Últimas notícias
  • Forte terremoto atinge a Grécia, Chipre, Turquia e Egito Um forte terremoto atingiu várias ilhas na Grécia e outras regiões do Mediterrâneo Oriental, incluindo a região sul da Antália na Turquia, bem como cidades no Egito. ...
  • UE diz que Turquia ainda está “recuando” nas reformas e sombria nas chances de adesão O executivo da União Europeia disse na terça-feira que a candidatura da Turquia à adesão ao bloco havia "parado" em meio a sérias deficiências democráticas, em seu relatório anual mais crítico desde que Ancara iniciou as negociações de adesão há 16 anos. ...
  • Embaixada da Turquia nas Filipinas espionou 29 críticos de Erdoğan A Embaixada da Turquia nas Filipinas espionou os cidadãos turcos no país e encaminhou a lista de perfis ilegais para Ancara, o que levou ao lançamento de procedimentos judiciais infundados contra eles, informou o Nordic Monitor, citando documentos legais. ...
  • Lira turca atinge recorde de baixa enquanto Erdogan despede banqueiros centrais A lira turca afundou a uma baixa recorde em relação ao dólar americano na quinta-feira depois que o presidente Recep Tayyip Erdoğan demitiu três membros do banco central em um decreto no meio da noite, informou a Agence France-Presse. ...
  • Condições de trabalho degradantes expulsam médicos da Turquia Milhares de médicos estão deixando a Turquia como resultado dos baixos salários aliados à violência que enfrentam de pacientes zangados e seus familiares, uma situação só agravada pela pandemia do coronavírus e pela crise econômica resultante. ...
  • SADAT, “Exército paralelo” de Erdoğan, pode assassinar dissidentes O notório chefe da máfia turca, Sedat Peker, alegou em uma série de tweets que a SADAT, um grupo paramilitar ligado ao Presidente Recep Tayyip Erdoğan, poderia possivelmente realizar assassinatos de dissidentes que vivem na Turquia e no exterior num futuro próximo, noticiou a mídia local. ...
  • Deputado pede a libertação de paciente com câncer terminal Um deputado do Partido Democrata Popular (HDP), pró-curdo, pediu a libertação imediata de Ayşe Özdoğan, uma mulher criticamente doente que sofre de uma forma rara de câncer e foi enviada para a prisão para cumprir uma sentença de condenação por vínculos com o movimento Hizmet no início deste mês, informou a mídia local. ...
  • Outro Dia, Outro Expurgo no Banco Central da Turquia As cabeças estão rolando no banco central da Turquia, desta vez por não baixar as taxas de juros agressivamente o suficiente. Cortes mais profundos provavelmente virão, talvez logo na próxima semana. Este é um jogo perigoso quando a maior parte do mundo está se movendo na direção oposta. É improvável que uma moeda já maltratada se saia bem, e qualquer fragmento de credibilidade que a política monetária tenha deixado neste icônico mercado emergente será corroído. ...
  • O advogado do Twitter na Turquia tuita discurso de ódio contra o movimento Hizmet O advogado Gönenç Gürkaynak, que representa o Twitter na Turquia, usou de discurso de ódio contra apoiadores do movimento Hizmet numa série de tweets no sábado, perguntando se consideravam exterminar-se a si próprios, informou na segunda-feira o Stockholm Center for Freedom. ...
  • O Alto Custo de uma Turquia Imprevisível Faltando vinte meses para as eleições legislativas e presidenciais na Turquia, o debate político será feroz. O Ocidente poderá optar por não ver a sua relação com Ancara deteriorar-se ainda mais.  ...

Acusações vagas usadas para perseguir o movimento Hizmet diz relatores da ONU

Acusações vagas usadas para perseguir o movimento Hizmet diz relatores da ONU
janeiro 27
18:28 2021

A vaga e imprecisa acusação de “pertencer a uma organização terrorista armada” parece ser repetidamente mal utilizada para atingir os críticos das políticas do governo turco e para criminalizar as atividades legítimas de apoiadores do movimento Hizmet, disse o vice-presidente do Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Detenção Arbitrária e três relatores especiais em uma carta ao governo turco, informou o Centro para a Liberdade de Estocolmo na quarta-feira.

