Últimas notícias

Nazarbayev diz que as escolas cazaque-turcas pertencem ao Cazaquistão e que não haverá extradição de professores

Nazarbayev diz que as escolas cazaque-turcas pertencem ao Cazaquistão e que não haverá extradição de professores
setembro 15
11:22 2017

O presidente cazaque, Nursultan Nazarbayev, disse na quinta-feira que os colégios cazaque-turcos que estão supostamente ligados ao Movimento Gülen, que é baseado na fé, pertencem ao Cazaquistão e que os professores turcos que estão trabalhando nessas escolas não serão extraditados para a Turquia a menos que sejam provados culpados de um crime.

Falando durante uma coletiva de imprensa no palácio presidencial em Astana, Nazarbayev disse que seu colega turco, Recep Tayyip Erdogan, havia lhe informado várias vezes sobre as escolas e exigido que os professores fossem extraditados para a Turquia, informou o site www.ZamanAustralia.com

Destacando que os professores que estão trabalhando nas escolas no Cazaquistão são inocentes até provadas culpadas, Nazarbayev disse: “Eu falei [a Erdogan] que não posso fazer nada de errado contra esses professores porque eles não têm culpa aqui [no Cazaquistão].”

Ele também disse que os professores turcos que estão trabalhando em escolas cazaque-turcas lhe escreveram cartas dizendo estarão sujeitos a emprisionamento, violência e tortura se forem extraditados para a Turquia.

Nazarbayev destacou ainda que as escolas foram já no começo transferidas para um trust sob o Ministério da Educação cazaque e que não são conectadas com Fethullah Gülen, erudito islâmico turco radicado os EUA, que é acusado por Erdogan de o governo turco de arquitetar o golpe fracassado na Turquia no ano passado.

“Esses [professore turcos] que estão aqui [no Cazaquistão] não são culpados. Se vocês [Turquia] apresentarem qualquer evidência provando que eles são culpados, podemos dar uma olhada nisso através de instituições cazaques. Não podemos prender pessoas inocentes ou entregá-las para vocês. Eu disse isso, e esse é o acordo. Fim de discussão,” disse ele.

Uma tentativa de golpe militar em 15 de julho de 2016 matou 249 pessoas e feriu mais de mil outras. Imediatamente após o golpe, o governo do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP) juntamente ao Presidente Erdogan colocaram a culpa no Movimento Gülen.

Gülen, cujas opiniões e ideias inspiraram o Movimento, negou fortemente ter qualquer papel no golpe fracassado e pediu por uma investigação internacional sobre o golpe, mas Erdogan e o governo iniciaram um amplo expurgo com o objetivo de limpar os simpatizantes do movimento de dentro das instituições estatais, desumanizando suas figuras populares e colocando-as em custódia.

Erdogan também lançou uma caça às bruxas contra os seguidores de Gülen no mundo todo resultando na extradição e detenção de professores e empresários ligados a Gülen e de suas famílias em vários países, incluindo a Malásia, Myanmar, Arábia Saudita, Catar, Geórgia, Azerbaijão e Somália.

Fonte: www.turkishminute.com

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer