Últimas notícias
  • SADAT, “Exército paralelo” de Erdoğan, pode assassinar dissidentes O notório chefe da máfia turca, Sedat Peker, alegou em uma série de tweets que a SADAT, um grupo paramilitar ligado ao Presidente Recep Tayyip Erdoğan, poderia possivelmente realizar assassinatos de dissidentes que vivem na Turquia e no exterior num futuro próximo, noticiou a mídia local. ...
  • Deputado pede a libertação de paciente com câncer terminal Um deputado do Partido Democrata Popular (HDP), pró-curdo, pediu a libertação imediata de Ayşe Özdoğan, uma mulher criticamente doente que sofre de uma forma rara de câncer e foi enviada para a prisão para cumprir uma sentença de condenação por vínculos com o movimento Hizmet no início deste mês, informou a mídia local. ...
  • Outro Dia, Outro Expurgo no Banco Central da Turquia As cabeças estão rolando no banco central da Turquia, desta vez por não baixar as taxas de juros agressivamente o suficiente. Cortes mais profundos provavelmente virão, talvez logo na próxima semana. Este é um jogo perigoso quando a maior parte do mundo está se movendo na direção oposta. É improvável que uma moeda já maltratada se saia bem, e qualquer fragmento de credibilidade que a política monetária tenha deixado neste icônico mercado emergente será corroído. ...
  • O advogado do Twitter na Turquia tuita discurso de ódio contra o movimento Hizmet O advogado Gönenç Gürkaynak, que representa o Twitter na Turquia, usou de discurso de ódio contra apoiadores do movimento Hizmet numa série de tweets no sábado, perguntando se consideravam exterminar-se a si próprios, informou na segunda-feira o Stockholm Center for Freedom. ...
  • O Alto Custo de uma Turquia Imprevisível Faltando vinte meses para as eleições legislativas e presidenciais na Turquia, o debate político será feroz. O Ocidente poderá optar por não ver a sua relação com Ancara deteriorar-se ainda mais.  ...
  • Lançada investigação sobre assassinatos políticos antes das eleições de 2023 Um promotor turco iniciou uma investigação sobre as reivindicações, recentemente manifestadas por altas figuras da oposição, de que os assassinatos políticos podem ocorrer na Turquia à medida que as eleições de 2023 se aproximam, informou a mídia local na quarta-feira. ...
  • AKP e MHP rejeitam moção para investigar os atentados de 2015 em Ancara  Partido da Justiça e Desenvolvimento da Turquia (AKP) e seu aliado, o Partido do Movimento Nacionalista (MHP), rejeitaram uma moção parlamentar para investigar o ataque terrorista mais mortal da história da Turquia, que custou a vida de mais de 100 pessoas em Ancara em 2015, noticiaram os meios de comunicação turcos. ...
  • Turquia registra 30.563 novos casos de COVID-19, o maior desde 30 de abril A Turquia registrou 30.563 novos casos de COVID-19 na segunda-feira, o maior número de infecções diárias desde 30 de abril, os dados do Ministério da Saúde mostraram. ...
  • Fugindo do Talibã: A luta de um policial afegão para entrar na Turquia Com a crescente preocupação com uma crise humanitária no Afeganistão, as autoridades da Turquia intensificaram a segurança em suas fronteiras e advertiram que não aceitarão um afluxo de migrantes e refugiados afegãos. ...
  • Iraque prende chefe financeiro do ISIL procurado pelos EUA na Turquia O Iraque capturou Sami Jasim al-Jaburi, o suposto chefe financeiro do Estado islâmico no Iraque e no Levante (ISIL) que era procurado pelos Estados Unidos, em uma operação no exterior, informou na segunda-feira a Agence France-Presse, citando as autoridades iraquianas. ...

Arábia Saudita coage negócios locais a evitar comércio com a Turquia, a fim de promover boicote

Arábia Saudita coage negócios locais a evitar comércio com a Turquia, a fim de promover boicote
julho 28
18:54 2020

A Arábia Saudita está impondo pressão a negócios locais para que evitem comercializar com a Turquia e suas indústrias, da tentativa de promover um boicote não oficial. A apreensão de caminhões com produtos turcos incitou tensões entre os dois países.

Segundo informações concedidas por oficiais turcos à rede Middle East Eye, a Arábia Saudita está impedindo caminhões com frutas e vegetais provenientes da Turquia de atravessar sua fronteira.

“Autoridades relevantes contactaram os sauditas sobre a questão”, declarou um oficial, em condição de anonimato. “A ministra do comércio [Ruhsar Pekcan] já realizou um telefonema para sua contraparte saudita”.

O jornal turco Dunya também relatou que o governo saudita contactou negócios individuais para coagí-los a não comercializar com empresas turcas ou comprar qualquer produto fabricado na Turquia. A monarquia ameaçou impor multas a empresas que ignorem a ordem.

“[A Arábia Saudita] não pode revelar oficialmente sua política devido a sanções da Organização Mundial do Comércio [OMC]”, prosseguiu a reportagem. “[Mas] não é permitido vender sequer bens turcos provenientes da Alemanha porque não querem nada que tenha o selo Made in Turkey.”

A monarquia também revogou contratos de trabalho com cidadãos turcos especializados, que operavam no país do Golfo. A Turquia considera a possibilidade de registrar uma queixa formal à OMC e buscar indenização, caso a política se mantenha.

No decorrer dos últimos anos, relações entre Turquia e alguns estados do Golfo, como Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, tornaram-se tensas devido há divergências sobre objetivos e iniciativas em política internacional.

A Turquia apoia a oposição na Síria e o governo reconhecido pela ONU na Líbia, por exemplo. A Arábia Saudita e seus aliados regionais têm relações melhores com o regime sírio de Bashar al-Assad e apoia efetivamente o general renegado Khalifa Haftar no estado norte-africano.

Outra questão que representa crise nas relações entre Ancara e Riad é o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, radicado nos Estados Unidos, em outubro de 2018, executado dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul.

A Arábia Saudita nega qualquer responsabilidade oficial sobre o crime, ao culpabilizar agentes que operaram clandestinamente. A Turquia, no entanto, apresentou evidências que demonstram ordem direta do príncipe herdeiro e governante de fato da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman, para realização do ataque.

No início de julho, autoridades da Turquia puseram vinte suspeitos sauditas no banco dos réus, acusados de participar da equipe que assassinou Khashoggi.

Exemplos triviais dessa rivalidade foram testemunhados, por exemplo, quando o príncipe Faisal bin Bandar bin Abdulaziz recusou-se a tomar café turco, durante um evento em 2019. O príncipe Abdullah bin Sultan al Saud também convocou um boicote à Turquia e seus produtos, até que “Ancara reveja suas políticas relativas ao reino”.

Em outro incidente no último ano, Riad impediu a passagem de dezenas de caminhões turcos carregando produtos têxteis e químicos, na fronteira saudita. Autoridades sauditas também alteraram o termo “Império Otomano” para “ocupação otomana” em livros didáticos e removeram uma placa de rua em Riad, que homenageava o sultão otomano Suleiman, o Magnífico.

Fonte: https://www.monitordooriente.com/20200724-arabia-saudita-coage-negocios-locais-a-evitar-comercio-com-a-turquia-a-fim-de-promover-boicote/

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

Mailer