A carta, datada de 10 de novembro, foi publicada pela ONU juntamente com a resposta do governo turco 60 dias após o envio. A carta da ONU solicitou que o governo turco respondesse a perguntas sobre os casos de 43 cidadãos turcos que apresentaram denúncias à ONU com alegações individuais de prisão arbitrária, detenção e/ou processo judicial no contexto de um suposto golpe em Julho de 2016.

A Turquia experimentou uma polêmica tentativa de golpe militar na noite de 15 de julho de 2016, que matou 251 pessoas e feriu mais de mil outras. O presidente turco Recep Tayyip Erdoğan imediatamente acusou o movimento Hizmet, um grupo religioso inspirado pelo clérigo turco Fethullah Gülen, de ser o mentor da tentativa de golpe e iniciou uma grande repressão na manhã seguinte, que acabou levando à demissão sumária de mais de 130.000 servidores públicos, incluindo 4.156 juízes e promotores, bem como 20.610 membros das forças armadas, por suposta participação ou relacionamento com “organizações terroristas” por atos institucionais de emergência sujeitos a escrutínio judicial ou parlamentar. Gülen e o movimento Hizmet negam veementemente o envolvimento no golpe ou qualquer atividade terrorista.

Os relatores da ONU sublinharam que o movimento Gülen “parece ter se desenvolvido ao longo de décadas e gozava, até bem recentemente, de considerável liberdade para estabelecer uma presença generalizada e respeitável em todos os setores da sociedade turca, incluindo instituições religiosas, educação, sociedade civil e sindicatos, mídia, finanças e negócios. ”

Erdoğan tinha como alvo os seguidores do movimento Hizmet desde as investigações de corrupção de 17 a 25 de dezembro de 2013, que envolveram o então primeiro-ministro Erdoğan, seus familiares e seu círculo íntimo. Descartando as investigações como um golpe encabeçado pelo movimento Hizmet e conspiração contra seu governo, ele designou o movimento como uma organização terrorista e começou a perseguir seus membros.

A carta também afirmava que muitas organizações filiadas ao movimento que foram fechadas depois de 15 de julho estavam abertas e operando legalmente até aquela data. Destacando no  entanto que o governo turco tem aceitado atividades cotidianas como ter conta ou depositar dinheiro em banco filiado ao movimento Hizmet, ser membro de um sindicato vinculado ao movimento, trabalhar em qualquer instituição com vínculo com o movimento ou assinar certos jornais e revistas como referência para identificar e prender dezenas de milhares de pessoas sob a acusação de pertencer a uma organização terrorista.

Os 43 candidatos incluem o jornalista preso Ali Ünal; o ex-cadete da Força Aérea Furkan Çetinkaya, que foi condenado à prisão perpétua sob a acusação de golpe; Nurullah Albayrak, advogado de Fethullah Gülen; além de professores, juízes e policiais.

Em sua resposta, o governo turco forneceu uma nota informativa contendo suas bem conhecidas opiniões sobre o movimento Gülen e a tentativa de golpe de 15 de julho. A carta, que foi submetida pela missão permanente da Turquia ao Escritório das Nações Unidas em Genebra, solicitou que os relatores da ONU “não permitissem que a FETÖ (uma sigla depreciativa usada pelo governo para rotular o movimento Hizmet) e seus membros abusassem desses mecanismos e para rejeitar suas alegações. ”

Os relatores da ONU também reiteraram suas preocupações com o “ambiente repressivo que o governo [turco] estabeleceu para o exercício dos direitos fundamentais na Turquia”.

Fonte: https://www.turkishminute.com/2021/01/13/vague-terrorism-charge-used-to-target-supporters-of-the-gulen-movement-un-special-rapporteurs/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer