Últimas notícias

Primeiro carregamento de grãos sai de Odessa

Primeiro carregamento de grãos sai de Odessa
agosto 02
15:21 2022

Navio carregando folhas de grãos ucranianos com destino ao Líbano; Rússia aumentando o número de tropas no sul para se preparar para a contraofensiva ucraniana. 

A UE e a NATO na segunda-feira receberam a partida do carregamento de grãos da Ucrânia como um “primeiro passo” para aliviar a crise alimentar causada pela invasão russa. 

Mas um porta-voz da UE, Peter Stano, disse que Bruxelas ainda esperava a “implementação de todo o negócio e a retomada das exportações ucranianas para os clientes ao redor do mundo”, informou a Agence France-Press. 

Separadamente, o secretário geral da Nato, Jens Stoltenberg, disse que os aliados ocidentais “apoiam fortemente a implementação total do acordo para aliviar a crise alimentar global causada pela guerra da Rússia na Ucrânia”. 

Antes, o Razoni, um navio de carga registrado na Serra Leoa, havia deixado o porto ucraniano de Odessa com destino ao Líbano com um carregamento vital de 26.000 toneladas de grãos. 

Foi o primeiro navio a deixar um porto ucraniano desde que Moscou e Kiev assinaram um acordo mediado pela Turquia e pela ONU para permitir embarques de alimentos apesar do conflito. 

Falando ao serviço estrangeiro da UE, Stano acusou o Kremlin de bloquear os carregamentos durante meses e observou que a Rússia havia disparado mísseis no porto de Odessa um dia após a assinatura do acordo. 

Ele culpou a escassez de alimentos que afetava partes do Oriente Médio e da África pela “agressão russa não provocada em 24 de fevereiro e pelo bloqueio das exportações de grãos e portos ucranianos”. 

As forças russas invadiram a Ucrânia em fevereiro e apreenderam ou bombardearam vários portos, alguns dos quais foram minados por defensores ucranianos desde então para protegê-los. 

De acordo com o acordo assinado em Istambul em 22 de julho, a Ucrânia vai remover as minas e a Rússia vai levantar seu bloqueio, mas os carregamentos têm sido lentos para recomeçar e a luta em terra continua. 

Além disso, segundo Stano, a Rússia está “destruindo os campos na Ucrânia, destruindo os silos na Ucrânia, queimando os grãos ou pilhando e tentando vendê-los em nome da Rússia”. 

Os relatos no Twitter que têm promovido QAnon e as teorias anti-conspiratórias estão mudando o foco e espalhando cada vez mais desinformação sobre a crise alimentar global causada pela invasão da Rússia na Ucrânia, de acordo com um novo estudo. 

A pesquisa do Network Contagion Research Institute (NCRI) descobriu que os relatos teóricos da conspiração nas mídias sociais começaram a empurrar a ideia de que os países ocidentais são responsáveis pela interrupção das exportações de trigo, cevada e milho da Ucrânia. 

O governo russo fez as mesmas afirmações nas últimas semanas, culpando as sanções ocidentais por uma desaceleração nas exportações de grãos. A Rússia bloqueou os portos de embarque da Ucrânia, o que impediu a exportação de dezenas de milhões de toneladas de grãos. A ONU sugeriu que 49 milhões de pessoas poderiam ser empurradas para a fome ou para condições semelhantes às da fome por causa das ações da Rússia. 

A NCRI, que acompanha a desinformação e manipulação nas mídias sociais, descobriu que as comunidades conspiratórias e influenciadoras ligadas à QAnon, o movimento conspiratório extremista cujos seguidores acreditam que Donald Trump está travando uma guerra contra o “estado profundo”, estão mudando das teorias conspiratórias em torno da Covid-19 para a desinformação da crise alimentar. 

De acordo com a NCRI, os relatos frequentemente ligam a crescente insegurança alimentar a uma “cabala de elites sombrias, e muitas vezes judaicas, para a criação da ‘Nova Ordem Mundial'”, ao invés da invasão russa da Ucrânia. 

Em um exemplo, GhostEzra, um influente antissemita da mídia social QAnon que declarou Covid “falso”, escreveu em Telegrama: “Nunca acredite por um momento que há falta de nada”. Comida”. Água. Petróleo. Eles criam e fabricam essas carências. Estas não estão ocorrendo naturalmente”. 

Os “eles”, disse a NCRI, se referiam ao povo judeu. 

“Há uma sobreposição significativa entre QAnon e outras comunidades anti-vacinas e de conspiração on-line”, disse Alex Goldenberg, o principal analista de inteligência da NCRI e pesquisador do Rutgers Miller Center for Community Protection and Resilience. 

“Algumas das conspirações mais coloridas de mandatos alimentares se misturam com teorias anti-vacinas de conspiração”. 

A União Europeia enviou à Ucrânia mil milhões de euros (837 milhões de libras) de ajuda financeira para apoiar seu orçamento e ajudá-la a enfrentar as consequências financeiras da invasão russa, disse o primeiro-ministro ucraniano na segunda-feira. 

Denys Shmyhal escreveu no aplicativo de mensagens Telegram: 

Os 1.000 milhões de euros fazem parte de um grande pacote de apoio à Ucrânia … totalizando 9.000 milhões de euros. Os fundos ajudarão a financiar necessidades orçamentárias prioritárias. 

Ele disse que a primeira parcela, no valor de 500 milhões de euros, já estava na conta do banco central ucraniano, enquanto o restante deverá estar lá em 2 de agosto. 

Fonte: Russia-Ukraine war live news: First grain shipment leaves Odesa; Moscow moving troops towards Kherson, Zelenskiy says (msn.com)  

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer