Últimas notícias

Conselho presidencial promete continuar expurgo contra movimento Gülen

Conselho presidencial promete continuar expurgo contra movimento Gülen
novembro 08
14:35 2019

O recém-criado Conselho Consultivo Superior da Turquia, liderado pelo presidente Recep Tayyip Erdoğan, manifestou sua determinação de continuar com uma repressão sem precedentes aos seguidores do movimento Gülen sem ceder em nada, informou a agência de notícias estatal Anadolu.

Após uma reunião de três horas no palácio presidencial de Erdoğan, em Ancara, na terça-feira, o conselho divulgou uma declaração em que enfatizava a importância da continuação da luta contra o movimento Gülen, acusado pelo governo turco de ter planejado um golpe fracassado em julho de 2016.

Erdoğan e seu governo no Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) rotulam o movimento como uma organização terrorista chamada “Fetö”, embora o movimento negue veementemente o envolvimento na tentativa de golpe ou em qualquer atividade terrorista.

Em seu comunicado, o conselho disse que comprometimentos nunca seriam feitos na “luta decisiva contra a Fetö, que é a culpada da hedionda tentativa de golpe de 15 de julho”. O  conselho também disse que atitudes e ações que provavelmente enfraqueceriam a luta contra o movimento seriam nunca será permitidas.

Após a tentativa de golpe, o governo turco lançou uma repressão maciça contra os seguidores do movimento sob o pretexto de uma luta anti-golpe, como resultado do qual mais de 150.000 pessoas foram removidas de empregos públicos, enquanto mais de 30.000 outras foram presas e algumas 600.000 pessoas foram investigadas sob alegações de terrorismo.

O conselho, estabelecido por decreto presidencial em maio, compreende ex-pesos pesados ​​do AKP que não são mais membros do parlamento, como Bülent Arınç, İsmail Kahraman, Mehmet Ali Şahin e Köksal Toptan.

Enquanto isso, Erdoğan na reunião do grupo parlamentar de seu partido na terça-feira disse que lamenta as observações recentes de Arınç, que descreveu os decretos do governo pós-golpe como um “desastre”.

Arınç também pediu desculpas pelo expurgo dos milhares de funcionários públicos de seus empregos.

“Há tantas pessoas ao meu redor que sofreram essa tragédia. Sinto pena deles, tenho simpatia por eles. Na verdade, estou me desculpando a eles. Sinto vergonha quando vejo a mulher que vem à minha casa limpar, porque foi expurgada do cargo de diretora [de uma agência estatal]. 

Fonte: https://www.turkishminute.com/2019/11/06/presidential-board-vows-to-give-no-ground-in-fight-against-gulen-movement/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer