Últimas notícias

Erdogan exorta governo a não permitir que empresários transfiram bens para fora da Turquia

Erdogan exorta governo a não permitir que empresários transfiram bens para fora da Turquia
dezembro 05
12:31 2017

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan, no domingo, exortou o governo do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP) a não permitir que alguns empresários transfiram seus bens para fora do país, chamando isso de traição, informou a agência estatal de notícias Anadolu.

“Recebi algumas notícias e sinais. Ouvi falar que alguns empresários se envolveram em tentativas de contrabandear suas riquezas para fora do país. Estou fazendo um pedido ao meu Gabinete primeiro, nunca se deve permitir que vão embora porque esses passos são traiçoeiros”, disse Erdogan durante uma reunião do partido na província de Mus, ao leste da Turquia.

Erdogan continuou a criticar o tribunal americano onde o comerciante de ouro turco-iraniano Reza Zarrab e oito outras pessoas, incluindo o ex-ministro da economia da Turquia e três executivos do Halkbank, foram acusados de se envolverem em transações no valor de centenas de milhões de dólares para o governo do Irã e entidades iranianas de 2010 a 2015 em um esquema para evadir sanções americanas.

“Não tribunais, mas apenas tentativas de chantagear. Desculpe, mas não vamos nos submeter a essa chantagem”, acrescentou Erdogan.

Anteriormente, no Domingo, na província Agri, Erdogan também atacou o tribunal americano: “Agora aos EUA estão tentando julgar, punir, desacreditar a gente porque não nos submetemos às conjunturas, planos e complô deles. Eles estão fazendo isso com seus colaboradores em nosso país. Estão fazendo isso com a FETO [um termo derrogatório cunhado pelo governante AKP para se referir ao Movimento Gulen]”.

O patrimônio de Zarrab e dos membros de sua família foi confiscada na quinta-feira como parte de uma investigação sobre espionagem e fornecer informações oficiais confidenciais para um governo estrangeiros, lançada pelo Escritório da Promotoria Pública de Istambul. De acordo com uma matéria na mídia, a decisão foi tomada como uma medida para impedir Zarrab de contrabandear seu patrimônio para fora da Turquia.

Zarrab depôs em um tribunal federal na quarta-feira dizendo que havia pagado propina ao ex-ministro da economia da Turquia, Mehmet Zafer Caglayan, em um esquema de bilhões de dólares para contrabandear ouro por petróleo em violação das sanções dos EUA sobre o Irã.

Na quinta-feira, Zarrab disse que o então primeiro-ministro da Turquia e atual presidente, Recep Tayyip Erdogan, autorizou pessoalmente o envolvimento de bancos turcos em um esquema para evadir as sanções dos EUA sobre o Irã.

Zarrab também disse pela primeira vez na quinta-feira que o Banco Ziraat e o VakifBank, ambos da Turquia, estiveram envolvidos no esquema e que o ex-vice primeiro-ministro, Ali Babacan, se desligou de Erdogan na operação.

Zarrab era o principal suspeito em uma grande investigação de corrupção na Turquia que se tornou pública em dezembro de 2013 e envolveu o círculo interno do governo do AKP e o então primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan. Supostamente Zarrab pagou propinas funcionários do Gabinete e de bancos para facilitarem transações que beneficiassem o Irã.

Depois que Erdogan colocou o caso como uma tentativa de golpe para derrubar seu governo orquestrada por seus inimigos políticos, vários promotores foram removidos do caso, policiais foram transferidos e a investigação contra Zarrab foi abandonada na Turquia.

Fonte: www.turkishminute.com

Artigos relacionados

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Não há comentários no momento, gostaria de adicionar um?

Escreva um comentário

Escreva um comentário

Mailer