na Turquia Um navio com milho ucraniano, anteriormente rejeitado por um comprador no Líbano devido a "violação das condições de entrega" atracou no porto de Mersin, na Turquia. ...
  • Bancos turcos adotando o sistema de pagamentos russo Cinco bancos turcos assumiram o sistema de pagamentos russo conhecido como Mir, disse no sábado o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan, após suas conversas com o presidente Vladimir Putin no resort do Mar Negro de Sochi.  ...
  • Putin tem a chave para a reeleição de Erdoğan, diz o analista russo O contínuo apoio político e financeiro do presidente russo Vladimir Putin é necessário para que o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan ganhe a reeleição no próximo ano, disse um importante analista russo na segunda-feira, refletindo sobre uma reunião entre eles em Sochi, Rússia, que gerou alarme nas capitais ocidentais. ...

A Normalização das Relações Entre a Turquia e Israel

A Normalização das Relações Entre a Turquia e Israel
julho 09
17:18 2016

Por Marli Barros Dias

As relações entre a Turquia e Israel ficaram abaladas há seis anos, quando uma flotilha com ativistas turcos pró-Palestina tentou romper o bloqueio naval de Israel à Faixa de Gaza para levar ajuda humanitária ao enclave palestino. Na ocasião, fuzileiros israelenses entraram em confronto com os ocupantes das embarcações e 10 turcos foram mortos. Desde então, os dois países interromperam um período de importantes colaborações, principalmente na área da Defesa. Após esta fase de desacertos no campo da cooperação e da diplomacia, em 28 de junho, o Subsecretário de Relações Exteriores da Turquia, Feridun Sinirlioglu, em Ancara, e o Diretor-Geral do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Dori Gold, em Jerusalém, assinaram um acordo para a retomada e normalização das relações bilaterais. Israel sinalizou o interesse em descongelar a desavença com a Turquia, cumprindo com duas das três exigências feitas pelo Presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan. Em 2013, Benjamin Netanyahu, o Primeiro-Ministro israelense, pediu desculpas pelo episódio envolvendo a flotilha e, em 2015, concordou em indenizar as famílias das vítimas. A terceira condição imposta pelo Governo turco refere-se ao levantamento do bloqueio à Faixa de Gaza. Em contrapartida, Israel exigiu, para o cumprimento desta medida, a expulsão, do território turco, de pessoas ligadas ao Hamas. Ancara, por sua vez, se comprometeu a não permitir que os insurgentes do Hamas pratiquem ações contra Israel a partir da Turquia e, também, a expulsar os chefes do grupo insurgente do território turco.

A retomada do entendimento entre a Turquia e Israel é um ponto fundamental para ambos os lados. No momento em que o Oriente Médio está passando por turbulência e uma reconfiguração geopolítica, estes dois países são, hoje, as duas únicas posibilidades válidas, em termos de cooperação regional, fato que não tem passado despercebido a nenhuma das partes. Para Israel, a reaproximação com a Turquia, que já foi o seu “principal aliado muçulmano”, é o reatar dos laços com um parceiro viável em termos de colaboração e troca de informações mas, sobretudo, naquilo que envolve as tensões com o Irã e a abertura de mercado para o escoamento de gás natural através da conexão com a Turquia e sua rede de gasodutos para a Europa. Mesmo que as relações entre os dois países não alcancem os níveis anteriores, segundo Arda Mevlutoglu, especialista em indústria da Defesa, “Ancara e Tel Aviv têm percepções semelhantes relativamente às ameaças e posicionamento de forças na região. Isso pode ajudar na formação de uma nova equação geopolítica para o Mediterrâneo Oriental, facilitando o contrabalanço do peso do Irã na região”. Por outro lado, a Turquia está enfrentando problemas tanto internos, quanto externos no plano das ameaças e da Segurança. O país encontra-se isolado, na região, debatendo-se com uma crise política que abarca a Síria e a Rússia, e não tem recebido uma resposta adequada por parte dos EUA e da OTAN. Neste contexto, Israel poderá ser um interveniente importante na preservação das relações entre a Turquia e os EUA e na normalização do relacionamento com a Rússia.

As dificuldades que a Turquia enfrenta, em termos regionais, fizeram, de acordo com informações, com que as Forças Armadas turcas pressionassem os dirigentes políticos para a assinatura do acordo com Israel. Consoante um dirigente turco da área de Segurança, que pediu para não ser identificado, “Ancara, devido ao seu isolamento preocupante na região, e com o apoio inadequado dos EUA e da OTAN, não tinha escolha senão se voltar para Israel para a cooperação militar e de segurança”. Independentemente da importância da normalização das relações entre a Turquia e Israel, os aspectos norteadores que definiram, de fato, a assinatura do acordo, revelam um Oriente Médio dividido e a necessidade do estabelecimento de alianças regionais ante um panorama político indefinido e com raras opções para a criação de parcerias credíveis. Deste modo, a Turquia e Israel se estão assumindo como o contrapeso entre os países da região, que se acham perante um futuro marcado pela insegurança e por um cenário geral impreciso.

——————–

Imagem:

“Lady Leyla”, navio de bandeira panamiana, chega ao porto de Ashdod, Israel, em 3 de julho de 2016, transportando ajuda humanitária turca para Gaza.

(Fonte):

http://wtop.com/wp-content/uploads/2016/07/Mideast-Israel-Turkey-1880×1254.jpeg

——————–

Publicado em: http://www.jornal.ceiri.com.br/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer